Revista de Imprensa
Uma noite marcada por dois regressos: o de Bas Dost e o do Sporting à luta
Fernando Gamito
2018-03-13 09:20:00
Os destaques da imprensa desportiva nesta terça-feira.

Eles estão de regresso. O Sporting foi o último dos três grandes a entrar em campo e o triunfo sobre o GD Chaves (2-1) na segunda-feira, reduziu para cinco os pontos de distância do conjunto leonino para o líder FC Porto e para três em relação ao Benfica. A turma de Jorge Jesus voltou, assim, a entrar nas contas do título, graças ao regresso de alguém que fez muita falta ao ataque da equipa enquanto esteve ausente por lesão, ou seja, Bas Dost, claro está. É com base na vitória do emblema de Alvalade que se fazem os destaques da imprensa desportiva de hoje.

Primeiro que tudo, já que é o tema aqui em foco, fique aqui com a crónica do GD Chaves-Sporting no Bancada, que esteve a cargo do jornalista José António Oliveira. Na imprensa desportiva, foi também Bas Dost quem mereceu o principal mérito. "Olha quem voltou", escreveu A Bola, aludindo ao retorno do holandês com dois golos que colocaram os leões de novo na corrida ao título. "Leão voltou", foram as palavras redigidas pelo Record, com Dost a relançar o sonho do campeonato. Para o jornal O Jogo foi "Dost e pronto" no triunfo leonino.

Jorge Jesus reagiu à vitória com queixas à grande penalidade assinalada pela equipa de arbitragem contra o Sporting, já na reta final da partida. "Nem foi preciso VAR… Contra o Sporting é fácil marcar penáltis", salientou o timoneiro leonino. Ainda no capítulo das palavras, Luís Castro também lançou o repto e deixou um testemunho que merece ser lido e que espelha bem aquilo que se vive em pleno futebol português nos dias que correm. O técnico dos flavienses deixou duras críticas à lei dos emprestados e lamentou o clima de suspeição que se vive no desporto rei no nosso país.

No universo do FC Porto, o destaque vai para o rescaldo ao primeiro desaire azul e branco na Primeira Liga, ocorrido no domingo diante do FC Paços de Ferreira (a crónica do encontro no Bancada, assinada pelo António José Oliveira). Logo após o jogo, Sérgio Conceição rejeitou cumprimentar João Henriques, técnico dos pacenses, e trocou duras palavras com o colega de profissão. Foram lançados rumores de que Conceição teria cuspido em Henriques, situação desmentida pelo timoneiro dos castores. O presidente do Paços de Ferreira, por seu turno, lançou críticas ao treinador do FC Porto. Logo após a partida, Conceição criticou o tempo útil de jogo na Capital do Móvel e o Bancada aproveitou para analisar ao pormenor essa mesma estatística e compará-la com os minutos em que a bola rolou sem parar no Paços-Benfica e no CD Tondela-Sporting, também dois jogos em que os grandes ficaram a perder desde cedo. O resultado demonstrou que a derrota do FC Porto com os pacenses teve menos quatro minutos que os outros dois duelos.

No Benfica, o destaque vai para a ausência de Jonas da convocatória da seleção brasileira, com o selecionador Tite a preterir o avançado do Benfica das escolhas. Willian José, da Real Sociedad, foi uma das novidades para o setor ofensivo da canarinha e o Bancada cruzou os dados entre os dois atacantes, de forma a apurar os possíveis motivos para a opção do selecionador. Ainda nos encarnados, o Record dá conta de que as prestações de Rafa fazem temer o regresso de Salvio ao onze assim que supere a lesão. A publicação salienta ainda o desmentido das águias em relação a uma possível contratação do treinador Marco Silva. O jornal A Bola, por seu turno, avança que a defesa do Benfica vale 13% dos golos da equipa, sendo que Rúben Dias é quem mais se destaca na área contrária, com três golos.

Sê o primeiro a comentar: