Portugal
Belenenses pode deixar de jogar no Estádio do Restelo numa 'guerra' sem fim
2018-05-27 11:00:00
O clube acusa a SAD de "falta de comparência" às negociações para se chegar a um acordo para a cedência do recinto

O Belenenses pode estar de saída do Estádio do Restelo, aquele que foi a casa dos azuis nos últimos 62 anos, mais concretamente desde 1956. Os órgãos dirigentes do clube Os Belenenses e da SAD não conseguem entender-se. O conflito entre as duas estruturas dirigentes já vem de longe mas extremou-se agora ao ponto da rutura poder acontecer. Os valores pedidos pelo clube para a cedência do Estádio do Restelo foram considerados exacerbados pela SAD, que já procura alternativas, no caso de não se chegar a um acordo. Por sua vez, a Comissão de Negociações do clube, em comunicado, acusa a SAD de "falta de comparência" às negociações.

A confirmar-se a rutura, o plantel orientado por Silas tem de abandonar as instalações do Restelo até ao próximo dia 30 de junho. Entre as opções que a SAD do Restelo está a analisar para a equipa poder jogar, e treinar, há três situações em cima da mesa. O Estádio Nacional é a hipótese mais forte, mas além do Jamor a SAD dos azuis analisa também mais duas hipóteses: o Estádio Municipal de Leiria e o de Rio Maior, no distrito de Santarém.

Recorde-se que toda esta situação decorre da última Assembleia Geral extraordinária do clube, na qual os sócios votaram a denúncia do protocolo que medeia as relações entre o clube e a sociedade anónima, e que terá como principal consequência a saída da equipa profissional do Estádio do Restelo.

Entretanto, num comunicado emitido este sábado pela comissão de negociações do clube, presidida por Pedro Pestana Basto e Henrique Abecasis, é explicada toda a situação. "Desde Novembro de 2017 que o Belenenses manifestou à SAD a necessidade de serem revistas as condições de utilização do Estádio do Restelo. Em 2 de Fevereiro de 2018, numa das mais participadas Assembleias Gerais do Belenenses, os sócios aprovaram (84% dos votos) o fim das atuais condições de utilização em 30 de Junho de 2018; a vontade de serem acordadas novas condições a partir dessa data; e designou uma Comissão de Negociação composta pelos Presidentes da Mesa da Assembleia Geral e do Conselho Geral. No seguimento dessa Assembleia Geral o Belenenses remeteu à SAD uma proposta concreta para a utilização do Estádio do Restelo na próxima época desportiva e deixou claro que aguardava uma resposta, no quadro de negociações. Ainda que tenha informado que iniciaria negociações (primeiro para Março, depois para Maio), a SAD não deu seguimento ao processo e tem deixado vazias as convocatórias para início das mesmas que, nesse sentido, lhe foram dirigidas. Assim, até à data, não se trata de uma situação de 'falta de entendimento' mas, antes disso, de 'falta de comparência'", pode ler-se no dito comunicado. 

A Comissão de Negociações, mandatada pelos sócios do Belenenses, garante, porém, estar disponível para acordar, com a SAD, as condições de utilização do Estádio do Restelo durante a próxima época. Mas deixa o aviso: "se isso não suceder, não será por desinteresse do Clube de Futebol 'Os Belenenses'".

Presidente da SAD fala de "vingança ao nível de garotos"

O presidente da SAD do Belenenses, Rui Pedro Soares, recorde-se, antes da assembleia geral acusou o líder do clube do Restelo, Patrick Morais de Carvalho, de querer expulsar a equipa profissional de futebol do Estádio do Restelo e assegurou não ceder "a chantagens" perante o anunciado término do protocolo existente. E fez uma comparação. "Ser agora expulso do Estádio do Restelo é uma atitude de vingança ao nível dos garotos que acabam com os jogos nos recreios das escolas porque naquele dia a bola é deles", referiu então Rui Pedro Soares, considerando "absurdas" as propostas apresentadas à SAD por Patrick Morais de Carvalho, como "uma gestão do relvado de jogo semelhante ao alojamento local ou à cedência de espaços em associações recreativas ou amadoras, que nenhuma equipa da II Liga aceitaria".  Rui Pedro Soares disse mesmo que, caso a equipa seja obrigada a jogar fora do Estádio do Restelo, o mesmo ficará "no estado de degradação em que está a piscina" do complexo.

Bancada tentou obter a reação do presidente da SAD ao comunicado da Comissão de Negociações, mas não obteve resposta.