Portugal
Capela: "Fico mais pressionado como vídeo-árbitro do que quando estou em campo"
Redação Bancada
2018-03-13 14:25:00
"Não vejo o futuro sem o VAR", referiu o árbitro João Capela.

O vídeo-árbitro continua a ser um dos temas mais falados do futebol português e desta feita foi João Capela a reconhecer a pressão que advém com a tecnologia. "Fico mais pressionado como vídeo-árbitro quando tenho de intervir do que quando estou em campo. As pulsações devem ser bem mais altas quando tenho de falar com o meu colega que está em campo a apontar a algum erro", referiu o árbitro de 43 anos numa conferência sobre o VAR, realizada esta terça-feira na Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho.

Numa conversa que contou também com Luciano Gonçalves (presidente da APAF), Daúto Faquirá e Duarte Gomes, João Capela vincou ainda o caráter pioneiro que Portugal teve para a tecnologia do vídeo-árbitro. "O VAR é uma realidade que se vai manter. Portugal foi pioneiro e em dois meses decidiu avançar para esta tecnologia. Felicito a FPF pela coragem que teve em implementar esta ferramenta." O juiz da AF Lisboa salientou as principais dificuldades nas primeiras abordagens. "A maior dificuldade foi mudar as rotinas da arbitragem que tive durante 20 anos. Tive de aprender que tenho algo a que posso pedir ajuda. Fizemos uma formação muito intensa. Só a prática nos faz crescer."

João Capela referiu ainda que espera que o VAR continuará a ser uma ferramenta positiva no futuro para o futebol. "Tentamos sempre que as nossas decisões sejam as mais certas possíveis. É uma ferramenta que se for bem utilizada vai contribuir para um futebol mais positivo. Não vejo o futuro sem o VAR. Estamos muito satisfeitos e queremos continuar a desenvolver o projeto contribuindo de forma positiva para o futebol."

Sê o primeiro a comentar: