Visto da Bancada
Leonel Pontes (nº 169)
Gomes Ferreira
2017-11-30 13:20:00
Ex-técnico do Debreceni, da Hungria, recorda o FC Porto-Benfica do golo de Kelvin, em 2013, como um dos jogos marcantes

Em semana de clássico no Dragão, o treinador Leonel Pontes recorda o FC Porto-Benfica do golo de Kelvin, realizado a 11 de maio de 2013, na casa dos portistas, como um dos jogos mais marcantes a que assistiu, ainda que este não tenha sido visto da bancada mas pela televisão. "Os últimos minutos foram contra todas as expetativas face ao que estava a ser o desenrolar do jogo. Estava 1-1 e já estavam todos à espera do apito final, sobretudo os benfiquistas, quando aconteceu o golo do Kelvin", lembra Leonel Pontes que a época passada esteve na Hungria a treinar o Debreceni.

"O golo de Kelvin provocou um impacto enorme nos dois clubes, por aquilo que representou. Senti muito esse momento", confessa Leonel Pontes. "De um lado, o FC Porto a ganhar o título e a fazer a festa, do outro Jorge Jesus a ajoelhar-se no relvado. São imagens fortes. O futebol é fértil em grandes momentos, mas só tem sentido quando há sentimentos por trás. Foi o que sucedeu neste jogo em que no final viveram-se sentimentos antagónicos muito fortes", diz o madeirense Leonel Pontes justificando a escolha.

Recorde-se que nessa partida o Benfica inaugurou o marcador aos 19 minutos por intermédio de Lima. O FC Porto empatou aos 25' com um autogolo de Maxi Pereira. Até que ao minuto 90+2' surgiu o golo de Kelvin. Num contra-ataque rápido, assistido por Liedson, Kelvin rematou de primeira e atirou para o fundo da baliza de Artur. De um lado a festa portista, do outro o desalento benfiquista. Uma mistura de sentimentos cujo "impacto" foi "enorme" em Leonel Pontes que além da mais recente experência na Hungria, já treinou o Marítimo, o Panetolikos (Grécia), o Ittihad Alexandria (Egito), para além de ter sido adjunto no Sporting e na Seleção Nacional, com Paulo Bento.

Sê o primeiro a comentar: