Grande Futebol
O adeus amargo de Koscielny à seleção: "Cheguei a desejar a derrota da França"
2018-10-15 18:00:00
O defesa francês lesionou-se antes do Mundial e perdeu a hipótese de ser campeão do Mundo

Koscielny anunciou a renúncia à seleção francesa num discurso amargo e ressentido, em direto, numa entrevista ao Canal+, onde deixou muitas críticas e uma confissão surpreendente. "Durante o Mundial, queria que a França vencesse, mas ao mesmo tempo não queria".

O defesa central francês, de 33 anos, 51 vezes internacional pela seleção gaulesa, recordou a lesão no tendão de Aquiles que o afastou do Mundial de 2018 e lamentou que as pessoas, ao fim de algum tempo, se esquecem dos jogadores por estes não poderem jogar. Mas foi sobre a vitória francesa no Mundial que Koscielny revelou ter tido um "sentimento estranho" ao ver a França sagrar-se campeã do Mundo.

"A vitória da França no Mundial causou-me mais danos psicológicos do que a minha própria lesão", confessou o jogador que se lesionou num tornozelo na meia-final da Liga Europa frente ao Atlético de Madrid, que o obrigou a uma intervenção cirúrgica que o afastou do Mundial da Rússia. "Senti-me muito feliz por eles, mas também desgostoso. Não pude sentir-me campeão do mundo. Durante o Mundial, queria que a França vencesse, mas ao mesmo tempo não queria. É uma sensação estranha", confessou Koscielny. "Tenho um lado egoísta e até ao final da minha vida vou sempre pensar que poderia ter vivido aquela aventura com os meus companheiros de seleção e ganho o Mundial..."

O atual selecionador francês foi um dos visados do amargo Koscielny. "Deschamps ligou-me uma vez no meu aniversário em setembro. Depois disso, nada. Várias pessoas desapontaram-me, não só o treinador", referiu.

"Acho que dei tudo o que podia à França, tenho 33 anos, fiz dois Europeus e um campeonato do Mundo. A França tem uma grande geração de jogadores. A minha lesão não influenciou a minha decisão. A França, para mim, acabou", disse Koscielny, que falou ainda do que sentiu quando esteve afastado dos relvados. "Quando estás em boa forma tens muitos amigos. Quando estás lesionado, passado um certo tempo, és esquecido", criticou Koscielny que procura recuperar a cem por cento e reparecer nos relvados com a camisola do Arsenal.

O momento em que Koscielny é transportado em maca para fora do relvado, na sequência da grave lesão sofrida no Atlético de Madrid-Arsenal, a contar para a segunda mão das meias-finais da Liga Europa, em maio último. (Foto Juanjo Martin/EPA)

 

 

Sê o primeiro a comentar: