Visto da Bancada
João Botelho (nº 202)
Fernando Gamito
2018-01-09 12:30:00
O guarda-redes do Operário Lagoa, formado no Santa Clara, recordou "um momento histórico" no Estádio de São Miguel.

É guarda-redes do Operário Lagoa, mas é um jogo do Santa Clara que salta desde logo à memória de João Botelho quando questionado sobre as partidas, vistas da bancada de um estádio, que mais o marcaram. O guardião de 32 anos destacou um duelo entre Santa Clara e Aves, em plenos Açores, jogo da última jornada do segundo escalão da época 1998/99. Pela frente estavam terceiro e quarto classificados, com apenas um ponto de distância à partida para o encontro e no final foi o Santa Cçara a vencer e a carimbar o passaporte para a Primeira Liga.

"Para além do especial que era a subida, foi também por ser a primeira vez que acontecia na história do clube", salientou João Botelho em conversa com o Bancada. Ora, o encontro terminou com um 4-3 e embora tenha começado bem favorável ao Santa Clara, a verdade é que o semblante do estádio chegou a estar bem 'sombrio'. "Estávamos a ganhar 3-0 e o Aves empatou, o que já não dava a subida. Mas, depois marcámos aos 85' e foi o delírio total. Invasão de campo iminente", recordou o guarda-redes que foi precisamente formado no Santa Clara.

O Estádio de São Miguel assistiu, assim, nesse dia 30 de maio de 1999 a um "momento histórico para o clube e para todos os açoreanos em geral", coroado com "festa pela noite dentro", lembrou João Botelho.

Sê o primeiro a comentar: