Portugal
“Alcochete foi uma loucura. Foram cinco minutos que não desejo a ninguém”
2020-03-25 22:15:00
O futebolista recordou um dos dias mais negros da história do Sporting

O médio do Sporting, Battaglia, recordou, em entrevista à rádio argentina ‘Ataque Futbolero’, o dia 15 de maio de 2018, momento em que os jogadores e equipa técnica do clube leonino foram atacados por um grupo de adeptos na Academia de Alcochete.

Para o internacional argentino, esse dia em Alcochete foi “muito pesado e uma loucura”, esperando nunca mais passar pelo mesmo.

Nós tínhamos de ganhar o último jogo [contra o Marítimo] para entrar na Liga dos Campeões e não ganhámos. Eles zangaram-se por isso. Confrontaram-nos no aeroporto e nós defendemo-nos. Uns dias depois estavam no balneário a insultar-nos e a bater-nos. Foram cinco minutos que não desejo a ninguém. Espero que não volte a acontecer nunca”, afirmou Battaglia.

Battaglia, que na mesma entrevista falou sobre a “luta” entre Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, abordou quais são os objetivos a curto prazo.

“Obviamente que tenho a ambição de conseguir o campeonato nacional pelo clube e também voltar à seleção argentina”, confirmou.

O centrocampista de 28 anos chegou a Portugal em 2013 para representar o SC Braga, tendo depois passagens pelo Moreirense e Desportivo de Chaves.

Desde 2017 ao serviço do Sporting, Battaglia agradece o período passado nesses emblemas.

“Hoje em dia estou agradecido por tudo isso. Estou a desfrutar este momento porque estou num clube grande, que me permitiu jogar a Liga dos Campeões”, comentou.

Em quarentena, tal como os restantes jogadores do Sporting, o argentino falou sobre como tem passado estes últimos dias em casa devido ao surto do Covid-19 em Portugal.

“Estamos fechados há praticamente uma semana e meia, tentando passar o tempo, a fazer treinos on-line, mas é sempre complicado. Esperamos que este momento passe rápido para todo”, concluiu.