Prolongamento
SL Cartaxo: do fim anunciado ao objetivo Segunda Liga e a Câmara que não se mexe
Sérgio Cavaleiro
2018-02-12 21:30:00
Faustino Gomes investiu forte no SLCartaxo e queria ver o clube nos campeonatos profissionais, mas tem tido um obstáculo

O projeto idealizava uma ascensão que ia levar o SL Cartaxo da distrital aos campeonatos profissionais. Era isto ou nada. O clube da Associação de Futebol de Santarém estava falido e preparava-se para acabar com a equipa de seniores… até que surgiu Faustino Gomes, o empresário que tem investido no clube, mas que já pensou várias vezes em desistir. É que, segundo Faustino, a Câmara Municipal do Cartaxo está a atrasar o processo da criação da SAD. Consequências? Não há dinheiro para pagar a jogadores e equipas técnicas, como confirmou, ao Bancada, Wilson Teixeira, o treinador que iniciou a época e que saiu de Cartaxo com as mãos a abanar: “Nem um euro vi, dos quatro mil e tal que me deviam.”

Até ao momento da publicação deste artigo, o Bancada tentou, insistentemente, contactar a Câmara Municipal do Cartaxo, mas sem sucesso. Queríamos perceber o que atrasa a formação da SAD que, de acordo com Faustino Gomes, tudo mudaria nas questões do dia-a-dia que estão a afetar o clube e que muitas vezes fizeram o empresário pensar em desistir dos planos que idealizou para o SL Cartaxo. “Pensei em desistir. Se eu não tivesse amor ao clube e à cidade já tinha desistido disto. Já investi muito dinheiro e não vejo a SAD concluída. Não tem cabimento isto. Está tudo do lado da Câmara e eles não se mexem”, desabafou Faustino em conversa com o Bancada.

Conhece Umaro Baldé? Aquele jogador que Bruno de Carvalho disse que não vendia pelos 20 milhões que o West Ham ofereceu por William Carvalho. Ou sabe quem é Jefferson Encada? O vertiginoso extremo que está emprestado pelo Sporting ao Olhanense e que fez a cabeça em águas aos defesas do Benfica na partida que ambas as equipas disputaram para a Taça de Portugal, já esta temporada. Pois bem. Estes são alguns dos jogadores na carteira de Faustino Gomes e o objetivo do empresário era usar algum do seu conhecimento e contactos para tentar formar uma equipa competitiva e que fosse capaz de promover o SL Cartaxo ao Campeonato de Portugal já esta temporada. Mas na prática as coisas não têm corrido como planeadas.

A não conclusão do processo de formação da SAD, iniciado em julho passado, “tem dificultado a vida ao clube”, garante Faustino Gomes, que não tem conseguido cumprir com os compromissos assumidos perante os jogadores e equipas técnicas. O Bancada contactou Wilson Teixeira, o treinador que iniciou o projeto de Faustino Gomes, mas que deixou o clube três meses após a sua chegada ao Cartaxo. Wilson revelou-nos que se via abordado quase diariamente pelos seus jogadores com os mais diversos pedidos. “Os jogadores não recebiam e pediam-me coisas quase todos os dias. Era pasta de dentes. Era gel para o cabelo”, contou. As coisas não estavam fáceis de gerir, portanto.

O plantel do SL Cartaxo no início da temporada 2017/18 (foto: jornal O Mirante)

 

A equipa técnica liderada por Wilson Teixeira também não recebeu pelos meses de trabalho à frente da equipa. “Nem as despesas que nós tínhamos diariamente para ir de Lisboa ao Cartaxo. Nada. Não vi nem um euro dos quatro mil e tal que me ficaram a dever”, explicou o atual treinador do AD Carregado que se viu afastado do projeto ao fim de apenas quatro jornadas. Confrontado com esta situação, de incumprimento salarial, Faustino Gomes voltou a apontar o dedo aos responsáveis da Câmara Municipal do Cartaxo. Aliás, segundo o empresário, a Câmara é o único motivo pelo qual as coisas no clube não estão a correr como planeado e a equipa longe dos lugares de subida

“Há falta de pagamentos porque a SAD não está criada e assim sendo que tem de pagar é o clube. E o clube não tem dinheiro para pagar”, explicou Faustino que acrescentou: “O que está a causar todos estes problemas é o atraso da Câmara. Não conseguimos finalizar o processo de criação da SAD o que tem prejudicado o clube”, reiterou Faustino Gomes que diz ser o único sustento do SL Cartaxo: “Quem pagou as inscrições do clube e dos jogadores fui eu. Do meu bolso. Eu tenho 90 por cento da SAD e não tem sido fácil”, lamentou o empresário guineense que reconhece que os resultados desportivos estão muito aquém do pretendido.

“O objetivo do meu investimento, que foi de 150 mil euros este ano, era lutar pela subida e só não estamos em primeiro lugar por causa desses problemas todos. Este fim-de-semana ganhámos por 2-0 e se não fossem os atrasos da Câmara estaríamos nos lugares de cima da tabela se tivéssemos concluído a SAD a tempo e horas, está a perceber? A Câmara tem atrasado tudo isto”, reforçou Faustino Gomes. Mas será que a nível desportivo as coisas estão a ser feitas da melhor maneira? Os relatos revelam um corrupio de entrada e saída de jogadores desde que o empresário chegou ao SL Cartaxo.

Diogo Martins é um dos poucos jogadores formados no clube que resistiu à enorme razia que se verificou no plantel relativamente à época transata. O defesa revelou ao Bancada que “apenas sete jogadores permaneceram da época anterior” e que desde o início da temporada a entrada de jogadores tem sido uma constante: “Desde agosto até início de janeiro foram sempre muitos jogadores a chegarem trazidos por empresários”, revelou. Facto corroborado por Wilson Teixeira, que revelou ao Bancada ter recebido jogadores em catadupa trazidos por Faustino Gomes: “Todas as semanas chegavam três ou quatro jogadores novos e sempre com aquela pressão de os colocar a jogar e isso ia contra as minhas ideias. Mas ia conseguindo gerir a situação nesse aspeto.”

Os problemas não se ficam pelo excesso de jogadores, alguns deles de muita pouca qualidade, como nos contou Wilson. O treinador revelou ao Bancada que se viu privado de quatro dos seus melhores jogadores por questões burocráticas. “Tinha lá quatro jogadores brasileiros que eram muito bons, mas quando começou o campeonato não os pude utilizar porque o investidor se atrasou com a papelada dos jogadores”, lamentou. Questionado pelo Bancada, Faustino Gomes voltou a apontar o dedo à Câmara Municipal do Cartaxo por estar a adiar o processo de formação da SAD.

“A SAD não está concluída. É normal que alguns jogadores se vão embora, outros não têm vontade de lá estar. Está a perceber? Sem SAD eles não recebem e sem a Câmara avançar com o processo não há SAD”, explicou Faustino que contou ao Bancada que tinha uma reunião marcada com o presidente da Câmara na passada sexta-feira mas que acabou por ser cancelada por problemas de saúde do autarca: “O meu advogado era para ter ido a uma reunião na sexta-feira passada, mas o presidente da Câmara ficou doente. Agora estamos à espera que o presidente fique bom para concluirmos o processo. Mas tudo isto tem prejudicado muito o clube”, voltou a referir.

Mas afinal o que falta da Câmara Municipal do Cartaxo?

“Falta termos reuniões. Acertar a utilização do estádio, o tempo, os valores que a SAD vai pagar à Câmara para poder utilizar o estádio e faltam mais alguns detalhes que tínhamos já acertado com a Câmara numa reunião que tivemos. Depois enviaram-nos um documento com nada do que tínhamos acertado”, explicou Faustino Gomes que acrescentou: “Os contratempos são todos originados pela Câmara. É um processo que poderíamos ter finalizado há já muito tempo. Começamos o processo em julho e até agora não conseguimos concluir a formação da SAD.”

Atualmente o grupo de trabalho é liderado por Abel Silva, antigo lateral do Benfica e campeão do Mundo de sub-20 em Riade. Os resultados da equipa continuam inconstantes e a distância pontual, que separa o SL Cartaxo dos lugares que permitem pensar numa subida ao Campeonato Portugal, é considerável. O Cartaxo está a oito pontos do segundo classificado e tem para amostra, nas 16 jornadas já realizadas, sete vitórias e sete derrotas. O investimento de Faustino Gomes pode não ter retorno no imediato, pelo menos no plano desportivo e as dificuldades encontradas no plano burocrático já fizeram o empresário pensar em desistir.

“Eu já pensei em desistir. Quem investe o que eu já investi e não vê o processo avançar pode perder a motivação. Só não desisti ainda por amor ao clube e à cidade. O SL Cartaxo ia deixar de ter equipa sénior se eu não entrasse no clube.”

Sê o primeiro a comentar: