Portugal
Aves mais perto da manutenção com triunfo sobre o Belenenses
2019-04-27 22:25:00
'Turma' de Inácio venceu por 3-0

O Desportivo das Aves recebeu e venceu hoje o Belenenses, por 3-0, beneficiando de duas grandes penalidades, e dau um passo importante rumo à permanência na I Liga de futebol, em jogo da 31.ª jornada.

Num jogo equilibrado, as bolas paradas acabaram por fazer a diferença, com Rodrigo a inaugurar o marcador para o Aves, aos 60 minutos, num lance em que Derley pareceu partir de posição irregular antes de ser carregado na área do Belenenses por Muriel, uma das figuras do jogo. Falcão, também da marca dos 11 metros, fez o segundo, aos 78, antes de o suplente Rúben Oliveira, aos 90, anotar o terceiro, fixando o resultado final.

Com este triunfo, o Aves ascendeu provisoriamente ao 10.º lugar, com os mesmos 36 pontos do Portimonense, ambos praticamente a salvo da descida, batendo o anterior recorde de pontos da equipa na I Liga (34), enquanto o Belenenses mantém 40 e o sétimo lugar, ficando definitivamente afastando da luta pelo quinto lugar.

Os locais tinham mais a ganhar no jogo, mas em nenhum momento os pupilos de Inácio arriscaram mais do que o necessário: fiel ao modelo em que mais se sente confortável, o Aves deu a iniciativa do jogo ao adversário, procurando explorar as transições.

O desenho tático do Belenenses, no entanto, privilegiava os lançamentos em profundidade para Licá, sobretudo, ou Keita, minimizando as recuperações de bola avenses capazes de ‘alimentar' a velocidade de Mama Baldé ou Luquinhas, apoios diretos de Derley.

Baldé, como de costume, foi o elemento do Aves mais perigoso, não acusando o amarelo precoce, aos três minutos, que o tira do jogo no Dragão, na próxima jornada - acontece o mesmo com Falcão –, sendo dele a assistência para Derley, aos cinco, obrigar Muriel a mostrar serviço.

O camisola 50 avense esteve também envolvido no lance de grande penalidade que o videoárbitro, bem, corrigiu para livre, por mão de Kiki Afonso na bola, e, na sequência do lance, anular, em mais uma decisão correta, o golo do Aves, por posição irregular.

A posse de bola do Belenenses era quase sempre inconsequente na criação de desequilíbrios, com exceção para um remate frontal de Matija, aos 13 minutos, e outro, bem mais perigoso, de Licá, aos 28, ao receber nas costas de Ponck um lançamento em profundidade de Dálcio. Valeu, neste caso, atenta intervenção de Beunardeau, ainda assim aquém da defesa de Muriel ao pontapé acrobático do avense Galo, aos 38 minutos, após lançamento lateral.

O Belenenses até surgiu mais adiantado e atrevido após o intervalo, mas uma recuperação de bola defensiva de Luquinhas, aos 57 minutos, potenciou uma transição perfeita do Aves, com a bola a chegar a Derley, adiantado, que seria, depois, derrubado por Muriel na área do Belenenses, num lance em que o vídeoárbitro, desta feita, não corrigiu. Rodrigo converteu a respetiva grande penalidade e inaugurou o marcador.

Licá ainda ameaçou o empate, de cabeça, aos 63 minutos, mas uma intervenção precipitada de Matija, aos 77, acabou com as aspirações do Belenenses, com a entrada faltosa sobre Mama Baldé a ser castigada com nova grande penalidade, agora convertida por Falcão, que faria brilhar Muriel, aos 83, com um ‘tiro' de longe.

Antes do apito final, em mais uma transição rápida, Rúben Oliveira isolou-se e fixou o resultado final, num castigo demasiado pesado para um Belenenses sem vencer nos últimos sete jogos.

Sê o primeiro a comentar: