Portugal
António Oliveira diz que o futebol foi conduzido "para o risco do precipício"
2020-05-15 11:45:00
Ex-selecionador critica quem continua, em tempo de pandemia, “a viver do futebol”

O antigo selecionador nacional, António Oliveira, deixa críticas aos dirigentes que, em tempo de pandemia, continuam “a viver do futebol” e a destruí-lo com “inúmeras cumplicidades”.

Em artigo de opinião no jornal A Bola, o antigo selecionador nacional e antigo treinador do FC Porto lamenta que vários responsáveis continuem a beneficiar “da produção e talento dos jogadores”.

“Quem cria a riqueza não pode ser prejudicado enquanto outros a usufruem sem mérito. A credibilidade de muitos dirigentes está colocada em causa”, afirmou António Oliveira.

Admitindo que o futebol vai ter de construir um novo modelo para combater “erros e despesas a níveis incomportáveis", Oliveira pede responsabilidades aos organismos nacionais e internacionais.

Ao mesmo tempo, o antigo selecionador diz que o futebol foi conduzido “para o risco do precipício” e refere dois problemas que têm de ser resolvidos com urgência.

“Legislação omissa ou não cumprida conduziu o futebol para o risco do precipício. Reformular com competência e penalizar experimentalismos estranhos passam a estado de emergência”, salientou.

Indicando que os últimos tempos foram marcados por “uma imagem sem limitações económicas” e por transferências com valores impensáveis, António Oliveira deixa um conselho para a direção do FC Porto.

“Ao renovar organização com estratégia inovadora e ao apostar ainda mais na formação, assegura a estabilidade e o futuro mais sustentado”, concluiu.