Grande Futebol
Ninguém percebeu muito bem o motivo da saída de Zidane
2018-05-31 16:10:00
Zizou deu uma conferência de imprensa conjunta com Florentino Pérez, presidente do Real Madrid

Todos parecem ter sido apanhados de surpresa com a decisão que Zinedine Zidane tomou em sair do Real Madrid depois de dois anos e meio a comandar a equipa principal dos espanhóis. Três Ligas dos Campeões e vários outros títulos nacionais e internacionais depois, o técnico tinha contrato com o Real Madrid, mas decidiu sair a meio. E a explicação foi muito pouco convincente. Tão pouco que ainda ninguém percebeu muito bem o que aconteceu.

"Para muitos, a decisão não faz sentido, mas faz para mim. É necessário uma mudança para todos e uma decisão adequada. Vivemos momentos complicados na temporada, mas isso faz parte do clube. Às vezes, os jogadores precisam da exigência dos adeptos, que nos apertam. Agradeço a todas a pessoas que tive ao meu redor. Médicos, fisioterapeutas, corpo técnico, roupeiros...", disse aos jornalistas e ao mundo que estava , explicando que pode ser um "até logo".

Confuso? É normal. Mas Zidane tentou explicar-se melhor. "Às vezes, nos momentos difíceis da temporada, pensas se és a pessoa adequada. Isso faz-te refletir. Agora é o momento. Os jogadores precisam de uma mudança. No final, também lhes estou agradecido porque são eles que lutam em campo. A história deste clube é muito grande e exigimos sempre muito dos futebolistas. Que vou pedir-lhes mais com o que fizeram comigo? É preciso um novo discurso para voltar a ganhar. (...) Tudo é mais simples do que parece. Há etapas na vida em que se deve saber quando parar. Faço-o pelo bem da equipa. Comigo teria sido complicado fanhar no próximo ano. Temos visto isso nos momentos complicados. Há que saber isso quando estás neste clube. Não quero acabar mal, quero terminar quando tudo está bem. Fi-lo como jogador. Não acho que seja tão claro que vá continuar a ganhar e há que fazer uma mudança."

Florentino Pérez não esperava a saída de Zinedine Zidane (Fernando Alvarado/EPA)

Esta decisão de Zidane ainda é mais surpreendente se tivermos em conta que, há pouco mais de dois meses, o até agora treinador do Real Madrid contrariou a ideia de uma eventual saída. "Sim, gostaria de continuar como treinador do Real Madrid. Gosto de futebol, gosto do que estou a fazer, de onde estou... Mas sabes como é o futebol. (...) Se depender de mim, continuo no Real Madrid e a minha ideia é continuar o máximo de tempo possível. Já o disse muitas vezes. O problema é que, no Real Madrid, tudo depende de resultados. Tenho 18 anos de Real Madrid e sei como funciona. Faço o que gosto e quero continuar", revelou Zidane na conferência de imprensa antes do encontro com a UD Las Palmas.

Tal como a larga maioria dos adeptos de futebol, Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, não esperava que Zidane demonstrasse vontade em sair. Ao lado da lenda francesa, o dirigente espanhol afirmou que Zidane "vai voltar". "Para mim, foi uma decisão completamente inesperada. É um dia triste para mim e para os adeptos. Ele sabe que eu o queria como jogador e agora como treinador. Quando o Zizou toma uma decisão há que a assimiliar. Vai voltar e precisa de um descanso, ele merece", frisou.

De acordo com o jornal 'Marca', a notícia da saída de Zidane caiu no balneário do Real Madrid como "uma bomba". A notícia era "completamente inesperada" para a formação 'blanca' e sai o técnico que teve "mais química" com os jogadores e os levou ao "histórico triplete de Ligas dos Campeões". A publicação espanhola garante que a "estupefação foi unânime" entre os jogadores, que nunca acreditaram que Zidane ia sair e que se especulava uma possível renovação de contrato. Sergio Ramos, capitão de equipa, já havia previsto esta decisão em fevereiro. "Dás como certo que, se o Real Madrid ganhar outra vez a Liga dos Campeões, o Zidane fica, mas podes ter uma surpresa e ele pode sair, fazer uma pausa", disse o defesa após a vitória sobre o Paris Saint-Germain por 3-1 em declarações reproduzidas pelo jornal 'AS'. Sergio Ramos foi também o responsável por avisar o plantel da decisão de Zidane. "Não falei com eles pessoalmente, mas souberam por mensagem. Falei com o Sergio Ramos e vou falar com os capitães", disse o técnico que assegurou ainda que não vai trabalhar em nenhum clube em 2018/19. "Não estou cansado de treinar, só era o momento [de sair do Real Madrid]".

Para além do trabalho de encontrar um substituto à altura, a direção do Real Madrid pode ter outros problemas. De acordo com o 'AS', "a saída de Zidane dificulta ainda mais a continuidade de Cristiano" no clube. O português, principal estrela do plantel, já havia deixado no ar a possibilidade de abandonar Madrid nove anos depois da chegada e a imprensa do país vizinho informa que, sem Zidane, manter Ronaldo vai ser mais complicado. Podemos estar prestes a assistir a uma verdadeira debandada na capital espanhola e vai ser preciso um treinador com forte personalidade para impedir que o fantástico trabalho de Zidane a nível europeu e mundial caia por terra.

Sê o primeiro a comentar: