Portugal
“Devemos cuidar de nós e dos outros”, assegura Ricardo
2020-03-25 15:55:00
O ex-guardião da Seleção Nacional pede bom senso aos portugueses

O antigo guarda-redes do Sporting, Ricardo, falou sobre a pandemia do Covid-19 em Portugal. Em declarações ao ‘site’ da Liga Portugal, o ex-internacional português deixa um apelo curto, mas assertivo, à população portuguesa.

“A mensagem que deixo a todos é mais um apelo, devemos cuidar de nós e dos outros. Com toda a racionalidade. Proteja-se!”, indicou Ricardo.

Ao mesmo tempo, o embaixador da Liga Portugal referiu que está a viver esta situação com “bom senso”.

“Estou a viver esta situação com a ponderação e o bom senso necessários. Acho que todos devemos todos estar cientes da gravidade do momento, mas sem deixar de analisar tudo o que se passa”, comentou.

Sobre as medidas tomadas pelo Governo português para combater a Covid-19, Ricardo assume que todas elas "têm o seu fundamento", mas que algumas fazem pouco sentido.

"Todas as medidas implementadas têm o seu fundamento, válido, mas penso que existem algumas que fazem pouco sentido", assegura.

Em período de quarentena, o guardião campeão pelo Boavista na época 2000/2001 garante que está a seguir todas as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Governo.

“Mediante as indicações, tanto da DGS como do Governo, tomamos todas as medidas preventivas. Estamos em casa, a levar a vida de uma maneira diferente do habitual, mas com bom senso”, destacou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, há 43 mortes e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira. Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.