Grande Futebol
O dia em que Messi chorou "como um bebé que perdeu a mãe"
Luís Santos Castelo
2018-09-14 15:00:00
O jogador do FC Barcelona ficou de rastos e foi encontrado sozinho "sem que ninguém o pudesse consolar"

26 de junho de 2016. Neste dia, Lionel Messi disputava mais uma final da Copa América ao serviço da seleção Argentina. Tal como nas outras, saiu derrotado. Contudo, esta prata foi especialmente dura para o craque do FC Barcelona, não tivesse reagido imediamente com o abandono da seleção (decisão revertida mais tarde). Agora, um relato de quem fez parte da equipa técnica revela que Messi ficou bastante afetado emocionalmente com a derrota com o Chile após o desempate através dos pontapés de penálti. Tanto que foi apanhado a chorar sozinho às duas da manhã.

Segundo Elvio Paolorosso, preparador físico da equipa técnica de Gerardo 'Tata' Martino, então selecionador da Argentina, os momentos que se seguiram à final foram bastante duros para a equipa e principalmente para Messi. "O balneário depois da Copa América foi muito doloroso, mas o pior veio depois. Às duas da manhã, mais ou menos, encontrei o Leo [Messi] sozinho, absolutamente sozinho, chorando como um bebé que perdeu a mãe", revelou Elvio Paolorosso ao programa de rádio 'Jogo Bonito'. "Ele estava deitado ali sem que ninguém o pudesse consolar. Eu abracei-o e choramingámos um pouco os dois", acrescentou.

Depois de 0-0 no final dos 120 minutos, o Argentina-Chila da final da Copa América de 2016 foi para penáltis. Aí, Lionel Messi foi um dos maiores responsáveis pela derrota da sua equipa ao atirar por cima da baliza de Claudio Bravo. Tudo isto depois de ter tido uma competição de grande nível, marcando um hat-trick contra o Panamá e faturando contra a Venezuela e os Estados Unidos da América. Ainda assim, e apesar de contar com estrelas como Messi, Mascherano, Higuaín, Di María ou Kun Aguero, a Argentina perdeu a final para o Chile de Arturo Vidal e Alexis Sánchez.

Para além do choro e da tristeza, Messi decidiu mesmo abandonar a seleção da Argentina. "É difícil, o momento é duro para qualquer análise. No balneário pensei que a seleção terminou para mim, não é para mim", disse em declarações reproduzidas pelo Twitter oficial da seleção. À 'TyC Sports', Messi reforçou a ideia. "Acho que é o melhor para todos, para mim e para as pessoas que o querem. A seleção acabou para mim, é uma decisão tomada. Tentei muitas vezes [vencer um título com a Argentina], mas não aconteceu. É muito difícil, mas a decisão foi tomada. Não vou tentar mais e não vou voltar atrás", frisou. No entanto, voltou atrás. Mas continua à procura de um título com a seleção.

Sê o primeiro a comentar: