Grande Futebol
O Bom, o Mau e o Vilão numa televisão perto de si
Mauro
2018-10-27 15:30:00
José Mourinho recebe Marco Silva em Old Trafford num ambiente de cortar à faca

O Bom (Marco Silva), o Mau (José Mourinho) e o Vilão (Paul Pogba), à imagem do mítico filme de Sergio Leone, vão estar frente a frente em Old Trafford no Manchester United-Everton deste domingo, um dos jogos de maior cartaz da décima jornada da Premier League, em ambiente de cortar à faca. Depois de um início complicado, Marco Silva surge agora em alta, desfrutando de um ponto de vantagem relativamente a Mourinho, remetido agora ao papel de "Mau", pese embora o empate registado no último fim de semana em Stamford Bridge, diante do Chelsea, em exibição afirmativa de uma equipa muito contestada que viu o adversário chegar à igualdade nos últimos segundos. No papel de "Vilão" aparece, então Pogba, pelo pouco que tem dado ao clube, traído pela sua atitude no primeiro golos dos londrinos, e pelo estado de conflito permanente com o treinador português que tem entretido a imprensa britânica.

Se o ambiente em Old Trafford é de cortar à faca, com o outrora "Special One" constantamente debaixo de fogo, o mesmo não sucede entre os dois treinadores, que fizeram questão de passar uma mensagem de harmonia, ao ponto de Mourinho apelidar Marco Silva de "bom rapaz". "A única coisa que quero dizer é que temos uma boa relação, somos bons amigos. Os treinadores de futebol sentem dificuldade em alimentar uma relação entre eles, pois não conseguem conversar ou conviver muitas vezes. Mas ele é um bom rapaz. Tenho uma boa relação com ele e sei que ele sente a mesma coisa por mim", afirmou, mostrando-se, no entanto, irritado quando os jornalistas ingleses o questionaram sobre o estilo de jogo do ex-treinador do Sporting e e do Estoril Praia. "Vocês já o conhecem! Percebia quando me questionavam sobre isso mal ele acabara de chegar do Olympiacos, mas agora não! Esta é a sua terceira época na Premier, todos vocês o conhecem."

"É um bom amigo, um bom homem e um muito bom treinador", responde Marco Silva, lembrando o percurso de sucesso de Mourinho e refutando qualquer decréscimo de qualidade dp treinador do Manchester United. "Não encontro qualquer alteração em termos de comportamento. Ele é o mesmo treinador que alcançou duas vezes um fantástico sucesso no Chelsea. E que conseguiu a mesmíssima coisa no FC Porto, Inter Milão e Real Madrid. Tem agora um desafio diferente no Manchester United e está a dar o máximo para alcançar o objetivo."

O Everton vai defrontar o Manchester United numa onda positiva decorrente de três triunfos consecutivos na Premier League. Aos categóricos 3-0 em casa diante do Fulham, seguiu-se uma vitória em Leicester por 3-1 frente aos portugueses Adrien Silva e Ricardo Pereira. Na úlitma jornada, o sucesso voltou a repetir-se fruto de novo triunfo, desta feita em Liverpool frente ao Crystal Palace, por dois golos sem resposta. Mais controversa é  acrerira do Manchester United, que saiu derrotado de Old Trafford pela Juventus na última jornada da Liga dos Campeões. Na Premier League, o colosso britânico, depois da surpreendente derrota frente ao West Ham, vem de uma vitória contagiante, virando um resultado de 0-2 para 3-2 perante o Newcastle United, e de um empate com sabor a pouco em Stamford Bridge diante do Chelsea, tendo em conta que esteve a vencer até aos últimos segundos fruto de uma segunda parte categórica, que contrariou a tendência da temporada.

Contas feitas, o Manchester United consegue chegar à décima jornada com menos um ponto do que o Everton. Foram mais os jogos sem triunfos (5, correspondentes a dois empates e três derrotas), do que os desafios com vitórias (4). O conjunto de Marco Silva vive situação idêntica, com quatro vitórias e cinco jogos sem conhecer o sabor da vitória, mas com mais um empate e menos uma derrota do que o rival deste fim de semana.

A verdade é que o Manchester United já se encontra a nove pontos de distância dos líderes Manchester City e Liverpool FC, o que tem motivado um rol de críticas, como sucedeu com Paul Scholes, que não poupou José Mourinho. "Não o conheço muito bem, só do tempo em que jogava contra ele. Adorava ver as suas entrevistas, a sua arrogância. Achava-o brilhante, mas esse José foi-se. Agora é apenas o José das desculpas, o que te deixa frustrado. Ele queixa-se dos jogadores e daquilo que não tem. Mas vejam aquilo que ele tem. Ele diz às pessoas que é o melhor treinador, por isso devia prová-lo."

Se uns atacam o treinador português, outros defendem-no. É o caso de Ibrahimovic. "Todos os que criticam Mourinho não o fazem pelos resultados, mas sim pelo seu caráter, pela sua forma de ser. Sinto-me identificado com ele porque temos a nossa própria forma de ver as coisas, dizemo-las de outra maneira", frisou o agora avançado dos LA Galaxy.

O Manchester United debate-se nesta fase com uma tremenda onda de lesões, factor que não deixa de atormentar José Mourinho, bastante crítico relativamente ao trabalho nas seleções nacionais.  Diogo Dalot, Antonio Valencia, Phil Jones, Marcos Rojo, Fellaini, Scott McTominay, Jesse Lingard e Alexis Sanchez falharam, por lesão, os últimos encontros. "Jogámos com o Newcastle e fomos para a pausa das seleções em boa situação, mas em duas semanas perdemos o Dalot, o Fellaini, o Alexis e o McTominay", lamentou, criticando o facto de algumas equipas nacionais manterem os futebolistas, "mesmo lesionados", retardando a reação do clube.