Visto da Bancada
Bruno Simão (nº198)
João Pedro Cordeiro
2018-01-04 16:15:00
Ver futebol em casa do adversário e grande rival é, por vezes, uma verdadeira aventura. Que o diga Bruno Simão.

Porto, Benfica, dois golos de Lima, uma pequena provocação, e o bom que é, por vezes, ser reconhecido em público. Esta história tem tudo isto. A história de quando Bruno e David Simão foram ao Estádio do Dragão assistir à vitória do Benfica por 2-0 perante o FC Porto. O resultado, nesse dia, é provavelmente o que menos importa da mesma. Quando aconteceu, cumpria-se ainda a 13ª jornada da liga 2014/15, ainda nem ao ano novo se havia chegado e tanto campeonato havia por jogar. O Benfica venceu, mas, para Bruno Simão, foi o que envolveu o jogo que o tornou memorável.

Bruno e David Simão foram ao Dragão, nesse dia, por intermédio de um conhecido que lhes arranjou dois bilhetes. Tudo certo, não fosse esse, também, o início da aventura dos dois irmãos. Valeu-lhes a popularidade que ser futebolista encarrega e propicia. Benfiquistas, Bruno e David Simão seriam como inimigos em trincheira alheia. “Vivemos muito o clube e tudo o que o envolve”, diz-nos Bruno Simão. Talvez por isso se perceba o porquê de quando, após terem levantado os bilhetes que lhes haviam sido oferecidos, em resposta à pergunta “onde fica a porta para entrar?” a senhora encarregue de os entregar os tenha feito dar toda a volta ao estádio do Dragão quando a porta era já ali ao lado. Uma pequena vingança por estarem em território inimigo. Nada de mal, claro está.

Melhor, ou semelhante, só no interior do estádio. A localização dos lugares de Bruno e David Simão teve tanto de problemático como de salvação. Ainda que fossem no meio de uma bancada afeta a adeptos azuis e brancos, os mesmos situavam-se lado a lado com a “jaula” destinada aos adeptos visitantes. Um portão e um segurança era tudo o que separava os irmãos Simão de verem o jogo como verdadeiros adeptos benfiquistas. É que, como Bruno nos conta, conhecendo-se, sabiam que em caso de golo do Benfica a coisa podia não correr bem. “Sabíamos que não nos íamos conseguir controlar”. Valeu-lhes o facto de serem conhecidos. Afinal, na altura, Bruno era atleta da UD Oliveirense e, David, jogador do FC Arouca.

Quando o polícia percebeu quem eram tudo ficou mais fácil e confortável. Bruno e David Simão lá entraram para a jaula e puderam festejar a vitória do Benfica como verdadeiros adeptos. Em pé e festejando os golos de Lima que deram o triunfo à equipa de Jorge Jesus perante o conjunto de Julen Lopetegui.

Sê o primeiro a comentar: