Visto da Bancada
Joaquim Carvalho (nº 229)
António José Oliveira
2018-02-11 12:30:00
Antigo guarda-redes do Sporting defendeu a baliza dos leões na célebre conquista da Taça das Taças

A final da Taça de Portugal disputada a 31 de maio de 2015 que o Sporting conquistou após a marcação de grandes penalidades diante do SC Braga ficou para sempre na memória de Joaquim Carvalho, antigo guarda-redes do Sporting e internacional português. "Foi uma reviravolta espectacular", recorda o guardião que conquistou a célebre Taça das Taças de 1964 ao serviço do clube leonino, sublinhando: "A forma como foi conseguida acabou por ser uma grande demonstração de raça e de querer. O Sporting esteve a perder desde muito cedo, ficando reduzido a dez jogadores, mas não desistiu e conseguiu empatar mesmo no final levando o jogo para o prolongamento e para as grandes penalidades, onde mereceu ser feliz."

Face a todos estes ingredientes, Joaquim Carvalho recorda a vitória como "muito saborosa". "Foi um belo jogo, com emoção e sofrimento mesmo até ao final."

O desafio com o SC Braga foi marcado numa fase inicial pela expulsão de Cédric logo à passagem do quarto de hora, após derrube a Djavan que culminou em penálti. Na transformação, Éder colocou a equipa na altura liderada por Sérgio Conceição na frente do marcador. Ao minuto 25, Rafa elevou para 2-0 e só a oito minutos do final é que Slimani reduziu a diferença no resultado. Foi já no segundo minuto de compensação que Fredy Montero, agora de regresso ao Sporting, levou o jogo para prolongamento.

Sem novidades durante esse período, o encontro acabou por ser decidido através de marcação de grandes penalidades. Depois de Éder ter atirado por cima da barra da baliza defendida por Patrício, Slimani marcou. No penálti seguinte Salvador Agra rematou ao lado e a Taça caiu para o lado do Sporting.

Sê o primeiro a comentar: