Portugal
"Deviam ser os treinadores a estar no centro da opinião em questões do futebol"
2019-10-11 15:00:00
Carlos Carvalhal sublinhou, na sede da Liga Portugal, a importância da formação no futebol profissional

Carlos Carvalhal, técnico do Rio Ave, foi o convidado da terceira sessão da pós-graduação em Organização e Gestão no Futebol Profissional, esta quinta-feira, na sede da Liga Portugal, no Porto. 

Em declarações reproduzidas pelo site da Liga, o técnico dos vilacondenses sublinhou a importância da formação no futebol profissional e considerou que os treinadores de são as pessoas “mais bem preparadas” para opinar sobre “a operacionalização do futebol e do jogo”.

"Estes cursos e iniciativas são importantes porque as questões são melhor aprendidas quanto mais eminentemente práticas forem. Se forem muito teóricas, as pessoas que as ouvem têm alguma dificuldade em projetar o que ouvem para a prática. Quando ouvem pessoas do terreno torna-se tudo mais fácil, porque estão a ouvir os próprios intervenientes a explicar-lhes exatamente o que acontece", começa por enquadrar. 

"Estas iniciativas, com pessoas do terreno, são fundamentais para a melhoria do futebol. Eu sou a favor - muito a favor - de colocar as pessoas que mais sabem de futebol, neste caso os treinadores, que são as pessoas mais bem preparadas a emitir opiniões sobre as diversas áreas da operacionalização do futebol. Deviam ser essas pessoas que deveriam estar no centro de uma opinião forte relativamente a muitas questões que estão ligadas à operacionalização do futebol e do jogo", considerou. 

Carlos Carvalhal mostrou-se ainda aberto em "transmitir" o que "apreendeu" em "diversos contextos e culturas", uma opinião "necessariamente diferente" da de um "colega que esteja em Portugal há 20 anos". 

"Acho que isso é a riqueza das opiniões e formulação de algumas ideias. Ela torna-se mais rica o quanto ela é sustentada por experiências diferentes, de culturas diferentes, porque temos uma abrangência muito maior para formular uma ideia que é nossa", rematou.