Grande Futebol
O jogo mais bizarro da história e o autogolo da vitória
2018-12-27 11:00:00
O objetivo do futebol é introduzir a bola entre os postes do adversário? Nem sempre.

O 52.º aniversário da independência de Barbados foi há poucos dias e houve, por isso, uma história a ser desencantada. E nós vamos buscá-la também, porque é demasiado boa para ser esquecida. É a história de um jogo de futebol que é, provavelmente, o mais bizarro da história deste desporto. A 27 de janeiro de 1994, Barbados e Grenada defrontaram-se a contar para a Taça das Caraíbas. E mal sabiam eles que ficariam na história do futebol.

Ponto de situação (atenção, que as regras são complexas e bizarras):
- A equipa de Barbados precisava de ganhar por dois golos para seguir em frente.
- Este jogo era da fase de grupos, mas, nesta prova, a fase de grupos não previa empates.
- Grenada estaria na final caso vencesse ou caso perdesse por um golo. Com um empate, haveria prolongamento.
- Caso alguma equipa marcasse no prolongamento, o ainda vigente “golo de ouro” valeria… por dois. Sim, leu bem. Não sabemos por que motivo, mas valeria por dois.

Regras percebidas? Vamos ao jogo.

A partida trouxe uma vantagem de 2-0 para Barbados, mas Grenada fez o 2-1 a sete minutos do final do jogo. Barbados estaria eliminado, a não ser que marcasse um golo. Um golo… em qualquer baliza. Se fosse na própria baliza, faria o 2-2 e levaria o jogo a prolongamento, tendo a possibilidade de vir a marcar o tal "golo de ouro" que valia por dois.

E foi mesmo este o pensamento de um jogador de Barbados, que percebeu que, com a tática ultra-defensiva de Grenada, não conseguiria marcar um golo que desse o precioso 3-1. Assim sendo, correu para a própria baliza e fez um auto-golo.

Nesta altura, Grenada precisava de marcar um golo – fosse em que baliza fosse – para evitar o prolongamento e chegar à final. Claro está que, percebendo o que se estava a passar, os jogadores de Grenada tentaram marcar na sua própria baliza. O problema é que os astutos rapazes de Barbados já tinham iniciado a maior comédia da história do futebol, defendendo a baliza… de Grenada (bem como a sua).

Dizem que o Mundo é dos espertos e, neste caso, foi mesmo. O jogo foi para prolongamento e Barbados conseguiu marcar no quarto minuto desse prolongamento. Com esse "golo de ouro" a valer por dois, conseguiu chegar à final, vencendo por 4-2.

“Sinto-me roubado. A pessoa que inventou estas regras deveria ser candidata a entrar num hospital psiquiátrico. Este jogo nunca deveria ter sido jogado, dado que muitos jogadores nem sabiam que baliza deveriam atacar. No futebol, é suposto marcar contra os teus adversários, não a favor deles”, disse, no final, James Clarkson, treinador de Grenada.

E acabamos mesmo assim, porque Clarkson fez o resumo perfeito.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa