Portugal
Ameaça de tiro no joelho é passado e Paulo Assunção declara-se ao FC Porto
2020-01-21 16:55:00
Antigo centrocampista faz juras de amor aos portistas e indica reforço

Na altura da saída do FC Porto para o Atlético de Madrid, Paulo Assunção acabou por gerar desagrado entre os adeptos portistas por não renovar contrato. Na ocasião, o próprio admitiu que foi "ameaçado com um tiro no joelho por adeptos".

Apesar dos anos que passaram, e pela forma como saiu, embora não volte ao tema, Assunção diz que há uma ligação que ainda se mantém com o emblema portista. 

Em entrevista à 'A Bola TV', o ex-médio diz que foi "ali [no FC Porto] que começou tudo".

"Eles abriram-me as portas, fui campeão, tenho muitos amigos. Lembro-me do Fernando Santos, cheguei novinho e ainda treinei nas Antas", recordou Paulo Assunção dos tempos em que jogava de azul e branco vestido.

Em 2009, Paulo Assunção confessava à 'RTP' que decidiu não renovar contrato com o FC Porto após ser ameaçado.

"Estávamos em conversações para renovar em abril. Saí do Olival [centro de estágio do FC Porto, em Gaia] e vieram cinco indivíduos e disseram-me que se não renovasse até quarta-feira levava um tiro no joelho. Eu expliquei que as coisas não são assim. Depois, saí dali e fui directo à polícia, enquanto eles me perseguiam de carro", revelou Paulo Assunção, numa entrevista ao canal público.

Passados vários anos, o ex-centrocampoista faz juras de amor ao emblema da Invicta e até revela que gostava de ver o filho Gustavo Assunção, do Famalicão, a jogar no FC Porto.

"O Gustavo tem a carreira dele. Seria bom ele jogar no FC Porto", explica o antigo centrocampista azul e branco.

O filho Gustavo, que fez formação no Atlético Madrid, joga de azul e branco mas em Famalicão, onde tem sido uma das figuras da equipa sensação do campeonato.