Portugal
"Arbitragem e VAR ao serviço da 'competitividade do futebol português'?"
2020-02-09 15:30:00
Benfica reage com uma pergunta à arbitragem do clássico, numa nota à comunicação social

Numa extensa nota à comunicação social, o Benfica tece duras críticas à arbitragem do jogo de ontem, diante do FC Porto, considerando que "a verdade desportiva foi ontem claramente desvirtuada".

Os encarnados apontam o dedo a "diversas decisões da equipa de arbitragem e do VAR com influência direta no jogo e no resultado".

"Uma atuação que merece a mais veemente das denúncias, nas mais diversas instâncias porque o que se passou é tão amplo e grave que nada melhor do que ser acompanhado de um minucioso guião com as imagens e os factos que provam de forma inequívoca o que afirmamos", realça a mesma nota, difundida à momentos.

O Benfica elenca uma série de lances que, de acordo com a visão encarnada, mereceriam ações disciplinares. Consideram que há "dualidade de critérios", na mostragem de cartões amarelos, e garantem que vão pedir a despenalização do cartão mostrado a Weigl, "num lance em que nem sequer tocou no adversário".

"Consequência prática destes erros o condicionamento bem cedo da atuação da equipa do Benfica, ao mesmo tempo que se fechava os olhos às sucessivas entradas faltosas dos jogadores do FC Porto", prossegue o comunicado.

"Mas o pior estava guardado para o minuto 35. A marcação de uma grande penalidade a favor do FCP por árbitro e VAR que não quiseram ver o que todas as imagens mostram. A falta nítida de Soares, que agarra a camisola e empurra Ferro", pode ler-se.

O Benfica lança uma sugestão e "o desafio", para "que se tornassem públicas todas as imagens existentes na Cidade de Futebol sobre este lance".

"Convidamos todos a ver as imagens, vejam com a devida calma. Uma imagem que exemplifica a total subserviência e um fechar de olhos inexplicáveis sobre o que estava à vista de todos. A brutal agressão a soco de Pepe a Taarabt de frente para o árbitro, com este a ver, e que nem ele nem o VAR assinalam. Lance para clara expulsão", consideram.

Para o Benfica, esses lances resumem "a total impunidade, a subversão de todas as regras e leis de jogo e a impossibilidade de invocarem que não viram".

O clube da Luz critica também que, ao minuto 66, Vlachodimos seja admoestado com cartão amarelo "depois de levar com bolas de golfe vindas da bancada e de as mostrar ao árbitro".

"Sabe-se lá, talvez punido por denunciar a situação. Ao mesmo tempo que Luís Gonçalves pressiona de forma veemente e à vista de todos o quarto árbitro perante a complacência total do árbitro. Imaginem se fosse ao contrário o que aconteceria", apontam ainda os campeões nacionais.

A nota destaca ainda um alegado festejo de Pepe com o quarto árbitro: "No fim uma imagem que ficará para sempre, que diz tudo sobre o vale-tudo que foi este jogo: Pepe com o quarto árbitro no colo a festejar"

"Mas, quando pensávamos já ter visto tudo, qual a nossa surpresa quando lemos no Record, com base numa fonte da Federação, que no final do jogo Rui Costa, Tiago Pinto e Bruno Lage teriam felicitado o árbitro pela sua atuação. Informação totalmente falsa e rapidamente desmentida, porque o que aconteceu foi apenas que, quando o árbitro se cruzou e fez questão de cumprimentar aqueles responsáveis do SLB, se limitou a existir um breve cumprimento de "boa noite". Esta tentativa grotesca e falsa de branqueamento reforça ainda mais as suspeitas sobre critérios de nomeação difíceis de entender", critica o Benfica.

Para o emblema lisboeta, as incongruências começaram com "as nomeações para árbitro e VAR",  que são "incompreensíveis". "Basta ver o historial de atuações de Artur Soares Dias em jogos do FC Porto, depois da invasão do centro de treinos de árbitros na Maia", salientam.

Também "difícil" é "entender a nomeação de Tiago Martins para VAR, depois da recente polémica sobre a alegada agressão com uma moeda de cinco cêntimos".

"Tiago Martins que, com todas as câmaras ao seu dispor, não conseguiu ver as agressões de Marega e Pepe e a falta de Soares sobre Ferro", acusam.

"Muito se falou sobre a importância deste jogo e o que ele poderia representar no fim de um ciclo de anos e anos de domínio, compadrio, consolidação de um ambiente de pressões e ameaças tão bem ilustrados nos lamentáveis insufláveis ontem exibidos na via pública. A conivência e passividade perante tudo o que se passou antes, durante e após o jogo, o fechar de olhos às agressões, os erros com direta influência no resultado, a nomeação perfeita e a mentira da fonte da Federação denunciam e colocam a nu a tentativa desesperada de tudo ser feito para a exemplo do que acontece há décadas se influenciar e desvirtuar a verdade desportiva", acusa o Benfica.

Por fim, uma questão que os encarnados colocam: "Será que o que aconteceu ontem foi uma arbitragem e um VAR ao serviço de uma pretensa "competitividade do futebol português" que tantos pugnaram ao longo desta semana e assim beneficiando o FC Porto?"

"Assim, face ao histórico das constantes insinuações, ameaças, coações, pressões e suspeitas sobre as equipas de arbitragem, como pudemos constatar ainda esta semana, por parte de diversos responsáveis do FC Porto e em nome da preservação da verdade desportiva, apelamos à Liga Portugal e à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que tomem as medidas adequadas e diligenciem no sentido de nomearem árbitros estrangeiros internacionais para todos os jogos do Benfica e FC Porto até ao final desta época”, conclui o comunicado.

Tags: