Portugal
"Ganhámos duas taças. Este ano, o Sporting teve tempo e não vai ganhar nada"
2020-07-07 19:55:00
Ex-técnico do Sporting revela que sentiu, desde cedo, que Varandas não contava com ele

José Peseiro é um nome que está ligado à história recente do Sporting. Com duas passagens pelo clube leonino, o técnico levou os leões à final da Taça UEFA e esteve até ao fim na discussão pelo título na época 2004/05.

Esse campeonato ficou marcado pelo encontro entre Benfica e Sporting, decidido com um golo de Luisão no fim do encontro e cujo lance ainda é discutido nos dias de hoje.

Para José Peseiro, selecionador da Venezuela, o lance é procedido de falta e garante que se houvesse videoárbitro, o clube leonino seria, não só campeão nacional, mas também vencedor da Taça UEFA.

“Se houvesse VAR, era falta. Se virmos as imagens, quem faz o golo é o Ricardo com a mão. O Luisão toca de cabeça no braço que o Ricardo quer agarrar a bola. Se quer socar, não é golo. O Luisão toca na cabeça com a mão e ela empurra a bola. Se houvesse VAR, tínhamos sido campeões e acredito que, depois de termos sido campeões que ganhávamos a Taça UEFA”, afirmou Peseiro em conversa à Bola na Rede.

A segunda passagem por Alvalade não correu da melhor forma, com o técnico a ser despedido por Frederico Varandas em novembro de 2018.

Contratado por Sousa Cintra, na altura presidente da Comissão de Gestão, após a saída de Bruno de Carvalho, José Peseiro indica que estava “convencido” de iria para os leões para ser campeão e lembra que construiu uma equipa que venceu dois troféus – Taça de Portugal e Taça da Liga.

“Mesmo naquela turbulência, acreditava que podia ser campeão no Sporting. Felizmente, construímos uma equipa que ganhou duas Taças e a equipa este ano não vai ganhar nada e teve mais tempo para ser construída”, comentou.

Indicando que as pessoas “não têm noção” do que ele e a equipa técnica passaram no Sporting, José Peseiro revela que sentiu, desde cedo, que Frederico Varandas não contava com ele.

“Desde o inicio de Varandas percebi que não era o treinador dele, essa é a realidade. Quando temos um presidente que nos quer fala e partilha mais coisas connosco…”, salientou.