Modalidades
"Vi o sonho de 15 anos de carreira a fugir numa chamada, chorei baba e ranho"
2020-06-20 15:20:00
Félix da Costa lamenta a falta de oportunidades na Fórmula 1

António Félix da Costa, que integrou o programa de jovens pilotos de Fórmula 1, da Red Bull, não escondeu a mágoa por nunca ter tido uma oportunidade na principal prova do automobilismo.

"Lembro-me de receber a chamada do Helmut [Marko] a dizer que o lugar na F1 já não estava disponível para mim", contou o piloto português, que atualmente compete na Fórmula E, em entrevista à Eleven Sports.

"Entrei no quarto e comecei a chorar baba e ranho. Trabalhei muito, acreditei e percorri o meu sonho de chegar à F1 durante 15 anos de carreira e vi o sonho, ali tão perto, a fugir numa chamada", desabafou.

Foi em 2012 que Félix da Costa assinou pela Red Bull Junior Team.

"Parecia que havia magia, qualquer carro que me sentasse ganhava", recordou.

"No final de 2012 eu ganhei o GP Macau e o Helmut Marko mandou-me uma mensagem a dizer que iríamos atingir grandes coisas juntos. Fiz o banco da Toro Rosso, fiz o fato, tinha voos marcados para a América e Brasil para fazer os treinos livres de sexta-feira...", acrescentou.

Mas o português nunca chegou a competir na Fórmula 1, apesar de ter passado três temporadas como piloto de testes, simulador e reserva.

A maior desilusão ocorreu em 2014, no GP China, quando Lewis Hamilton sofreu uma intoxicação alimentar e Félix da Costa foi avisado de que iria ocupar o monolugar.

"O Helmut Marko disse-me que o Hamilton estava com uma intoxicação alimentar e que o Niki Lauda não tinha lá o piloto de reserva deles e queria-me pôr no carro da Mercedes. Tremi todo, ia-me estrear na F1 uma hora depois, mas ele voltou passado alguns minutos a dizer que o Hamilton tinha levado uma injeção e queria fazer o FP2 a ver se estava bem", finalizou.