Grande Futebol
O regresso da Lenda: Claudio Pizarro está de volta a Bremen
2018-07-29 16:10:00
O melhor marcador estrangeiro da história da Bundesliga regressou a Bremen para terminar a carreira.

Se no futebol, como na vida, sempre se ouviu dizer que nunca se deve regressar a um lugar onde já se foi feliz, certamente o ditado não chegou ao Peru ou, pelo menos, a Claudio Pizarro. Pizagol, o Conquistador, o Bombardeiro dos Andes, está de regresso. Pela quarta vez na carreira, e aos 39 anos, Claudio Pizarro regressa ao Werder Bremen onde há muito conquistou um lugar no livro da história do emblema de Bremen. Como Pizarro nunca houve outro. Nunca alguém marcou tantos golos com a camisola Grün-Weißen, com a camisola verde e branca. Como Pizarro, na Bundesliga, nunca houve outro.

Aos 39 anos, Claudio Pizarro prepara-se para pendurar as botas e terminar a carreira de futebolista. Não a terminará em casa, mas é quase o mesmo. Quando a temporada terminar e Claudio Pizarro disser por fim adeus aos relvados, fá-lo-á com a camisola onde se fez herói. "Estou feliz por ter a oportunidade de me juntar novamente ao Werder Bremen, poder finalizar a minha carreira no clube onde comecei na Europa", afirmou à chegada ao clube que irá representar pela quarta vez na carreira, para um total de nove temporadas ao serviço do Werder Bremen. Em 2018/19 receberá somente consoante o que produzir. Nisso não há risco. Golos é com Pizarro.

Quando Claudio Pizarro voltar a pisar um relvado com a camisola do Werder Bremen vestida em qualquer jogo oficial que seja, estará em campo o goleador histórico da equipa verde e branca. Nunca outro, estrangeiro ou alemão, apontou tantos golos como o Bombardeiro dos Andes ao serviço da equipa de Bremen. Ao todo foram até agora 144 em 271 jogos, um registo que em média representa um golo a cada dois jogos para o peruano. 144 golos que em muito ajudaram Pizarro a estabelecer-se como o melhor marcador estrangeiro da história da Bundesliga. 192 em 446 jogos distribuídos entre Werder Bremen e Bayern Munique.

Para Pizarro, na Alemanha, foi chegar, ver e vencer. Contratado pelo Bremen ao Alianza Lima do Peru em 1999 depois de 18 golos em 22 jogos pelo emblema peruano, Pizarro chegou e apontou 23 golos em 37 jogos na temporada de estreia na Europa. Período de adaptação? Isso é para os outros. Com 38 golos em duas temporadas na Alemanha, Pizarro passou a ter meio Mundo atrás de si. Entre Real Madrid, FC Barcelona, Inter Milão ou Bayern Munique, a escolha acabou por recair nos bávaros e nas seis temporadas seguintes que passou na Baviera fez-se um dos melhores avançados do Mundo. Nunca ficou abaixo dos 12 golos, em quatro dessas temporadas roçou ou ultrapassou as duas dezenas de golos e títulos foram demais para serem contados em duas mãos.

Na alta roda do futebol há mais de 20 anos, poucos homens apontaram tantos golos na últimas duas décadas quanto Claudio Pizarro, mesmo que o Bombardeiro dos Andes poucas vezes seja reconhecido como um dos maiores goleadores da sua geração. Afinal, não é qualquer um que se estabelece como o melhor marcador estrangeiro da história de uma das cinco maiores ligas do Mundo, certo? É que, esse, é um dos feitos de Pizarro, uma aventura que começou já em 1999 e que desde então, em apenas quatro ocasiões, Claudio Pizarro não terminou a temporada com pelo menos 11 golos marcados. Aconteceu em 2007/08 numa efémera experiência em Inglaterra ao serviço do Chelsea, bem como em 2014/15 ao serviço do Bayern Munique. As outras duas? Precisamente nas duas últimas temporadas. Já em Bremen na temporada 2016/17 quando não foi além de um golo em 19 jogos, mas também na temporada passada quando um golo em 16 jogos pouco ajudou o FC Colónia a garantir a manutenção na Bundesliga.

Claudio Pizarro regressa ao Bremen, por isso, na pior fase da carreira. Não surpreende, afinal, chega pela quarta vez a Bremen já com 39 anos e para terminar a carreira como o próprio afirmou. Quando a quatro de março de 2018 Pizarro anotou o único golo que apontou ao serviço do Colónia, o peruano colocou um ponto final a uma seca de golos que praticamente roçou o ano civil. 2018/19 será, por isso, uma temporada especial para o Werder Bremen, com o maior goleador da história do clube a regressar a Bremen juntando-se a Marco Bode, antigo líder goleador do clube verde e branco, agora presidente, a quem Pizarro roubou o título. O suficiente para fazer regressar o Bremen ao topo?

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa