Portugal
Benfica e Sporting à “bulha” por um ás do Poker... cheio de filhos
2018-12-08 19:00:00
Marca golos no relvado, mas não só.

Luiz Phellype, do Paços de Ferreira, é, segundo a imprensa desportiva, o alvo de Benfica e Sporting para o mercado de inverno, já depois de ter sido associado aos leões no verão. Quem é ele? Fomos saber.

O Bancada foi falar com Tiago Jogo, Renato Lopes e Agostinho Carvalho, todos ex-colegas. Temos, como o título do artigo indica, umas histórias com Poker e com uma catrefada de filhos. E começamos já por aqui. Tiago Jogo, atual médio do Felgueiras, cruzou-se com Luiz Phellype no Feirense. Ao Bancada, conta que o avançado brasileiro, de 25 anos, tinha boa mão para o Poker.

“Antes dos jogos, ele gostava de jogar Poker nas viagens, com o pessoal da equipa”, conta-nos, antes de definir Luiz Phellype: “É uma pessoa muito tranquila, que procura dar-se bem com todos os colegas”. A “boa onda” deste brasileiro nascido no em São Gonçalo de Sapucai – algures no meio de um triângulo entre Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte –  é inegável. Agostinho Carvalho, atualmente a jogar no Lusitânia de Lourosa, fala disso: “É uma pessoa tranquila e humilde”.

"Raramente falha a baliza"

Falar do homem é giro, mas falar do jogador é mais ainda. Vamos lá saber quem é, afinal, o avançado Luiz Phellype.

Renato Lopes, que se cruzou com Luiz Phellype no Beira-Mar, define o ex-colega como “um avançado lutador, que trabalha para a equipa e que finaliza muito bem”, numa visão assinada e detalhada por Agostinho Carvalho: “Uma das melhores virtudes é o remate: raramente falha a baliza e remata muito forte. Joga muito bem de costas para a baliza, também”.

Tiago Jogo aborda a qualidade técnica e na finalização, apontando, como defeito, a falta de velocidade. Luiz Phellype tem quase 1,90 metros e o registo goleador, não sendo impressionante, merece algum crédito. Já leva cinco golos em 11 jogos, pelo Paços, depois de uma temporada com 11 golos em 29 jogos, na Liga Portuguesa (até marcou ao Benfica, na Liga, e bisou frente ao FC Porto, na Taça da Liga). As passagens por Beira-Mar, Estoril, Feirense e Paços trazem, por um lado, a desconfiança num rapaz que tarda em afirmar-se, mas, por outro lado, trazem, também uma experiência de futebol português que já deu coisas assim:

Créditos: Youtube/Slworldteamportugal

Isto chega para ter “pedigree” para um dos grandes do futebol nacional? Para os ex-colegas, chega e sobra. Agostinho Carvalho garante que Luiz Phellype “é um jogador de equipa grande e vamos ouvir falar dele muitas vezes”, enquanto Renato Lopes diz mesmo que “só se não quiser é que Luiz Phellype não se afirmará num dos três grandes”.

Marcar golos no relvado... e não só

A terminar, a tal historinha dos filhos. Perguntámos a Tiago Jogo uma curiosidade sobre Luiz Phellype que lhe viesse à cabeça. A resposta trouxe… procriação.

“Na altura em que joguei com o Luiz, brincávamos com ele pelo facto de ser novo – tinha 21 anos – e já ter três filhos no Brasil”.

Sê o primeiro a comentar: