Visto da Bancada
Tomaz Morais (nº 101)
João Vasco Nunes
2017-09-13 12:30:00
Antigo selecionador nacional de râguebi lembra um resultado histórico em Alvalade e o “desportivismo” entre rivais

Foi um dia único na história do clube e também para os adeptos que estiveram em Alvalade a 14 de dezembro de 1986. Tomaz Morais era um dos jovens presentes e lembra-se perfeitamente da “euforia” vivida com a goleada “memorável” imposta pelos leões ao rival Benfica, por 7-1. Até se recorda do lugar que ocupava na bancada. “Estava na antiga bancada superior sul e ninguém estava à espera daquilo”, relembra ao Bancada o antigo selecionador nacional de râguebi.

“Foi uma loucura porque eram golos atrás de golos e, para um adepto, o facto de o Sporting conseguir um resultado esmagador sobre o Benfica é sempre único - algo que não sabemos quando se volta a repetir. Lembro-me dessa euforia toda, antes, durante e depois do jogo. Foi algo que me marcou”, confessa-nos Tomaz Morais.

Os tempos eram outros e a experiência de ir ao futebol também era diferente daquela que se vive atualmente. “Era jovem, íamos de comboio e aquilo era um dia que passávamos, não é como agora que ir ao futebol leva uma hora e meia. Na altura saíamos de manhã e chegávamos à noite a casa. Lembro-me que foi um dia de festa e euforia”, conta.

“Lembro-me também do respeito que na altura havia e do desportivismo com que o Benfica encarou essa derrota, coisa que hoje em dia talvez fosse impossível”, termina Tomaz Moraiz.

Sê o primeiro a comentar: