Portugal
"O Benfica não pode 'cortar as pernas' a ninguém", diz Vieira
2019-06-10 10:05:00
Vieira alerta para propostas que são feitas aos jogadores

Luís Filipe Vieira defendeu a importância da formação para os clubes portugueses e deu o exemplo do Benfica, salientando os casos de "Bernardo Silva, João Cancelo, Hélder Costa e Ivan Cavaleiro". Sobre João Félix, o presidente revelou acreditar que pode vir a ser Bola de Ouro.

Em entrevista à Renascença, o dirigente abordou o selo "made in Seixal", lembrando a influência de jogadores que passaram pela formação encarnada na conquista do 37.º título nacional e também da Liga das Nações.

"Não foi uma questão de teimosia, foi acreditar naquilo que se faz, e eu acredito muito naquilo que sou capaz de fazer, ou naquilo que me proponho fazer. Hoje é uma realidade e, felizmente, conseguimos fazer isso este ano. Já vinha do ano passado, de anos anteriores e assim sucessivamente. Começamos a formatar alguns jogadores que podem ser uma base de sustento", argumentou.

Ao longo de 19 anos, Luís Filipe Vieira recuperou "a credibilidade" do Benfica, que à data estava muito abalada.

"Não posso esquecer que até para comprar aparelhos de enfermagem tinha de pagar a pronto ou com um cheque visado. Se quisesse levar a equipa do Benfica para o hotel tinha de levar um cheque visado", lembrou.

Depois de tornar o clube "pujante", o dirigente insistiu na formação, vendo atletas como Bernardo Silva, João Cancelo, Nélson Semedo e Renato Sanches serem campeões nas principais ligas europeias.

"Qualquer um de nós tem de ter orgulho, porque se eles saíram, de certeza que era numa altura em que as finanças do Benfica também precisavam. Mas eles também estão felizes, de certeza", comentou.

"Por muita paixão que estes jogadores tenham pelo Benfica, e que têm, porque não há um jogador que diga mal do Benfica e todos sonham voltar, temos de entender que eles são profissionais e os números que se falam dentro do Benfica e os números que se podem falar lá fora são completamente diferentes. E o Benfica não pode 'cortar as pernas' a ninguém", insistiu Vieira.

"Dá-me um sentimento muito especial, para provar às pessoas que não era teimoso, que afinal estava dentro da razão", confessou o presidente do Benfica: "Posso dizer-lhe que foi o campeonato que mais gozo me deu conquistar, por tudo o que vivemos e também pelo treinador que foi, que é também formado no Benfica. Há seis anos disse que que a maioria dos jogadores do Benfica estariam na seleção portuguesa no futuro e é o que está a suceder. Chamaram-me de populista, mas não foi nada de populismo, nem demagogia".

O mais recente exemplo, salientou, foi a conquista da Liga das Nações, com "nove formados no Benfica e mais dois que passaram pelo clube" nos 23 convocados por Fernando Santos.

Um desses nove foi João Félix. Quando questionado se um jogador formado no Benfica poderá vir a ser Bola de Ouro num futuro próximo, o dirigente apontou o novo prodígio da Luz.

"Por que não? Pode acontecer com o João Félix. É um jovem muito bem estruturado. Com 19 anos e com o assédio que tem tido, mantém-se igual, na forma de vestir e conviver. Não se deslumbrou. Tem um futuro longo pela frente e será de topo mundial, será uma referência e não tenho dúvidas nenhumas", concluiu Luís Filipe Vieira.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa