Grande Futebol
"Se o meu irmão não vai, eu não vou!"
2018-10-15 22:15:00
Leon Bailey diz que a Federação de Futebol da Jamaica não cumpriu com o acordo e recusa-se a representar a seleção

A seleção da Jamaica derrotou Bonaire por 6-0 no último domingo e era suposto que Leon Bailey, jogador do Bayer Leverkusen, se estreasse pela equipa nacional nessa partida. Contudo, tal acabou por não acontecer porque o próprio atleta decidiu não o fazer. Porquê? Porque o irmão não foi convocado. Segundo Bailey, havia um acordo com a Federação de Futebol da Jamaica (FFJ) para que Kyle Butler, o irmão de Leon, também fosse chamado, o que acabou por não acontecer. E tudo vai ficar na mesma até que aconteça.

Com 21 anos, Leon Bailey brilha ao serviço do Bayer Leverkusen na Bundesliga, estando na terceira temporada ao serviço do clube. Despontou como sénior nos belgas do KRC Genk, onde esteve apenas uma temporada e meia. Contudo, esse curto período de tempo chegou para realizar muitos jogos e marcar um número bastante favorável de golos. O extremo foi assim transferido para o Bayer Leverkusen a meio de 2016/17 e na época seguinte já se assumiu como titular do conjunto de Heiko Herrlich, faturando 12 vezes em 34 jogos. Leva um golo em nove partidas em 2018/19.

Para Leon Bailey, a presença do irmão Kyle Butler, médio dos austríacos do LASK Linz, era obrigatória para que pudesse jogar pela seleção da Jamaica. Bailey chegou mesmo a viajar para o país da América Central, mas tomou a decisão de não atuar contra Bonaire assim que percebeu que a FFJ pretende colocar Butler em testes. Bailey entende que "um jogador profissional como Kyle não devia passar pelo escrutínio de um teste quando jogadores de um nível inferior não o têm de fazer", como explica o 'Jamaica Gleaner'.

"Obviamente, vim para a Jamaica por causa da seleção. Decidi vir graças ao acordo que tínhamos. Mas quando cá cheguei, foi um cenário completamente diferente. Não cumpriram a parte deles, logo, decidi não jogar este jogo. Estou aqui por uma razão: representar o país. Mas eles [FFJ] não cumpriram com a parte deles. Assim que eles estejam dispostos a fazer isso, estou pronto para vestir a camisola da seleção nacional", explicou Bailey ao 'Jamaica Gleaner'.

Para Bailey, a presença do irmão é essencial para que possa oferecer o máximo do seu rendimento à seleção jamaicana. Assim que Kyle Butler for chamado, o craque do Bayer Leverkusen entra em campo com as cores da Jamaica. E admite mesmo que isso aconteça já no próximo dia 17 de novembro (01h00 de 18 de novembro em Portugal), data do Jamaica-Suriname a contar para a qualificação para a Liga das Nações da CONCACAF.

"Quero ser um dos melhores do mundo e amo muito o meu país. Mas também tenho de pensar nos meus intereses e vir jogar para a Jamaica sem a devida ajuda pode ajudar a estragar a minha carreira. Não é por estar bem na Europa que posso vir para aqui e destruir tudo. Uma pessoa sozinha não consegue nada. Vou precisar de apoio de bons jogadores e eu conheço bons jogadores porque cresci a jogar com eles. Agora jogo com bons jogadores, e tudo o que peço são pequenas coisas que eles podem resolver. Por isso, se eles não me ajudarem eu não os posso ajudar. Está nas mãos deles. Assim que eles fizerem o que é suposto, represento o meu país em novembro. Espero que eles sejam inteligentes. Quero representar o meu país e está nas mãos deles que isso aconteça", frisou Leon Bailey.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa