Grande Futebol
Royal Antuérpia: de volta ao topo com Laszlo Boloni na liderança
Luís Santos Castelo
2017-12-28 15:30:00
Treinador romeno recolocou o histórico clube na elite do futebol da Bélgica

Tivesse Pedro Madeira Rodrigues vencido as eleições presidenciais do Sporting, realizadas em março passado, e, provavelmente, este texto não seria escrito. Tudo porque Laszlo Boloni estava entre as promessas do antigo candidato que concorreu e perdeu contra Bruno de Carvalho mas, hoje, o romeno é treinador de uma das equipas sensação da Liga Belga. Trata-se do Royal Antuérpia, recém-promovido à primeira divisão e atual quarto classificado depois da vitória desta quarta-feira por 3-0 na casa do Sint-Truiden.

Técnico da última equipa do Sporting que se sagrou Campeã Nacional, em 2001/02, Boloni regressou ao ativo depois da segunda passagem pelo médio oriente, onde orientou o Al-Khor (Catar) e o Al-Ittihad (Arábia Saudita). Com uma longa carreira que passou também por países como França, Roménia, Portugal, Emirados Árabes Unidos ou Grécia, Laszlo Boloni regressou à Bélgica, onde jogou nos anos 80 pelo Racing Jet Wavre e onde treinou, já neste século, o Standard Liège.

No Royal Antuérpia, onde está desde o início de 2017/18, Boloni está a fazer um trabalho de excelência e tem superado todas as expetativas. No quarto lugar, está à frente de clubes como o KAA Gent, o Standard Liège ou o KRC Genk e está a apenas seis pontos do Anderlecht e a oito do Royal Charleroi. O Club Brugge, primeiro classificado, não tem dado quaisquer hipóteses à concorrência e leva uma vantagem muito significativa. Contudo, a presença do Royal Antuérpia na fase de apuramento de campeão, para a qual se apuram os seis primeiros, está muito bem encaminhada e o recente triunfo sobre o Sint-Truiden, sexto classificado, foi um grande passo nesse sentido, com a equipa a ter agora mais oito pontos que o Standard Liège de Sá Pinto, dono da sétima posição da tabela.

Um histórico da Bélgica, o Royal Antuérpia tem no palmarés quatro Ligas e duas Taças, ainda que conquistas desse nível já não aconteçam há decadas. O clube venceu o campeonato em 1928/29, 1930/31, 1943/44 e 1956/57, estando há mais de 60 anos sem levantar o troféu mais importante do país. A primeira Taça da Bélgica foi ganha em 1954/55, enquanto a segunda, em 1991/92, foi o último troféu de 'primeira' que o Royal Antuérpia venceu.

Na Europa, os vermelhos e brancos têm como principal memória a final da Taça das Taças perdida para o Parma FC em 1992/93, mas a história regista também participações na Taça dos Clubes Campeões Europeus e na Taça UEFA. O último jogo do Royal Antuérpia para as competições europeias aconteceu em 1997, quando empatou a dois golos com os suíços do Lausanne Sport.

Agora, depois de 14 anos de ausência, o Royal Antuérpia está de volta à Liga Belga graças à conquista do campeonato do segundo escalão. Em 2016/17, no playoff de apuramento do campeão da Segunda Liga, o Royal Antuérpia bateu, a duas mãos, o KSV Roeselare por 5-2, assegurando dessa forma o título e o regresso ao principal campeonato (apenas sobe uma equipa). Dificilmente se podia esperar mais de um clube que esteve longe daquilo que já conseguiu

No plantel, o Royal Antuérpia conta com várias caras conhecidas dos adeptos portugueses. Aurélio Buta, emprestado pelo Benfica, e Ivo Rodrigues, cedido pelo FC Porto, são os dois lusitanos da equipa, e a eles juntam-se o guarda-redes turco Sinan Bolat (ex-FC Porto, FC Arouca e Nacional), o médio Luka Stojanovic e o avançado William Owusu (ambos ex-Sporting). Bolat é mesmo o elemento mais utilizado por Boloni em 2017/18, enquanto William Owusu e Ivo Rodrigues também figuram nos dez jogadores com mais minutos do plantel esta temporada.

Sê o primeiro a comentar: