Grande Futebol
Um fenómeno mexicano: Quem segura Djaniny Tavares?
2018-02-15 23:00:00
O antigo avançado do Benfica, UD Leiria, Olhanense e Nacional está imparável pelo México ao serviço do Santos Laguna.

Djaniny Tavares, recorda-se dele? Pois bem, o avançado cabo-verdiano que despontou na UD Leiria em 2011/12 com cinco golos em 29 jogos, e que com isso ganhou passaporte para o Estádio da Luz antes de rumar ao Olhanense e ao Nacional, está em grande no campeonato mexicano. Já depois de ter sido fulcral no título do Santos Laguna em 2014 ainda com Pedro Caixinha ao comando do emblema de Torreón, Djaniny vai protagonizando em 2017/18 a melhor temporada da carreira. Na fase Clausura do campeonato mexicano, Djaniny leva já dez golos marcados em apenas sete encontros disputados e dobra o registo para o segundo melhor marcador do campeonato mexicano.

Djaniny Tavares é um ídolo no México. Em particular, por Torreón, um dos municípios do estado de Coahuila e local onde o Santos Laguna tem sede. De todos os jogadores campeões com Caixinha na equipa do Santos Laguna, poucos restam. Djaniny é um deles, para gáudio dos adeptos da equipa mexicana. O internacional cabo-verdiano tem sido uma das figuras da equipa desde que chegou ao México pela mão de Pedro Caixinha, mas nunca viviu uma temporada assim. Muito menos, um torneio tão fulgurante como o que está a ter neste Clausura 2018. Em apenas sete jogos disputados, Djaniny leva já dez golos apontados. Um registo que duplica o número de golos apontados pelo segundo melhor marcador da fase Clausura do campeonato mexicano conseguido por Henry Martín do gigante Club América.

Aos dez golos já apontados por Djaniny durante o Clausura 2018, acrescem quatro golos apontados durante a fase Apertura do campeonato mexicano, elevando o total de golos em 2017/18 de Djaniny para catorze golos. Registo que, até agora, só tinha sido conseguido pelo internacional cabo-verdiano em 2015/16. Djaniny tem, por isso, vários meses para tornar 2017/18 na temporada mais prolífica da sua carreira e só precisa de um golo para isso. Uma coisa é certa, até aqui, nunca Djaniny tinha conseguido fazer tantos golos num só torneio desde que chegou ao México. O máximo de carreira tinha acontecido em 2015 durante o torneio Apertura quando Djaniny apontou sete golos ao serviço do Santos Laguna.

Quem segura Djaniny Tavares? Seguramente não o Club León que na madrugada passada sofreu uma copiosa goleada aos pés do Santos Laguna em Torreón por 5-1, jogo no qual Djaniny apontou três e deu seguimento ao mito que vai criando pelo México. E, qual Messi de Cabo Verde, aos 35 minutos, naquele que foi o seu segundo golo na partida, fez um golo de levantar o estádio e deixou o México de água na boca. O melhor mesmo é ver.

Sê o primeiro a comentar: