Liga 18/19
O filme do campeonato, jornada a jornada
2019-05-20 23:00:00
Viagem pelo campeonato, com números e destaques de todas as rondas

Recorde a edição 2018/19 da I Liga, com os destaques de cada ronda, os resultados que se destacaram e os números da temporada que terminou com um taco a taco entre FC Porto e Benfica, já depois de os 'dragões' se distaciarem das 'águias', que pareciam fora da luta do título e acabaram em primeiro lugar.

1.ª jornada (10, 11, 12 e 13 de agosto de 2018).

Golos marcados: 28.
Vitórias em casa: 6.
Empates: 0.
Vitórias fora: 3.
Resultado mais desnivelado: FC Porto-Desportivo de Chaves (5-0).

Uma semana depois de vencer a Supertaça (3-1 ao Desportivo das Aves, em Aveiro), o FC Porto iniciou a defesa do título com uma goleada em casa ao Desportivo de Chaves, por 5-0, com um ‘bis’ de Aboubakar e golos de Brahimi, Corona e Marius.

O Benfica abriu a jornada com uma vitória na Luz frente ao Vitória de Guimarães, num jogo em que vencia por 3-0 ao intervalo e permitiu que os vimaranenses reduzissem até 3-2, o resultado final.

O Sporting, depois de uma pré-época conturbada – com agressões de adeptos em Alcochete, várias rescisões de jogadores, novo treinador, então José Peseiro, e uma gestão ainda interna, antes de eleições -, derrotou fora o Moreirense, por 3-1.

2.ª jornada (17, 18, 19 e 20 de agosto).

Golos marcados: 30.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 2.
Vitórias fora: 4.
Resultados mais desnivelados: Rio Ave-Marítimo (3-1), Desportivo de Chaves-Portimonense (2-0) e Boavista-Benfica (0-2).

Os candidatos FC Porto, Benfica e Sporting conseguiram ultrapassar os respetivos adversários na segunda ronda, em que os ‘dragões’ ainda se assustaram no Jamor, com Alex Telles a ‘salvar’ a equipa nos descontos (90+5 minutos), com o golo de um triunfo por 3-2.

Benfica e Sporting jogaram um dia antes, com as ‘águias’ a vencerem no Bessa com golos do reforço Ferreyra (34) e de Pizzi (61), e os ‘leões’ bateram em Alvalade o Vitória de Setúbal (2-1), com um ‘bis’ de Nani.

O Feirense foi o único resistente além dos três ‘grandes’ à segunda jornada da I Liga, voltando a vencer, o que lhe permitiu ‘colar-se’ a FC Porto, Sporting e Benfica, numa liderança a quatro.

3.ª jornada (24, 25, 26 e 27 de agosto).

Golos marcados: 27.
Vitórias em casa: 2.
Empates: 5.
Vitórias fora: 2.
Resultado mais desnivelado: Sporting de Braga-Desportivo das Aves (3-1).

O quarteto da liderança perdeu pontos na jornada, que teve um dérbi Benfica-Sporting (1-1) e viu o campeão FC Porto perder em casa com o Vitória de Guimarães (2-3), com os ‘dragões’ incapazes de aproveitar o jogo entre os rivais.

O jogo grande aconteceu na Luz, com Nani a dar vantagem ao Sporting, de grande penalidade (64), e a jovem promessa João Félix a igualar (86) o encontro, que pouco depois o FC Porto não conseguiu ‘capitalizar’.

O FC Porto esteve a vencer por 2-0, com golos de Brahimi (37) e André Pereira (43), e apesar de ainda ter feito entrar Marega – no seu primeiro jogo da época -, viram André André (63), Tozé (76) e Davidson (87) ‘quebrar’ o campeão.

O Feirense, única equipa que também tinha vencido nas primeiras jornadas, empatou no Bessa (1-1), e a liderança deixou de ter o FC Porto e continuou a ser a quatro, mas com o Sporting de Braga, todos com sete pontos.

4.ª jornada (31 de agosto e 01 e 02 de setembro de 2018).

Golos marcados: 20.
Vitórias em casa: 5.
Empates: 1.
Vitórias fora: 3.
Resultado mais desnivelado: Nacional-Benfica (0-4).

O Benfica, fora com o Nacional (4-0), e FC Porto, em casa com o Moreirense (3-0), conseguiram vitórias robustas na quarta jornada, em que o Sporting ‘tirou’ o Feirense do quarteto de líder, ao vencer em casa a equipa de Santa Maria da Feira (1-0).

Na Choupana aconteceu uma ‘chuva’ de golos do Benfica, de Seferovic (28), Salvio (45), Grimaldo (76) e Rafa (90+3), enquanto no Dragão, Herrera (15), Aboubakar (27) e Marega (90+4) foram os goleadores do campeão nacional. 

Tondela (dois pontos), Desportivo das Aves e Portimonense (ambas com um ponto) perderam e terminaram a jornada em último, como as únicas três equipas sem vitórias no campeonato, numa ronda que teve ainda o primeiro nulo, no Belenenses-Setúbal.

5.ª jornada (21, 22, 23 e 24 de setembro).

Golos marcados: 19.
Vitórias em casa: 4.
Empates: 2.
Vitórias fora: 3.
Resultados mais desnivelados: Santa Clara-Rio Ave (1-3), e Vitória de Setúbal-FC Porto (0-2), Tondela-Moreirense (2-0) e Benfica-Desportivo das Aves (2-0).

Uma derrota na visita ao Sporting de Braga (1-0) tirou à quinta jornada o Sporting da liderança do campeonato, entregue a bracarenses e Benfica, equipa que venceu na Luz o ‘lanterna vermelha’ Desportivo das Aves (2-0).

Os ‘leões’ não conseguiram passar na ‘Pedreira’ frente a um Sporting de Braga a ser a única equipa capaz de se intrometer entre os três ‘grandes’ em Portugal, depois de um jogo em que Dyego Sousa fez o único golo (67 minutos).

O desaire deixou Benfica e Braga isolados na frente, com mais um ponto do que o FC Porto, que venceu em Setúbal (2-0), e com Tondela (2-0 ao Moreirense) e Portimonense (3-2 ao Vitória de Guimarães) a conseguirem os primeiros triunfos na Liga.

6.ª jornada (27, 28, 29, 30 de setembro e 01 de outubro).

Golos marcados: 22.
Vitórias em casa: 5.
Empates: 2.
Vitórias fora: 2.
Resultados mais desnivelados: Nacional-Santa Clara (0-3), Belenenses-Sporting de Braga (0-3) e Desportivo das Aves-Portimonense (3-0).

O Sporting de Braga tornou-se o primeiro líder isolado do campeonato, com mais um ponto do que o FC Porto e dois para o Benfica, graças a um triunfo – dos mais ‘gordos’ da ronda – em casa do Belenenses (3-0), e ao empate das ‘águias’ em Chaves (2-2).

Depois de apenas ter perdido pontos com o Sporting, num empate na Luz, o Benfica não foi capaz de ultrapassar as dificuldades em Trás-Os-Montes, onde viu Rafa bisar (03 e 84), mas consentiu a igualdade já nos descontos, por Ghazaryan (75 e 90+4). 

O deslize ‘encarnado’ permitiu ao Braga isolar-se, enquanto o campeão FC Porto subiu ao segundo lugar, após um triunfo por 1-0 diante do Tondela. O Sporting venceu também, o Marítimo em Alvalade (2-0), e o Aves estreou-se a vencer, diante do Portimonense (3-0).

7.ª jornada (05, 06 e 07 de outubro).

Golos marcados: 20.
Vitórias em casa: 5.
Empates: 3.
Vitórias fora: 1.
Resultado mais desnivelado: Vitória de Setúbal-Moreirense (3-0).

Um golo de Seferovic, aos 62 minutos, deu a vitória ao Benfica no clássico com o FC Porto, numa jornada em que as ‘águias’ regressaram à liderança – partilhada com o Sporting de Braga -, e ganharam terreno em quase todas as frentes.

O Benfica ‘contou’ não só com o seu triunfo, sobre um rival direto, que caiu para terceiro, mas também com um empate do Sporting de Braga em casa com o Rio Ave (1-1) e a derrota do Sporting em casa do Portimonense (4-2), a sua segunda da época.

Os ‘leões’, que caíram para quinto lugar, perderam em Portimão, num jogo em que de nada valeram os golos de Montero (63) e Sebastien Coates (88), com Manafá (30), Nakajima (44 e 83) e João Carlos (90+3) a marcarem para a equipa da casa.

8.ª jornada (26, 27 e 28 de outubro).

Golos marcados: 18.
Vitórias em casa: 5.
Empates: 1.
Vitórias fora: 3.
Resultado mais desnivelado: Sporting-Boavista (3-0).

Uma semana depois de ganhar em todas as frentes, o Benfica caiu com estrondo na visita ao Belenenses, no Jamor (2-0), com a primeira derrota no campeonato, num jogo em que foi incapaz de contrariar uma desvantagem de dois golos ao intervalo.

Um desaire que atirou a equipa para o terceiro lugar, com o FC Porto, que venceu em casa o Feirense, com golos de Felipe (23) e Marega (78), a assumir a liderança partilhada com Sporting de Braga, que voltou a empatar, agora com Vitória de Guimarães (1-1).

O Sporting teve a vitória mais folgada, por 3-0 ao Boavista, e manteve-se no quinto lugar, atrás de Rio Ave, que voltou a vencer, agora o Desportivo de Chaves. Na cauda da tabela seguem Tondela, Nacional e Desportivo das Aves.

9.ª jornada (02, 03, 04 e 05 de novembro).

Golos marcados: 29.
Vitórias em casa: 1.
Empates: 3.
Vitórias fora: 5.
Resultados mais desnivelados: Benfica-Moreirense (1-3), Marítimo-FC Porto (0-2) e Feirense-Tondela (2-4).

O pesadelo do Benfica agravou-se ao sofrer a segunda derrota consecutiva na Liga – e terceira seguida em todas as provas -, em casa com o Moreirense, num jogo em que o resultado ficou novamente definido ao intervalo (1-3)

Jonas marcou para as ‘águias’, aos 02 minutos, mas três golos de Chiquinho, aos 04, Pedro Nuno, aos 16, e Loum, aos 36, afundaram o Benfica, com uma queda para a quinta posição do campeonato, a quatro pontos de FC Porto e Braga.

O Sporting, que venceu fora o Santa Clara (2-1) – já com Tiago Fernandes como treinador interino e depois de despedir José Peseiro -, beneficiou do desaire do rival para subir ao terceiro lugar.

A jornada, em que FC Porto venceu fora o Marítimo (2-0), teve uma única equipa a vencer em casa, o Sporting de Braga, diante do Vitória de Setúbal (2-1).

10.ª jornada (09, 10 e 11 de novembro).

Golos marcados: 19.
Vitórias em casa: 7.
Empates: 1.
Vitórias fora: 1.
Resultados mais desnivelados: Moreirense-Portimonense (2-0), Vitória de Guimarães-Santa Clara (2-0), e Tondela-Benfica (1-3).

Um golo de Tiquinho Soares aos 88 minutos deu a vitória ao FC Porto no Estádio do Dragão diante do Sporting de Braga (1-0) e deixou o campeão nacional isolado na frente do campeonato, à décima jornada.

A derrota bracarense foi aproveitada pelo Sporting, ainda com Tiago Fernandes a interino, que venceu em Alvalade o Desportivo de Chaves (2-1), enquanto o Benfica regressou aos triunfos e foi a única equipa a vencer fora, o Tondela, por 3-1.

A 10.ª jornada, com uma derrota fora no dérbi com o Nacional (1-0) foi a última de Cláudio Braga à frente do Marítimo: o técnico viria a ser afastado a seguir a nova derrota na Taça da Liga, com Feirense.

11.ª jornada (09, 10 e 11 de novembro).

Golos marcados: 28.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 0.
Vitórias fora: 6.
Resultado mais desnivelado: Benfica-Feirense (4-0).

O FC Porto segurou a liderança isolada, depois de vencer o dérbi portuense com o Boavista, no Bessa, com um golo solitário de Hernâni já nos descontos (90+5), numa jornada em que o holandês Marcel Keizer estreou-se pelo Sporting no campeonato.

O novo treinador viu os ‘leões’ vencerem fora o Rio Ave, num bom jogo da equipa, com golos de Bruno Fernandes (08), Bas Dost (22) e Jovane Cabral (72), enquanto na equipa de Vila do Conde marcou Schmidt (12).

Em ronda de muitos golos (28), o Benfica teve o resultado mais expressivo, ao golear em casa o Feirense, com tentos de Jonas (48 minutos), de Rafa (67) e de Seferovic (88), e um autogolo de Nascimento (57).

Nos lugares de descida mantiveram-se Boavista e Desportivo de Chaves, derrotados na ronda, enquanto o Nacional saiu da zona de perigo – venceu fora o Aves (2-3) -, por troca com o Feirense.

12.ª jornada (07, 08, 09 e 10 de dezembro).

Golos marcados: 21.
Vitórias em casa: 4.
Empates: 2.
Vitórias fora: 3.
Resultados mais desnivelados: FC Porto-Portimonense (4-1) e Sporting-Desportivo das Aves (4-1).

O FC Porto somou a quinta vitória consecutiva e 11.ª em todas as competições – após a derrota na Luz -, ao golear em casa o Portimonense (4-1), o mesmo resultado que o Sporting alcançou na receção ao Desportivo das Aves.

Marega, aos 23 e 64 minutos, Tiquinho Soares, aos 57, e Brahimi, aos 59, deram ‘volume’ ao marcador no estádio do Dragão, num jogo em que os algarvios até marcaram primeiro, por Vítor Tormena, aos 09.

Em Alvalade, o vice-líder Sporting também viu o Aves marcar primeiro (Defendi, aos 18), mas goleou com golos de Bas Dost (40 e 48), Nani (45+1) e Diaby (60), numa jornada em que o Benfica venceu em Setúbal (1-0) e o Braga em Tondela (1-0).

13.ª jornada (14, 15 e 16 de dezembro).

Golos marcados: 30.
Vitórias em casa: 4.
Empates: 2.
Vitórias fora: 3.
Resultado mais desnivelado: Sporting de Braga-Feirense (4-0).

A 13.ª jornada igualou o melhor registo de golos da I Liga, com os mesmos 30 da segunda ronda. Dois jogos proporcionaram mais de um terço dos golos, com o Sporting de Braga a golear em casa o Feirense (4-0) e o Sporting o Nacional (5-2).

A derrota deixou o Feirense novamente em zona de descida, por troca com o Desportivo das Aves – que empatou em casa com o Vitória de Guimarâes (1-1) -, numa ronda em que o líder FC Porto venceu o Santa Clara e o Benfica o Marítimo, ambos fora.

Nos Açores, Soares (45+1) e Marega (57) marcaram para os portistas, enquanto Zé Manuel (38) para os açorianos, e na Madeira foi Jonas (45+2) a garantir os três pontos para os ‘encarnados’. Em Chaves, Tiago Fernandes, que substituiu Daniel Ramos, estreou-se a perder com o Moreirense e em casa (1-2).

14.ª jornada (22 e 23 dezembro).

Golos marcados: 30.
Vitórias em casa: 7.
Empates: 0.
Vitórias fora: 2.
Resultado mais desnivelado: Benfica-Sporting de Braga (6-2).

Com sete equipas em nove jogos a vencerem em casa, a jornada voltou a ‘bater’ nos 30 golos, com destaque para a goleada do Benfica ao Sporting de Braga (6-2) e a derrota do Sporting em Guimarães (1-0), que colocou as águias no segundo lugar.

Na Luz, o Benfica tornou fácil um jogo muito difícil e goleou, com golos de Pizzi (19), Jardel (40), Grimaldo (48), Jonas (54), Cervi (63) e André Almeida (67), enquanto no Braga marcaram Dyego Sousa (51) e João Novais (74).

A vitória ainda foi mais importante, porque permitiu à equipa ultrapassar Sporting e Sporting de Braga na classificação. Os ‘leões’ tiveram a primeira derrota sob o comando de Marcel Keizer, com Tozé o único golo do Guimarães.

Na parte final da classificação, o Desportivo das Aves – goleado pelo Belenenses (5-2) -, voltou a cair para a zona de perigo, por troca com o Tondela, que venceu o Marítimo (2-1).

15.ª jornada (02 e 03 de janeiro de 2019).

Golos marcados: 16.
Vitórias em casa: 5.
Empates: 1.
Vitórias fora: 3.
Resultados mais desnivelados: Sporting de Braga-Marítimo (2-0) e Portimonense-Benfica (2-0)

A jornada mais ‘pobre’ em golos, com 16, foi ‘dura’ para o Benfica, que perdeu em casa do Portimonense (2-0) e precipitou a saída, no dia seguinte, do treinador Rui Vitória, já com o lugar em risco por resultados anteriores.

O desaire, num jogo com dois autogolos dos centrais Rúben Dias e Jardel, fez ainda os ‘encarnados’ caírem para o quarto lugar, com as subidas de Sporting (venceu em casa o Belenenses, por 2-1) e Sporting de Braga (venceu em casa o Marítimo, por 2-0).

O líder FC Porto venceu fora o Desportivo das Aves (1-0), na 17.ª vitória consecutiva em todas as competições, depois de, na Taça da Liga, no final de dezembro, já ter batido um recorde de Artur Jorge, com mais de 15 vitórias seguidas.

16.ª jornada (05, 06 e 07 de janeiro).

Golos marcados: 23.
Vitórias em casa: 7.
Empates: 2.
Vitórias fora: 3.
Resultados mais desnivelados: Benfica-Rio Ave (4-2) e FC Porto-Nacional (3-1).

Na Luz houve estreias de treinadores, de Daniel Ramos no Rio Ave, e do interino Bruno Lage no Benfica, que recuperou de dois golos de desvantagem para vencer por 4-2, num jogo em que João Félix brilhou, com um ‘bis’ aos 31 e 63, bem como Seferovic (26 e 70). 

O triunfo do Benfica teve ainda maior importância face ao desaire no dia seguinte do Sporting em Tondela, com a equipa viseense reduzida a dez jogadores aos 50 minutos, mas que venceria por 2-1, deixando os ‘leões’ (4.ºs), antes do clássico, a oito pontos do FC Porto.

O campeão e líder FC Porto não ‘desaproveitou’ nada e venceu em casa o Nacional (3-1), mantendo-se tranquilo na frente, e igualando um recorde de Jorge Jesus (no Benfica em 2010/11) de 18 vitórias consecutivas em todas as competições.

17.ª jornada (10, 11, 12 e 13 de janeiro).

Golos marcados: 14.
Vitórias em casa: 2.
Empates: 4.
Vitórias fora: 3.
Resultado mais desnivelado: Santa Clara-Benfica (0-2)

O Benfica termina a última jornada da primeira volta como grande vencedor, depois de ganhar dois pontos aos três adversários no topo da tabela, depois de ganhar ao Santa Clara (2-0) e ver o FC Porto empatar com o Sporting (0-0) e o Sporting de Braga ceder uma igualdade na visita ao Portimonense (1-1).

Apesar do empate em Alvalade, os 'dragões', que não conseguiram somar a 19.ª vitória consecutiva, mantiveram a liderança, com cinco pontos de avanço sobre as 'águias', seis sobre os bracarenses e oito sobre os 'leões'.

Destaque ainda para o Desportivo de Chaves, que regressou aos triunfos após 11 rondas sem vencer, com uma vitória sobre o Tondela (2-1), e deixou o último lugar, ainda que em igualdade pontual (12) com o lanterna-vermelha Desportivo das Aves.

18.ª jornada (18, 19 e 20 de janeiro).

Golos marcados: 22.
Vitórias em casa: 2.
Empates: 2.
Vitórias fora: 5.
Resultados mais desnivelados: Desportivo de Chaves-FC Porto (1-4) e Nacional-Sporting de Braga (0-3)

O arranque da segunda volta marca o regresso às vitórias de FC Porto, Sporting e Sporting de Braga, sobre Desportivo de Chaves (4-1), Moreirense (2-1) e Nacional (3-0), respetivamente, após os empates registados na ronda anterior.

Todavia, o Benfica deu continuidade ao arranque positivo com o técnico Bruno Lage e foi a Guimarães vencer o Vitória, por 1-0, mantendo tudo igual no topo da classificação. Os ‘dragões’ lideram com mais cinco pontos do que os ‘encarnados’, seis em relação aos minhotos e oito face aos ‘leões’.

Em foco esteve ainda o Marítimo, ao somar o terceiro triunfo consecutivo, desta feita impondo-se ao Santa Clara (1-0) na deslocação aos Açores, bem como o Desportivo das Aves, que assinalou a entrada do técnico Augusto Inácio – o escolhido para a substituição de José Mota - com um triunfo sobre o Vitória de Setúbal, por 2-1, colocando um ponto final numa série de sete jogos sem ganhar.

19.ª jornada (28, 29 e 30 de janeiro).

Golos marcados: 23.
Vitórias em casa: 4.
Empates: 1.
Vitórias fora: 4.
Resultado mais desnivelado: Benfica-Boavista (5-1)

A 19.ª jornada marcou, porventura, o adeus prematuro do Sporting à luta pela conquista do título. O empate (1-1) diante do Vitória de Setúbal – que estreava Sandro Mendes no comando, após a saída de Lito Vidigal - deixou os ‘leões’ a 10 pontos do líder FC Porto, mas também a cinco do ‘vice’ Benfica e a quatro do Sporting de Braga.

Na frente, porém, continuava tudo igual. O FC Porto bateu sem problemas o Belenenses, de Silas, por 3-0, o Benfica inaugurou uma fase de goleadas, ao aplicar ‘chapa 5’ a um Boavista já sem Jorge Simão como técnico, e o Braga superou graças ao avançado Dyego Sousa a forte réplica do Santa Clara.

O Rio Ave merece também uma menção especial nesta jornada, devido ao triunfo fora de portas sobre o Marítimo, por 2-0, que interrompeu uma travessia no deserto que se traduziu em 10 rondas sem ganhar. Foi a primeira vitória de Daniel Ramos pelos vila-condenses neste campeonato.

20.ª jornada (01, 02, 03 e 04 de fevereiro).

Golos marcados: 19.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 3.
Vitórias fora: 3.
Resultados mais desnivelados: Sporting-Benfica (2-4), Boavista-Feirense (2-0) e Desportivo das Aves-Sporting de Braga (0-2)

À 20.ª jornada, Bruno Lage superou com distinção o primeiro grande teste desde que assumiu o comando do Benfica e guiou os ‘encarnados’ a uma vitória por 4-2 sobre o Sporting, em pleno Estádio José Alvalade. Mais do que os números, que até poderiam ter sido mais dilatados, foi a exibição autoritária e dominadora da formação da Luz que vincou a diferença.

Com efeito, esta revelou-se uma ronda de sonho para o Benfica, já que o líder FC Porto reencontrou a sua ‘besta negra’ Vitória de Guimarães. A única equipa a vencer os ‘dragões’ no seu terreno na primeira volta conseguiu novamente travar os campeões nacionais, impondo um nulo que reduziu para três pontos a distância no topo do campeonato.

Por fim, numa jornada em que houve três vitórias em casa, três vitórias fora e três empates, há a salientar mais um triunfo (1-0) do Moreirense, desta feita sobre o Belenenses, confirmando uma performance surpreendente do clube de Moreira de Cónegos.

21.ª jornada (08, 09, 10 e 11 de fevereiro).

Golos marcados: 23.
Vitórias em casa: 4.
Empates: 2.
Vitórias fora: 3.
Resultado mais desnivelado: Benfica-Nacional (10-0)

A maior goleada do campeonato surgiu à passagem desta jornada, na qual o Benfica arrasou o Nacional com números que já não se viam há décadas: 10-0. A fragilidade da formação de Costinha deixou de forma bem visível o crescimento do rendimento ofensivo, no qual oito jogadores assinaram a dezena de golos.

Simultaneamente, o FC Porto sofreu novo acidente de percurso longe do Dragão, permitindo o segundo empate consecutivo. Em Moreira de Cónegos, a equipa de Sérgio Conceição não foi além do 1-1, esteve mesmo a perder até aos ‘descontos’ e delapidou para apenas um ponto o conforto que detinha na primeira posição.

O resultado dos campeões foi ainda aproveitado por Sporting de Braga e Sporting, que venceram Desportivo de Chaves (2-1) e Feirense (3-1), respetivamente. Este último duelo registou a estreia de Filipe Martins em Santa Maria de Feira, sem que este tivesse conseguido travar a sequência negativa na equipa anteriormente treinada por Nuno Manta Santos.

22.ª jornada (15, 16, 17 e 18 de fevereiro).

Golos marcados: 22.
Vitórias em casa: 5.
Empates: 1.
Vitórias fora: 3.
Resultado mais desnivelado: Nacional-Feirense (4-0)

Depois de duas jornadas sem vencer, o FC Porto retomou o trilho ganhador. Na receção ao Vitória de Setúbal, os ‘dragões’ apagaram os empates no Minho diante de Vitória de Guimarães e Moreirense com um triunfo (2-0) sobre o Vitória de Setúbal.

Em Alvalade, disputou-se o jogo ‘grande’ desta ronda e o Sporting deu uma demonstração de força sobre o Sporting de Braga, ‘vingando’ o desaire da primeira volta. A vitória por 3-0 selou também mais um desempenho negativo da equipa de Abel Ferreira nos jogos com os três ‘grandes’. O mesmo resultado foi alcançado pelo Benfica diante do Desportivo das Aves.

Esquecido o pesadelo da ronda anterior no Estádio da Luz, o Nacional brilhou com o resultado mais volumoso do capítulo 22 do campeonato. A receção ao lanterna-vermelha Feirense ditou uma goleada por 4-0, na qual brilhou Sardor Rashidov, autor de um ‘hat-trick’.

23.ª jornada (22, 23, 24 e 25 de fevereiro).

Golos marcados: 20.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 3.
Vitórias fora: 3.
Resultado mais desnivelado: Benfica-Desportivo de Chaves (4-0)

Continuando a saga goleadora no Estádio da Luz, o Benfica superou o clube flaviense com quatro golos sem resposta, naquele que foi o primeiro jogo após a oficialização da renovação de contrato de Bruno Lage, apenas um mês e meio depois de ter sido apontado como técnico interino após a sucessão de Rui Vitória.

Quase na mesma medida, o FC Porto já havia ‘passeado’ por Tondela, triunfando por 3-0 e mantendo a vantagem de um ponto na liderança, num sinal em que a fase mais negativa da formação portista já tinha sido ultrapassada.

Paralelamente, a luta pelo derradeiro posto no pódio era escrita com ‘escorregadelas’, com o Sporting de Braga a ser surpreendido (2-0) em casa pelo Belenenses e o Sporting a deixar dois pontos (0-0) na visita ao Marítimo.

24.ª jornada (01, 02, 03 e 04 de março).

Golos marcados: 24.
Vitórias em casa: 5.
Empates: 2.
Vitórias fora: 2.
Resultado mais desnivelado: Belenenses-Feirense (4-0)

Numa jornada com apenas duas vitórias fora, uma veio a revelar-se decisiva para o destino do campeonato: o Benfica foi ao Dragão triunfar por 2-1 - com golos de João Félix e Rafa pelos ‘encarnados’ e Adrian Lopez pelos ‘azuis e brancos’ - e consumou a ultrapassagem ao rival azul e branco na liderança.

No espaço de dois meses, a equipa de Bruno Lage conseguiu recuperar nove pontos face aos ‘dragões’ e ficava agora dependente de si mesma para confirmar o 37º título da sua história, depois de ter estado a sete pontos e praticamente descartada do campeonato.

Já entre as cinco vitórias caseiras sobressaíram a goleada (4-0) do Belenenses ao Feirense, que assim somava o 22.º jogo seguido sem ganhar – igualando uma marca negativa do Varzim que remontava a 1984/85 -, e o triunfo (2-0) do Desportivo das Aves sobre o Boavista, impondo a primeira derrota a Lito Vidigal desde que assumira os ‘axadrezados’.

25.ª jornada (08, 09, 10 e 11 de março).

Golos marcados: 24.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 4.
Vitórias fora: 2.
Resultado mais desnivelado: Portimonense-Nacional (5-1)

Da vantagem de dois pontos e da liderança conseguida no Dragão a tudo ‘a zeros’ em menos de uma semana: o Benfica tropeçou na receção ao Belenenses, ao empatar a dois golos depois de ter estado a vencer por 2-0, e deixou o FC Porto igualar o rival no primeiro lugar, em virtude do triunfo (2-1) sobre o Feirense.

Com o campeonato ao rubro, Braga e Sporting prosseguiram a corrida pelo terceiro lugar, separados por três pontos, tendo ambos vencido nesta ronda. A equipa de Marcel Keizer superou o Boavista, por 2-1, na deslocação ao terreno do Boavista, enquanto que os bracarenses saíram vencedores do dérbi do Minho (1-0 ao Vitória de Guimarães).

No entanto, a equipa que mais brilhou foi o Portimonense, que goleou em casa o Nacional, por 5-1. A formação comandada por António Folha deu um salto rumo à tranquilidade no campeonato, com o nono posto, distanciando-se dos lugares do fundo da tabela.

26.ª jornada (15, 16 e 17 de março)

Golos marcados: 21.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 2.
Vitórias fora: 4.
Resultado mais desnivelado: Moreirense-Benfica (0-4)

Numa das saídas consideradas mais complicadas até ao final da I Liga, por força da brilhante temporada do Moreirense, o Benfica conseguiu impor mais uma goleada (4-0) e respondeu da melhor forma à pressão colocada pelo FC Porto.

A jogar antes do rival ‘encarnado’, a equipa de Sérgio Conceição ficou provisoriamente na liderança depois de ganhar ao Marítimo, por 3-0, com golos de Alex Telles, Éder Militão e Brahimi. A resposta do Benfica voltou a nivelar a contenda, onde a única e decisiva diferença era o confronto direto favorável ao clube da Luz.

Uma nota ainda para a estreia vitoriosa do treinador José Mota à frente do Desportivo de Chaves. Os flavienses, que tinham avançado para a segunda chicotada da época com a demissão de Tiago Fernandes, bateram fora o Desportivo das Aves, por 1-0, ganhando algum alento na luta pela permanência.

27.ª jornada (29, 30 e 31 de março e 01 de abril)

Golos marcados: 23.
Vitórias em casa: 4.
Empates: 0.
Vitórias fora: 5.
Resultados mais desnivelados: Desportivo de Chaves-Sporting (1-3), Portimonense-Moreirense (0-2), Rio Ave-Desportivo das Aves (0-2) e Boavista-Belenenses (2-0)

Sem empates a registar, a ronda ficou marcada pela ascensão do Sporting ao terceiro lugar. Apesar da igualdade pontual a 58 pontos, os ‘leões’ detinham vantagem no confronto direto sobre os ‘arsenalistas e capitalizaram o triunfo (3-1) sobre o Desportivo de Chaves numa jornada em que o Sporting de Braga se viu derrotado (3-2) na ‘Pedreira’ pelo FC Porto.

No jogo de maior ‘cartaz’ da 27ª jornada, os ‘dragões’ beneficiaram de um ‘bis’ de Tiquinho Soares e do golo de Alex Telles para contrariar os tentos de Wilson Eduardo e Murilo Sousa. E assim o FC Porto superava o teste apontado como o mais complicado da reta final.

Já o Benfica sofreu para ultrapassar na Luz o Tondela (1-0), com o golo de Seferovic nos minutos finais a ser crucial. Por fim, o Vitória de Setúbal colocou um ponto final numa sequência de 15 jogos sem vencer com a vitória (1-0) diante do Feirense.

28ª jornada (05, 06, 07 e 08 de abril)

Golos marcados: 23.
Vitórias em casa: 6.
Empates: 2.
Vitórias fora: 1.
Resultado mais desnivelado: Vitória de Guimarães-Desportivo de Chaves (4-0)

Do sinal dado na jornada anterior, o Sporting de Braga confirmou mesmo a quebra de rendimento e sofreu a segunda derrota seguida. Desta vez, a formação de Abel Ferreira foi batida por 1-0 pelo Moreirense e perdeu o ‘comboio’ do terceiro lugar em definitivo pelo Sporting, que derrotou (3-0) o Rio Ave, em Alvalade.

Por sua vez, o Benfica voltou a defender a liderança com sucesso, na sequência da vitória (4-1) frente ao Feirense, que assim somava mais um capítulo na sua triste história neste campeonato, afundado no último lugar e sem perspetiva de salvação.

De referir ainda o regresso aos triunfos do Tondela, após seis rondas sem sentir o sabor da vitória. A equipa beirã recebeu e venceu o Portimonense, por 3-2, numa reviravolta épica conseguida no segundo tempo.

29.ª jornada (12, 13 e 14 de abril)

Golos marcados: 28.
Vitórias em casa: 5.
Empates: 2.
Vitórias fora: 2.
Resultados mais desnivelados: Portimonense-FC Porto (0-3) e Sporting de Braga-Tondela (3-0)

Na segunda jornada com mais golos da segunda volta (28), o principal contributo veio, uma vez mais, do ataque do Benfica, com quatro golos apontados na receção ao Vitória de Setúbal (4-2), tendo o extremo Rafa Silva se destacado com mais dois golos na prova.

Os ‘encarnados’ não foram os únicos com um triunfo seguro nesta ronda, uma vez que o FC Porto venceu o Portimonense, no Algarve, por 3-0. Os tentos de Brahimi, Marega e Herrera asseguraram mais uma jornada de duelo sem tréguas pelo primeiro lugar com o rival Benfica.

Os mesmos números foram conseguidos pelo Sporting de Braga diante do Tondela, enquanto o Sporting conseguiu ultrapassar o Desportivo das Aves (3-1), num jogo em que jogou com 10 elementos desde o início do jogo.

30.ª jornada (19, 20 e 22 de abril)

Golos marcados: 20.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 1.
Vitórias fora: 5.
Resultado mais desnivelado: Benfica-Marítimo (6-0)

A jornada 30 assinalou mais uma goleada do Benfica na competição. A vítima da equipa de Bruno Lage foi desta vez o Marítimo, que saiu vergado da Luz a um pesado 6-0, no qual se destacaram o jovem João Félix e o extremo argentino Cervi, ambos autores de dois golos.

De forma distinta, um golo solitário do maliano Moussa Marega foi quanto bastou para o FC Porto vencer no Estádio do Dragão o Santa Clara, mantendo tudo igual na disputa do título de campeão nacional.

No capítulo das maiores surpresas da ronda, o Desportivo de Chaves foi a Moreira de Cónegos bater a equipa de Ivo Veira, por 1-0, mantendo ainda acesa a esperança da manutenção para o clube trasmontano.

31.ª jornada (26, 27 e 28 de abril)

Golos marcados: 26.
Vitórias em casa: 6.
Empates: 2.
Vitórias fora: 1.
Resultados mais desnivelados: Desportivo de Chaves-Nacional (4-1), Sporting de Braga-Benfica (1-4) e Desportivo das Aves-Belenenses (3-0)

Em Braga, o Benfica saiu vencedor, ao impor-se por 4-1 diante dos minhotos. A vitória dos ‘encarnados’ consumou o pleno de triunfos fora de portas sobre os outros três adversários que chegaram a sonhar com a conquista do título, num jogo em que o líder esteve a perder e apenas selou o triunfo na segunda parte com golos de Pizzi (2, g.p.), Rúben Dias e Rafa.

O triunfo foi de importância capital para o Benfica, que assim passou a deter novamente dois pontos de vantagem sobre o FC Porto no topo da classificação, em consequência do empate (2-2) cedido pelos ‘dragões’ em Vila do Conde frente ao Rio Ave.

A ronda, que ficou marcada pelas críticas do FC Porto à arbitragem, promoveu a derradeira separação entre os dois rivais na classificação da I Liga.

32.ª jornada (03, 04, 05 e 06 de maio)

Golos marcados: 42.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 2.
Vitórias fora: 4.
Resultado mais desnivelado: Belenenses-Sporting (1-8)

O pecúlio de 42 golos fez da jornada 32 a mais rica de todo o campeonato, na qual pesou sobremaneira a goleada do Sporting ao Belenenses, por 8-1. Foi o segundo resultado mais desnivelado da prova e o maior dos ‘leões’ na I Liga, com especial realce para os três golos do médio internacional português Bruno Fernandes.

Aliás, as goleadas foram a toada dominante desta ronda, com o Benfica a derrotar o Portimonense por 5-1, mas num jogo em que os ‘encarnados’ só encontraram o caminho da vitória nos últimos 30 minutos.

O FC Porto também não sentiu dificuldades para vergar o Desportivo das Aves a um concludente 4-0 no Estádio do Dragão, cumprindo a missão de pressionar o rival Benfica até ao fim.

A terminar, o empate mais volumoso do campeonato, com uma surpreendente igualdade a quatro golos entre os aflitos Feirense e Desportivo de Chaves.

33.ª jornada (10, 11 e 12 de maio)

Golos marcados: 40.
Vitórias em casa: 3.
Empates: 2.
Vitórias fora: 4.
Resultados mais desnivelados: Vitória de Guimarães-Belenenses (5-1) e Nacional-FC Porto (0-4)

Nova jornada a atingir a fasquia das quatro dezenas de golos e na qual as goleadas estiveram novamente em evidência, sobressaindo neste capítulo o Vitória de Guimarães e o FC Porto, e o Feirense a repetir um empate a quatro golos, agora com o Santa Clara.

Os vimaranenses foram os únicos a aplicar ‘chapa 5’, com o Belenenses a sofrer novo desaire pesado, e os ‘dragões’ passearam (4-0) diante do Nacional, confirmando a descida dos ‘alvinegros’.

No entanto, todas as atenções estiveram voltadas para o Rio Ave-Benfica, um jogo que a equipa de Bruno Lage acabou por vencer (3-2), ultrapassando com sucesso a última deslocação fora de portas e abrindo em definitivo as portas do título.

Foi também nesta ronda que o Sporting acabou com a esperança de ainda poder chegar a uma vaga na pré-eliminatória da próxima Liga dos Campeões, ao não ir além de um empate 1-1 na receção ao Tondela.

34.ª jornada (16, 17, 18 e 19 de maio)

Golos marcados: 32.
Vitórias em casa: 6.
Empates: 0.
Vitórias fora: 3.
Resultados mais desnivelados: Tondela-Desportivo de Chaves (5-2), Benfica-Santa Clara (4-1) e Belenenses-Nacional (3-0)

À última jornada, a confirmação do título de campeão com mais uma goleada: o Benfica bateu o Santa Clara, por 4-1, alcançando a marca de 103 golos na I Liga, algo que já não sucedia desde a década de 70 do século XX, e terminou a competição com 87 pontos.

A vitória confirmou ainda o suíço Haris Seferovic como melhor marcador do campeonato, com 23 golos, mais três do que o médio ‘leonino’ Bruno Fernandes (20) e mais seis do que o colega de equipa Rafa Silva (17).

De nada serviu a vitória do FC Porto no clássico com o Sporting, no Estádio do Dragão, por 2-1, com golos de Danilo e Herrera, que deixaram a equipa de Sérgio Conceição com a marca de 85 pontos.

Depois das já conhecidas descidas de Nacional e Feirense, o Desportivo de Chaves selou também a despromoção ao perder o ‘match-point’ com o Tondela, por 5-2, na decisão do último clube que iria cair para o segundo escalão.