Visto da Bancada
Álvaro Magalhães (nº 99)
Fernando Gamito
2017-09-11 12:25:00
O treinador e antigo jogador recorda uma final da Liga dos Campeões entre Benfica e Milan, que viu da bancada

Viena, Áustria. 23 de maio de 1990. Final da Taça dos Campeões Europeus. Como principais protagonistas, Benfica e Milan, num Praterstadion com 58 mil espectadores. É este o decisivo jogo que salta à memória de Álvaro Magalhães quando recorda o jogo, visto da bancada de um estádio, que mais o marcou.

Sim, Álvaro Magalhães era, de facto, jogador dos encarnados nessa época. Mas, não esteve em campo nessa final que remonta a 1990. "O jogo que mais me marcou, até porque considero ter sido uma injustiça, foi a última final da Taça dos Campeões Europeus entre Benfica e Milan, em que eu era para jogar esse jogo a lateral esquerdo e por opção do treinador [Sven-Göran Eriksson] jogou outro jogador que nem atuava nessa posição [Samuel]", começou por lembrar o técnico ao Bancada.

Foi, então, a partir das bancadas que Álvaro Magalhães viu essa marcante partida. Mas, não esteve sozinho. "Eu e o Chalana, a melhor ala do futebol português naquela década, tivemos que ficar na bancada", salientou. "Marcou-me porque era a final da Liga dos Campeões. Eu e todos os benfiquistas pensávamos que era eu que ia jogar e acabei por não ser titular. Como na altura eram onze em campo mais cinco no banco, eu e o Chalana ficámos de fora."

O Benfica acabou por perder esse encontro por 1-0, devido a um golo da autoria de Frank Rijkaard, aos 68 minutos, e na memória de Álvaro Magalhães perdura essa final como uma recordação amarga, não só pelo resultado, mas pelas vicissitudes já referidas. "Foi uma pena não ter jogado essa final. Foi muito difícil engolir esse 'sapo', custou muito, porque era o único lateral esquerdo de raíz e o treinador acabou por colocar um jogador que nunca tinha atuado na posição, o Samuel, que era um excelente central. Mas, são opções do treinador, que temos que respeitar."

Recorde os onzes de ambas as equipas nessa final da Taça dos Campeões Europeus 1989/90:

Milan - Giovanni Galli, Mauro Tassotti, Alessandro Costacurta, Franco Baresi, Paolo Maldini, Frank Rijkaard, Ruud Gullit, Carlo Ancelotti, Angelo Colombo, Alberigo Evani e Van Basten.

Benfica - Silvino, José Carlos, Samuel, Ricardo Gomes, Aldair, Vítor Paneira, Valdo, Jonas Thern, Hernâni, Mats Magnusson e António Pacheco.

Sê o primeiro a comentar: