Grande Futebol
Thierry Henry não consegue dar cor ao Jardim do Mónaco
2018-11-04 19:00:00
Mítico internacional francês com começo de arrepiar: quatro jogos e nenhuma vitória

Thierry Henry está a protagonizar um começo verdadeiramente desastroso no comando técnico do AS Monaco e no primeiro projeto que inicia como treinador principal, não conseguindo fazer esquecer Leonardo Jardim. O mítico internacional francês ainda não conseguiu vencer um único jogo desde que a 17 de outubro foi apresentado como treinador da equipa do principado. E já lá vão quatro desafios, o último dos quais este sábado, culminado em mais uma derrota, desta feita, diante do Stade de Reims.

Sete pontos em 12 jornadas, correspondentes uma vitória sete empates e quatro derrotas é o saldo do clube monegasco que, com Henry, que tem o português João Tralhão como adjunto, soma duas derrotas e um empate no campeonato francês, bem como uma igualdade na Liga dos Campeões, na Bélgica, frente ao Clube Brugge (1-1).

Apresentado a 17 de outubro, o adjunto de Roberto Martínez na seleção belga no decorrer do último Campeonato do Mundo na Rússia estreou-se no comando dos monegascos três dias depois em Estrasburgo. O AS Monaco esteve a perder por 2-0 e só nos minutos de compensação é que conseguiu marcar um golo, convertido por Tielemans, de penálti. Um começo pouco prometedor, portanto. Seguiu-se, então, o jogo da Champions diante do Clubbe Brugge, que terminou com a repartição de pontos. O jovem Sylla, aposta de Henry, ainda colocou os forasteiros na frente, mas Wesley empatou ainda na primeira parte sem que o resultado sofresse qualquer alteração. De regresso à liga francesa, o AS Mónaco não foi além de um empate a dois, em casa, diante do Dijon FCO. E foi o internacional polaco Glik quem evitou males maiores ao igualar o encontro a 12 minutos do final. Neste fim de semana, um golo de Cafro aos 24 minutos foi suficiente para o modesto Stade Reims vencer.

Face a este cenário desolador, de uma vitória em 12 jogos disputados, o AS Monaco ocupa a última posição da liga francesa, a par do EA Guingamp, somando apenas sete pontos, menos quatro do que o Dijon FCO, a primeira equipa a salvo da descida de divisão nesta altura.

Os números mostram então que o internacional francês não está a conseguir fazer esquecer Leonardo Jardim. E, curiosamente, este domingo Costinha, que durante anos representou os monegascos, falou disso mesmo como exemplo do mau momento que o Nacional atravessa. Confrontado com uma eventual mudança na filosofia de jogo, Costinha não hesitou na resposta: "A filosofia de jogo, mesmo que possa ser mudada, não traz benefícios e vou citar como exemplo o Mónaco de Leonardo Jardim, agora sob o comando de Thierry Henry, que é o mesmo. As derrotas têm acontecido também com o novo treinador". "Por isso, teremos que olhar para o lado positivo das coisas, acreditando naquilo que fazemos, porque foi desta forma que na época passada fomos promovidos à primeira liga, acreditando sempre e tendo confiança no nosso trabalho", acrescentou.

Apesar do mau momento, Thierry Henry, embora reconhecendo a fase complicada, não desarma. "A confiança voltará assim que conseguirmos obter um triunfo", refere a antiga estrela da seleção francesa, que se tornou rei em Londres ao serviço do Arsenal.

 

Sê o primeiro a comentar: