Portugal
A "Happy Hour" do Santa Clara chegou com Fernando Andrade
2018-10-05 20:35:00
Mais oportunidades de golo. Mais remates, mais remates enquadrados à baliza. A vitória assenta bem aos açorianos

Mais oportunidades de golo. Mais remates (12/8), mais remates enquadrados à baliza (4/2). O Santa Clara, que nem precisou de ter mais posse de bola (44/56), ganhou bem ao GD Chaves e viu premiada a maior apetência pela baliza adversária ao logo do duelo com os flavienses já um pouco tarde, aos 73 minutos, e por uma ação individual de Fernando Andrade, um avançado brasileiro que vai no terceiro tento pelos insulares e aparenta ser um jogador acima da média nesta equipa de João Henriques que soma 14 golos no presente campeonato, o quarto melhor ataque da I Liga.

O Santa Clara entrou forte, assumindo as rédeas do jogo e a chegar com facilidade à área adversária. Com apenas dez minutos de jogo, o guarda-redes do Chaves Ricardo já tinha sido obrigado a duas intervenções de risco. Na primeira, a evitar um autogolo de Paulinho; na segunda a travar um remate forte de Bruno Lamas. A equipa de Daniel Ramos encontrou no início do jogo muitas dificuldades na fase de construção perante um adversário mais objetivo, só com olhos para a baliza contrária e a fazer pressão alta.

O GD Chaves é uma equipa que gosta de ter bola, mas sem ela deixou a nú fragilidades que o Santa Clara explorou sobretudo pelas faixas laterais. Foram 20 minutos de domínio completo dos açorianos, até o meio-campo do Chaves assentar ideias e, sobretudo Eustáquio, a conseguir ter mais bola. O Chaves cresceu com bola, respirou melhor e equilibrou o jogo. O Santa Clara deixou de criar perigo. O lance mais perigoso dos flavienses, no entanto, só surgiu ao minuto 42 e por culpa do relvado com o guardião Marco a ser quase traído pelo próprio relvado. O remate de Perdigão parecia inofensivo, mas a bola bateu no campo e subiu em direção à baliza. O guarda-redes esticou-se e conseguiu afastar para canto. Quando o intervalo chegou, a equipa flaviense já tinha mais posse de bola (53/47), mas as melhores oportunidades tinham sido do Santa Clara que teve o dobro dos remates do adversário (6-3).

No reatamento, o filme da primeira parte repetiu-se. O Santa Clara voltou a entrar determinado, pressionante e instalado no meio-campo adversário. Aos 59 minutos, Ricardo voltou a ser chamado a intervir e evitou o golo após um remate cruzado de Pineda. A partir deste lance, o GD Chaves voltou a ter mais bola, a roubar espaços ao adversário para ter a bola, mas faltou-lhe sempre o que fazer com ela, ser mais objetivo. Até que veio a "happy hour" do Santa Clara, com Fernando Andrade como protagonista principal. O avançado brasileiro foi por ali fora, qual cavalo à solta, entrou na área e disparou cruzado e forte.

Em desvantagem, Daniel Ramos trocou um central (Maras) por um avançado (André Luís) e arriscou nos minutos finais para chegar ao empate. Mesmo com esta alteração, o Santa Clara continuou a ser mais perigoso, agora em transições rápidas que, com Fernando outra vez na berlinda, poderiam ter resultado no segundo golo da equipa da casa que com este triunfo, o segundo consecutivo na I Liga, sobe, à condição, ao sexto lugar.