Visto da Bancada
Patrick Morais de Carvalho (nº 100)
Gomes Ferreira
2017-09-12 12:45:00
Presidente do Belenenses recorda a final da Taça de Portugal de 2007 perdida para o Sporting por 1-0

Patrick Morais de Carvalho, presidente do Clube de Futebol «Os Belenenses», recorda ao Bancada a final da Taça de Portugal de 2007 que o Belenenses perdeu com o Sporting por 1-0 como um dos jogos mais marcantes a que assistiu na condição de espectador. Um jogo que se realizou, como manda a tradição, no Estádio Nacional, e em que o golo vitorioso dos leões só surgiu aos 87 minutos, marcado pelo brasileiro Liedson. No banco dos azuis do Restelo estava Jorge Jesus, e do outro lado o treinador era Paulo Bento.

"Felizmente já vivi muitos jogos marcantes mas destaco um que foi uma jornada extraordinária de paixão e amor clubista que vivenciei com o meu filho mais novo, o Martim, que na altura tinha apenas quatro anos. Foi o jogo da última final da Taça de Portugal em que o Belenenses esteve presente em 27 de Maio de 2007.

A envolvência do jogo foi fantástica, um grupo de adeptos, onde eu me incluía,  fizemos um porco no espeto e  passaram por lá milhares de adeptos do Belém. Foi um dia de grande fervor clubista e onde apareciam cachecóis e camisolas azuis de todo o lado, era um mar de gente impressionante com direito a helicópteros a filmar a festa, um momento marcante em que os adeptos mais novos puderam sentir a força do grande Belenenses.

Lembro-me de ter ido com o Rui Gregório e com o Paulo Sérgio (treinador e nosso antigo jogador), com os filhos deles e com mais um grupo de amigos e assim que o árbitro apitou para iniciar o jogo veio uma chuva, de início miudinha e depois torrencial, que não estava no programa mas que nem assim estragou a festa.

Acabei por ver o jogo com o Martim ao colo, ambos embrulhados numa faixa de plástico da Fúria Azul porque ninguém tinha guarda-chuvas.

Sobre o jogo propriamente dito o Dady esteve por duas vezes para nos encher de glória, numa delas o guarda redes do Sporting defendeu para a trave e depois já na parte final da partida, quando já esperávamos o prolongamento o Amaral aleija-se, fica muito tempo a receber assistência, e o Sporting contra 10 e debaixo de uma chuva torrencial faz um golo, de uma bola parada, que nos atirou por terra.

Perdemos o jogo, perdemos a final, o meu filho percebeu a grandeza do Belém de que eu lhe falava e ganhou uma valente constipação que foi difícil de explicar em casa."

 

Sê o primeiro a comentar: