Portugal
Boavista dominador vence Moreirense e aproxima-se da manutenção
2019-04-28 21:55:00
Axadrezados venceram por 3-1

O Boavista recebeu e venceu hoje o Moreirense, por 3-1, numa partida da 31.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol em que foi muito superior ao seu adversário e deu mais um passo importante rumo à manutenção.

O técnico ‘axadrezado’, Lito Vidigal, avisou que pretendia deixar a equipa numa "posição muito confortável" e foi isso mesmo que aconteceu, graças a uma exibição convincente ante um Moreirense, que já conheceu melhores dias neste campeonato.

O Boavista foi para este jogo no 14.º lugar, com 32 pontos, e saiu no 13.º lugar, com 35 pontos, ao passo que o Moreirense continua no quinto, com 49.

Obiora fez o 1-0 aos 26 minutos, de cabeça, no seguimento de um canto, Yusupha elevou para 2-0, aos 82, Falcone cabeceou para o 3-0 e Halliche atenuou os danos para os visitantes reduzindo para 3-1 já nos descontos.

O encontro começou em ritmo lento e com algumas cautelas defensivas do Moreirense, que alinhou com três defesas centrais, Iago Santos, Haliche e Ivanildl, e Arsénio e D' Alberto como laterais direito e esquerdo, respetivamente.

O Boavista deixou Yusupha só no ataque, com Mateus, Fábio Espinho e Gustavo Sauer um pouco mais atrás, tentou impor uma grande intensidade defensiva e apostou tudo em ataques rápidos, quase sempre pelos flancos, e foi desse forma que aos poucos causou problemas ao seu adversário.

Aos 24 minutos, Ivanildo cometeu falta perto da sua área e Rafael Costa encarregou-se da marcação do livre, o que fez com um remate forte à barra da baliza minhota.

O aviso ficou feito e o primeiro golo surgiu dois minutos depois, após um canto apontado por Gustavo Sauer quase como um remate e finalizado por Obiora, mesmo à boca da baliza, com um cabeceamento.

O esquema montado por Ivo Vieira ruiu nesse instante e o técnico mudou tudo aos 37 minutos, substituindo o central Ivanildo pelo extremo Heriberto, mas nem por isso o Moreirense melhorou o seu até então pobre rendimento ofensivo.

A equipa de Moreira de Cónegos nunca se deu bem com o futebol agressivo e pragmático do Boavista, sentiu muitas dificuldades no processo ofensivo, quase não tendo, aliás, criado lances de perigo junto à baliza de Bracali e muito menos de golo, e deu a sensação de ser uma equipa fisicamente esgotada

Ainda assim, o Moreirense entrou na segunda parte com uma atitude mais proactiva e conseguiu instalar-se no meio-campo defensivo do Boavista, mas sem lograr incomodar seriamente Bracali.

Nessa fase em que os visitantes tiveram mais bola, que durou cerca de 30 minutos, o Boavista correu alguns riscos porque recuou muito e pareceu ter desistido de atacar e optado por defender a magra vantagem alcançada na primeira parte e os três pontos.

A incerteza resolveu-se aos 86 minutos, quando Gustavo Sauer, uma das melhores unidades boavisteiras nesta partida, disparou uma ‘bomba’ e a bola foi à barra da baliza, tendo aproveitado a sobra para fazer o 2-0, acalmar a equipa e praticamente acabar com as dúvidas que subsistiam sobre o resultado final.

O Boavista fez por merecer esse golo, porque foi a equipa que mais fez por isso, e ainda chegou ao 3-0, pelo recém-entrado Federico Falcone, a dar sequência de cabeça a um livre de Bueno.

Halliche reduziu para 3-1 aos 90+3, mas este golo não serviu para limpar a fraca imagem que o Moreirense passou neste encontro, nem para tirar brilho ao justo triunfo boavisteiro.

Sê o primeiro a comentar: