Liga 18/19
Inácio selou permanência do Aves com recorde de pontos
2019-05-20 14:00:00
Avenses conseguiram a manutenção pela segunda época consecutiva, com 36 pontos, um novo máximo da equipa na I Liga

O Desportivo das Aves garantiu, pela segunda vez consecutiva, a permanência na I Liga, alcançando o 14.º lugar em 2018/19, num percurso em crescendo a partir da chegada de Augusto Inácio, no arranque da segunda volta.

O experiente técnico, de 64 anos, substituiu José Mota após a 17.ª jornada e na apresentação fez questão de dizer que não era um perdedor, fixando como meta os 36 pontos, o triplo dos que o Aves, na altura no último lugar, tinha à sua chegada.

Encontrou uma equipa descrente e desconfiada, sem vencer nos últimos sete jogos e já marcada por um arranque em falso, com um empate a ‘disfarçar' quatro derrotas.

Inácio acertou no prognóstico e na arriscada solução para um plantel curto e que ‘encolheu' mais em janeiro, sem a devida compensação no mercado de transferências, assumindo cada jogo como uma final, a partir de um esquema de três defesas, com povoamento do meio campo e velocidade no ataque.

Neste modelo tático, Mama Baldé, cedido pelo Sporting, foi o jogador que mais fez a diferença, com oito golos, o dobro de Derley, a referência no ataque, apoiados pela revelação Luquinhas, resgatado à equipa de sub-23, como seriam outros, num caso de sucesso português neste escalão.

Inácio estreou-se a ganhar na receção ao Vitória de Setúbal (2-1), repetindo a graça em Tondela (2-0), iniciando um percurso fora de portas que lhe rendeu 15 pontos, contra os oito que conquistou em casa.

Os primeiros tropeções aconteceram nas Aves frente ao Sporting de Braga (2-0) e Benfica (3-0), mas não feriram o objetivo, continuado com a conquista de mais cinco pontos.

Por esta altura, o Aves já ‘mordia' os adversários que antes vira ao longe e a inesperada derrota na 26.ª jornada, na receção ao Chaves (1-0), no regresso de José Mota, logo foi ultrapassada em Vila do Conde (vitória por 2-0).

Mas, a chave desta recuperação, reconhecida pelo próprio técnico, aconteceu após as vitórias em Guimarães (2-0) e frente ao Belenenses (3-0), na 30.ª e 31.ª jornadas, ao permitir que a equipa se adiantasse aos adversários diretos.

Com menos pressão, a permanência estava perto e a boa nova chegou finamente na 32.ª jornada, com a derrota caseira do Tondela, equivalendo a uma vitória ‘Champions’, diria depois Inácio, numa ronda em que o Aves sofreu a mais pesada derrota da segunda volta (4-0 no Dragão, frente ao FC Porto).

Inácio queria mais pontos e uma classificação melhor, mas já não deu para mais, ainda que os 36 pontos sejam um novo máximo da equipa na I Liga.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa