Prolongamento
O primeiro dia do resto da vida do Sporting
António José Oliveira
2018-09-07 22:30:00
Sócios decidem este sábado o sucessor do primeiro presidente destituído da história do clube de Alvalade

“O primeiro dia”. A letra da canção do músico e compositor Sérgio Godinho, por sinal um ilustre sportinguista, adapta-se na perfeição ao momento vivido pelo Sporting que enfrenta este sábado um dos dias mais importantes dos 112 anos de história depois da inédita destituição de um presidente, decorrente dos incidentes verificados na Academia de Alcochete, naquela que foi a  página mais negra da vasta e rica vida leonina.

São os seis os candidatos a liderar o clube já a partir do próximo domingo, dia 9, mas chegaram a ser muitos mais: Bruno de Carvalho e Carlos Vieira viram-se forçados a abdicar da corrida em virtude da suspensão de associados do clube de Alvalade, tendo o último desistido a favor de Dias Ferreira, enquanto Zeferino Boal deixou cair a respetiva candidatura assumindo um lugar de vice-presidente na lista de José Maria Ricciardi. A última desistência foi a de Pedro Madeira Rodrigues, agora também apoiante do banqueiro.

João Benedito, José Maria Ricciardi, Frederico Varandas, Rui Jorge Rego, Dias Ferreira e Fernando Tavares Pereira são, assim, os homens que vão à luta e é neste contexto que o Bancada faz o ponto de situação candidato a candidato quando estamos a poucas horas de conhecer o homem que comandará os destinos da nau leonina nos próximos quatro anos. E quando o Sporting está na liderança repartida do campeonato com 10 pontos conquistados em 12 possíveis sob o leme de José Peseiro, de Sousa Cintra e da Comissão de Gestão.

LISTA A “RAÇA E FUTURO”

Presidente do Conselho Diretivo: JOÃO Paulo Feliciano Neves BENEDITO

Presidente da Mesa da Assembleia Geral: José Manuel Saraiva de Lemos Araújo

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar: Luís Filipe da Silva Ferreira

João Benedito, histórico guarda-redes de futsal nove vezes campeão nacional pelos leões, é o rosto principal da lista A. “Tenho 21 anos de Sporting como atleta profissional, trabalhei na área financeira e marketing do clube, fui empreendedor e criei as empresas que hoje em dia lidero. Ajudei a conquistar 20 títulos, fui um orgulhoso capitão, e aprendi nesta casa que o sucesso não se atinge sem uma grande equipa”, afirma o antigo jogador, sustentando a respetiva candidatura. “Apresento-me a estas eleições com uma equipa perfilada por mim, com a experiência e conhecimentos necessários para atingir o sucesso não só no futebol, como em todas as modalidades do clube, da base até ao topo. Pela primeira vez desde há muitos anos haverá um vice-presidente para a área do futebo. Carlos Pereira, um dos pais do futebol de formação do clube, com 15 anos de experiência como jogador e mais 15 como treinador, será um dos campeões a definir a estratégia na área do futebol. É um privilégio e uma grande mais valia para o clube conseguir envolver referências que têm muito por dar.”

O empresário, de 39 anos, aposta forte. Escolheu André Cruz para liderar o futebol do clube de Alvalade e Peter Schmeichel, que nas últimas horas chegou a Lisboa para prestar apoio ao candidato, para ser uma espécie de embaixador dos leões a nível internacional. “Do Schmeichel o que posso dizer é que falámos uma vez ao telefone e depois por videoconferência. A ideia de trazer os atletas para dentro da gestão do clube fascinou-o e ele aceitou de imediato", explica, sublinhando a importância que o dinamarquês poderá ter. "Após o que sucedeu em Alcochete, precisamos de alguém com prestígio que dê a cara pelo clube a nível internacional." O candidato assume mesmo que o representante do Sporting nos sorteios da UEFA "pode ser Peter Schmeichel".

André Cruz terá a seu cargo a direção desportiva dos leões. “Depois de definido o modelo que queremos implementar, foi definido um perfil: queríamos para esta função alguém com cultura de vitória, liderança, experiência de balneário, que potencie a área da formação e que conheça bem o mercado internacional. André Cruz corresponde a esse perfil, e será o elo de ligação entre a estrutura diretiva e a equipa técnica. Trabalhará de forma próxima quer com a área da formação quer com o Sporting Performance, a nossa fábrica de campeões."

O modelo do Bayern, que fez questão de visitar reunindo-se com Karl-Heinz Rummenigge, serve de inspiração a Benedito. “Um modelo com um perfil de atleta definido, com uma estrutura profissional de excelência, e sobretudo com uma estratégia de médio-longo prazo definida pela direção que será garantida em conjunto com um diretor desportivo. Um modelo em que haverá coordenação entre o futebol profissional, o futebol de formação e o Sporting Performance. Não pode haver isolamento entre estas áreas na estratégia que queremos implementar. Um modelo diferente do que esteve em vigor no clube nos últimos anos, que defende um envolvimento das estruturas técnicas e atletas com o clube através de um diretor desportivo. Um modelo construído por quem sabe o que é necessário para que cada jogador e equipa estejam focados e tenham condições para pensar apenas em vitórias.”

LISTA B “SOLUÇÃO PARA 9 DE SETEMBRO”

Presidente do Conselho Diretivo: JOSÉ MARIA Espírito Santo RICCIARDI

Presidente da Mesa da Assembleia Geral: Miguel Jorge Frasquilho

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar: Luís Emílio Borges Rodrigues

Aos 63 anos, o banqueiro José Maria Ricciardi decidiu avançar com a candidatura à presidência do Sporting, já numa fase mais tardia, apostando em José Eduardo para vice-presidente com a pasta do futebol e em Marco Caneira para diretor desportivo. "Já tinha discutido várias vezes a situação do Sporting com o José Eduardo, tínhamos tentado encontrar uma pessoa que reunisse uma série de características - confiança, maturidade, experiência, traquejo, capacidade de gestão e liderança - para assumir uma candidatura. Falámos com algumas pessoas, que reuniam esses requisitos e que ficaram de pensar, mas não quiseram. Perante isto, virámo-nos um para o outro e dissemos que se o Sporting ficasse na mão dos candidatos que se perfilavam ia ser um descalabro. Resolvemos avançar nós”, justifica, desmistificando a questão do “croquete”. “Estou-me nas tintas para que me achem um croquete. Nas tin…tas”, fez questão de afirmar na primeira intervenção pública após o assumir de candidatura, lembrando: “Não dou para essa missa dos croquetes. Os dois últimos campeões nacionais foram dois croquetes: foi o meu primo José Roquette e a seguir foi o dr. António Dias da Cunha. Também são considerados socialmente croquetes. Portanto, vejam lá, os últimos dois campeões nacionais pelo Sporting eram croquetes. E o fundador do Sporting, que por acaso era meu tio avô, José Alvalade, também era um croquete. Se ele não fosse um croquete, se calhar não havia Sporting. Não entro nesse jogo da pastelarias e dos croquetes e das empadas e não sei quê. Acho ridículo”.

A vertente financeira tem sido bastante enfatizada por Ricciardi. “Muita gente não tem consciência da situação do Sporting”, refere o candidato, que contestou as declarações do presidente da Comissão de Gestão, Artur Torres Pereira. "Existe um défice de tesouraria de 122 milhões de euros que é preciso resolver. São 30 do empréstimo obrigacionista, mais 30 que têm de ser pagos aos bancos, mais 60 de receitas que foram antecipadas, e ainda há a conta reserva das VMOC que vencem em 2026 para que o Sporting não perca a maioria da SAD." Neste contexto, Ricciardi deixa um aviso: “Frederico Varandas e a João Benedito não têm qualquer capacidade, de certeza. Isto é um aviso que eu quero fazer aos sócios. Não me interpretem mal nem me achem arrogante, mas depois não se queixem. Somos de longe a candidatura que oferece mais garantias aos sócios. Estou aqui para ganhar e acho que vou ganhar porque há uma maioria silenciosa que já percebe isso, façam as manipulações de sondagens que quiserem, isso é-me indiferente. Estou convencido de que vou ganhar, mas é preciso que os sócios tenham consciência do que lhes estou a dizer. Depois não venham dizer que não perceberam. Há muita gente que não quer falar de números, de dinheiro e de finanças, mas sem dinheiro não há futebol."

A campanha de José Maria Ricciardi ficou igualmente marcada pelo episódio em torno de Adrien. O jogador desmentiu qualquer acordo para regressar em janeiro em caso de vitória da lista B, mas a candidatura do banqueiro retorquiu, especificando: “Na segunda-feira, 3 de setembro, cerca das 11:30 , houve uma reunião, entre José Maria Ricciardi, José Eduardo, Marco Caneira e Adrien, na sede de campanha da lista B, na Avenida da Liberdade em Lisboa. Neste encontro, foi manifestado por todos os presentes, a vontade de encontrar uma solução para que Adrien pudesse voltar para o Sporting. Houve um acordo tácito em que ficou claro para todos os presentes, a total disponibilidade manifestada por Adrien em vir para Alvalade, caso a nossa candidatura ganhe, e a partir do momento em que o Leicester o liberte. Esse acordo tácito pressupõe, em caso de vitória de José Maria Ricciardi, a necessidade de estabelecer contatos com o Leicester, clube que muito respeitamos, e ao qual Adrien está vinculado."

LISTA C “O GRANDE SPORTING”

Presidente do Conselho Diretivo: PEDRO Miguel Costa Félix MADEIRA RODRIGUES

Presidente da Mesa da Assembleia Geral: Pedro José Del Negro Feist

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar: António Manuel Tânger Correa

Antigas Glórias: Balakov, Marco Aurélio, Delfim, Lima

(DESISTÊNCIA - Atendendo a que o processo eleitoral está em curso, os votos por correspondência em trânsito que recaírem sobre a lista C serão considerados nulos e de nenhum efeito. Jaime Marta Soares esclareceu que "tendo em consideração que o boletim de voto é único, não poderá ser retirada a lista C do voto eletrónico presencial.")

LISTA D “UNIR O SPORTING”

Presidente do Conselho Diretivo: FREDERICO Nuno Faro VARANDAS

Presidente da Mesa da Assembleia Geral: Rogério Paulo Castanho Alves

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar: Joaquim Baltazar Pinto

Frederico Varandas foi o primeiro a avançar com a candidatura à liderança dos leões, depois de se ter demitido das funções de director do departamento médico na sequência dos acontecimentos de Alcochete. A reformulação do sector de formação é uma das prioridades do candidato, que está prestes a completar 39 anos.  "O Sporting tem de vencer no futebol. O futebol de formação tem de ser a base, com contratações que façam mais-valias. Temos de ter um rede de ‘scouting’ em vários países para contratarmos os melhores jogadores. Temos de reativar a equipa B desde os distritais, porque todos os nossos rivais têm equipas B. Voltar a ter o melhor recrutamento a nível nacional, na faixa dos 6-8 anos. Temos 26 escolas e a rentabilidade é apenas no merchandising, temos de dar maior cobertura desportiva para ir buscar os melhores miúdos."

“Unir o Sporting” é o lema da candidatura em que Varandas aposta. “A candidatura que encabeço tem como missão central, prioritária, unir o Sporting. Vamos acabar com os sectarismos, a cultura de ódio, a degradação, o bullying, os rótulos ofensivos, as perseguições por delito de opinião, as censuras em razão do livre exercício de direitos fundamentais. Serei, igualmente, o presidente que garante a transparência da gestão do clube, na defesa do interesse coletivo, de todos nós, perante os interesses individuais sejam eles quais forem”, promete.

Contrariamante a Ricciardi, Frederico Varandas não coloca o enfoque nas questões financeiras. “As questões financeiras são uma preocupação mas não me tiram o sono. O Sporting está ciclicamente com problemas porque falha no ‘core business’, que é a performance desportiva do futebol. Por isso, lanço quatro medidas: securitização do contrato da NOS, emissão de empréstimo obrigacionista até 60 milhões de euros, reestruturação do passivo bancário e venda de jogadores”

“Este é o consumar de um projeto muito sólido, com uma equipa que está aqui para servir o Sporting e não para se servir do Sporting, porque em nenhuma das áreas precisa disso. A minha equipa não dá hipóteses a ninguém. Sei que uma minoria gostava que dissesse que iríamos perder a maioria da SAD ou que iríamos desinvestir nas modalidades. Diziam também que José Maria Ricciardi estava por trás desta candidatura… São teorias conspirativas da carochinha mas já ninguém engole isso”, refere o médico que tem em Beto o seu “team manager”, em Hugo Viana o responsável pelas relações internacionais e em Acosta o embaixador do projeto de internacionalização da marca da lista D. “O ‘team manager’ é a pessoa que vai fazer funcionar a máquina. Tem de criar as condições para o treinador se preocupar apenas com o treino, coisa que não acontecia no Sporting. Assumir o futebol não é assinar de cruz o que um diretor desportivo diz, é assumir uma estratégia com um losango entre presidente, ‘team manager’, treinador e diretor de ‘scouting’“, sustenta.

LISTA E “PROJETO E FUTURO”

Presidente do Conselho Diretivo: RUI JORGE Alves Oliveira REGO

Presidente da Mesa da Assembleia Geral: Luis Miguel Ramos Gilsanz Viana

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar: Nélson da Conceição Ventura Lourenço

Rui Jorge Rego, de 46 anos,  foi secretário da Mesa da Assembleia-Geral do clube durante o mandato de Godinho Lopes, entre 2011 e 2013, tendo decidido avançar também com uma candidatura à presidência dos leões. “Gestão profissional da SAD, parcerias estratégicas para investimento, internacionalização da marca e novos modelos de negócio", são os pilares em que assenta o programa da equipa que lidera, que tem na antiga estrela do Real Madrid e da seleção brasileira, Roberto Carlos, o rosto mais mediático.

“A vinda do Roberto Carlos levou a que o Sporting fosse falado em mais de 50 países. É fundamental para potencialização de receitas. É redutor pensar só no mercado de Portugal”, afirma Rui Jorge Rego, sublinhando: “O Roberto Carlos tem o hábito de vitórias, nós claudicamos no final porque não temos esse hábito de vitórias. Jorge Jesus dizia isso muitas vezes.”

“O Sporting passa a ser conhecido, pode aumentar as receitas, ajuda a combater o problema financeiro do clube, não é só reduzir despesas. É fundamental ter gente deste calibre, que transmita o que é ser campeão e não tem medo de ganhar, é preciso acabar com esse estigma", acrescenta o candidato da lista E, assegurando que Paulo Lopo será o lider da SAD leonina se for eleito presidente do clube: "Não serei presidente da SAD, será Paulo Lopo, é outra diferença”.

O objectivo, sustenta, passa por “ganhar títulos, gerar lucros e globalizar o Sporting.” “As parcerias estratégicas permitem ao Sporting fazer mais e melhor, gastando menos. Aumentar a receita, as redes de contactos e investir onde o Sporting pode crescer mais, e mais depressa é fundamental, bem como criar uma plataforma internacional de negócios, com parceiros na China, Brasil e África.”

Investir no “scouting” e na Academia são outra das prioridades defendidas por Rui Jorge Rego. "É preciso rever o percurso de afirmação dos jogadores e a sua valorização. A identidade formadora do Sporting é o seu maior ativo nos mercados internacionais."

LISTA F “PELO TEU AMOR”

Presidente do Conselho Diretivo: José Eugénio DIAS FERREIRA

Presidente da Mesa da Assembleia Geral: Miguel de Gouveia Esperança Pina

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar: Sérgio Rui Lopes Cintra

Antigo presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting e assessor da SAD leonina, Dias Ferreira decidiu, aos 71 anos, avançar para a liderança do clube. A reestruturação financeira e a necessidade de aumentar o valor da SAD são assuntos inquestionáveis para o advogado e jurista. "O que temos de fazer é tornar a SAD atrativa. Não é algo que se faça de um dia para o outro, mas o primeiro passo é equilibrar as contas, liquidar o que há para liquidar e depois gerir profissionalmente. Todo este conjunto vai servir a vida económico-financeira do clube. Se não apostarmos numa política correta naquilo que é o ADN do clube, lá no fim do meu mandato estaremos novamente numa outra reestruturação financeira", refere.

Apesar de recusar comentar a justiça da suspensão imposta a Carlos Vieira, Dias Ferreira não deixou de enfatizar o papel que o ex-dirigente, agora seu apoiante, poderá ter na conceção da reestruturação financeira que, sublinha, ajudará a reforçar o controlo maioritário do clube na SAD. "Não contar com a sua colaboração seria um ato de arrogância da minha parte. Carlos Vieira iniciou este processo da reestruturação, ele sabe que conheço o processo e por isso apoia-me, porque sabe que comigo a reestruturação financeira chega a bom porto. Não lhe imputo nenhum crime, nenhuma desonestidade, e tenho a melhor impressão e as melhores referências.”

Dias Ferreira terá o antigo guarda-redes Ricardo como “team manager”. “Estou entusiasmado por poder vir a trabalhar com esta equipa para que juntos possamos atingir a glória", refere o ex-guardião, ao qual o candidato à liderança dos leões não poupa elogios. "O Ricardo é um profissional tão competente fora do campo como foi dentro dele, pelo que é com orgulho e satisfação que recebemos a sua resposta positiva a este convite. Queremos unificar o Sporting Clube de Portugal e uma figura consensual como o Ricardo será um trunfo importante na preparação do nosso clube para um futuro estável e de sucesso. A sua experiência em equipas que chegaram à final da Taça UEFA sob o comando de José Peseiro, à final do Campeonato da Europa e às meias-finais do Campeonato do Mundo será decisiva para transmitir a cultura futebolística de vitórias que queremos implementar no Sporting.”

LISTA G “UNIDOS VENCEREMOS”

Presidente do Conselho Diretivo: Fernando TAVARES PEREIRA

Presidente da Mesa da Assembleia Geral: Vitalino José Ferreira Prova Canas

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar: Fernando Gabriel Dias Curto

Aos 62 anos, Fernando Tavares Pereira, o empresário que se orgulha de ter construído um império (mais de 700 empregados em cinco países) apenas com a quarta classe, avançou decididamente para a corrida à presidência dos verde e brancos. “Não quero ter vencimento nem da SAD nem do Sporting. Enquanto o Sporting estiver na situação em que está, precisa de apoio. Eu abdico do vencimento em prol do clube.” Esta é uma das bandeiras de campanha de Tavares Pereira, que tem em Marco Chagas um dos apoiantes mais visíveis.

O líder da lista G lamenta a "falta de gestão e de resultados" e a "desunião" que têm marcado o passado recente do clube. E confia que a sua experiência em lidar com situações de crise o ajudará a reerguer o clube: "O Sporting ainda tem garantias para dar em troca de algum financiamento que seja necessário. Tem as colaterais da NOS, ainda existirá cerca de 340 milhões de euros. Não é fácil, mas ainda temos garantias para dar e que fazem face aos cerca de 100 milhões de euros que são necessários para o empréstimo obrigacionista e para o curto prazo, sem perder a maioria do clube na SAD."

Remodelar a Academia é outra das questões em cima da mesa para o empresário de Tábua. “Vou ter de mexer em muita coisa na Academia, se calhar, em alguns casos são pessoas de valor, mas que não estão no lugar certo. Aquilo que para mim interessa é arrumar a casa, é o mais importante agora e para o futuro do Sporting. Não vai ser uma limpeza total, mas quase. É o garante financeiro do clube." 

Para Fernando Tavares Pereira, “é necessário que o Sporting coloque a Academia a trabalhar corretamente e que seja campeão.” “O que dá solidez financeira é a venda de ativos e ser campeão para ter as entradas de capital da UEFA. Se o Sporting não for campeão e não tiver resultados na Academia, é muito difícil manter-se com a solidez necessária para ser um clube de grande dimensão", sustenta.

O candidato da lista G faz questão de sublinhar que a sua candidatura é... diferente. "É uma candidatura de fora para dentro. Vou tentar dar voz aos núcleos do Sporting fazer com que possam integrar o Conselho Leonino."

TUDO O QUE PRECISA DE SABER SOBRE A LOGÍSTICA DO ATO ELEITORAL

Abertura e fecho das urnas

A Assembleia Geral Eleitoral realizar-se-á este sábado, no Estádio José Alvalade (entrada pela rampa junto à Praça Centenário). As urnas abrirão às 9 horas e encerrarão às 19. Todos os sócios que registem entrada no local, ou que se encontrem em espera no local de entrada, até às 19 horas, podem exercer o seu direito de voto. O voto presencial será exercido recorrendo ao voto electrónico.

Quem pode votar

Para ter capacidade eleitoral ativa, os sócios devem obrigatoriamente ter mais de 18 anos de idade, terem sido admitidos, à data da eleição, pelo período mínimo de meses ininterruptos previsto estatutariamente e terem as quotas devidamente regularizadas, incluindo a quota de Agosto de 2018, a ser paga até ao dia 20 de Agosto de 2018.

Documentos necessários para votar

O sócio eleitor deverá apresentar, obrigatoriamente, os seguintes elementos: cartão de sócio, com o número atualizado (após a Renumeração Estatutária de 2015) e/ou cartão de Gamebox renovada para a presente época desportiva 2018/2019, bem como um documento de identificação: Bilhete de Identidade, Cartão de Cidadão ou Passaporte. Sem apresentar estes documentos não poderá exercer o seu direito de voto.

Votos por correspondência

Os votos por correspondência, cumprindo a regra definida estatutariamente, serão enviados para todos os sócios com capacidade eleitoral ativa que residam fora da Área Metropolitana de Lisboa. Os 18 concelhos que integram a Área Metropolitana de Lisboa são: Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

O que está em votação no ato eleitoral

No sábado será efetuada a votação para a eleição dos Órgãos Sociais do Sporting Clube de Portugal: Mesa da Assembleia Geral e o seu presidente; Conselho Diretivo e o seu presidente; Conselho Fiscal e Disciplinar e o seu presidente.

Pode-se ou não votar separadamente para cada órgão?

Não. A votação é efetuada por lista completa para todos os órgãos sociais. Ao votar numa lista estará a votar nessa lista para todos os órgãos sociais.

Número de votos por pessoa

Os sócios com capacidade eleitoral ativa poderão consultar o número de votos nos respetivos cadernos eleitorais, onde saberão a quantos votos terão direito, consoante o número de anos de associado.

Sê o primeiro a comentar: