Visto da Bancada
Fernando Daniel (Nº 244)
Diogo Cardoso Oliveira
2018-03-09 12:30:00

Caro leitor: Já deve saber que Fernando Daniel é um dos músicos portugueses dos tops. Já deve saber também que o homem canta que se farta. O que não deve saber é que o amigo Fernando tem o seu instrumento de trabalho afetado pelo futebol. Confuso? O cantor traz-nos uma história não vista, mas vivida. Não na bancada, mas no campo. Feche os olhos a esta mudança no formato habitual: olhe que vai valer a pena.

Nesta edição do "Visto da Bancada", Fernando Daniel recorda, nas palavras do próprio, uma "ironia do destino". "Eu joguei futebol e jogava a trinco", começa por contar, ao Bancada, antes de acrescentar: "Subi para um canto a favor da nossa equipa e, não percebemos bem porquê, o árbitro mandou repetir o canto cinco vezes. A bola partia e ele apitava para repetir". 

Cantar muito tempo e com a boca muito aberta? Não vai dar...

Prepare-se, que agora vem coisa bruta. "À quinta vez, lá houve o canto. Saltei para cabecear e o guarda-redes socou a minha cara. Ainda hoje tenho o maxilar afetado", garante o músico, que explica os efeitos deste lance: "Quando canto durante muito tempo ou com a boca mais aberta, dói-me".

Resumindo: o canto só foi válido à quinta tentativa. "O árbitro deveria estar à espera que eu me lesionasse para o canto ser válido", dispara Fernando Daniel, entre risos.

Vá, valeu ou não valeu a pena uma história diferente do habitual?

Sê o primeiro a comentar: