Grande Futebol
Lavar a louça substitui as multas no Wolfsburgo, mas resultados precisam-se
2018-08-25 11:00:00
O treinador Bruno Labbadia é criticado pelos maus resultados do VfL Wolfsburgo mas inova na área disciplinar

O campeonato alemão arranca este fim de semana e há um treinador que quer inovar fora dos relvados. Bruno Labbadia, técnico do Wolfsburgo, revelou ao "Sport Bild" que os jogadores que não cumprirem o código de conduta que estabeleceu para o plantel para esta temporada serão castigados. Até aqui tudo normal, mas a forma como terão de cumprir as sanções é que já não é assim tão comum. Labbadia quer que os atletas lavem a louça ou arrumem a mesa após as refeições nos estágios, por exemplo.

O técnico alemão, de origem italiana, vai manter as habituais multas em dinheiro que a maioria dos plantéis em todo o mundo praticam, mas acredita em "métodos mais eficazes", como os atrás citados. "Multas aos jogadores? Melhor lavar a louça", defende. "Se alguém se atrasar, por exemplo, os outros jogadores terão de escolher o pagamento da sanção", explica ainda o treinador do Wofsburgo reiterando que serão os próprios jogadores a ficarem responsáveis por aplicar as sanções, e não o treinador. Para além de lavar a louça, o técnico do Wolfsburgo propõe também para os 'prevaricadores" cuidar dos equipamentos de treino dos companheiros de equipa. "Isto é não é certamente algo divertido", assegura Labbadia, cujos resultados na última temporada ao serviço do Wolfsburgo deixam a crítica e os adeptos do clube alemão desconfiados.

O novo treinador do Wolfsburgo já tinha passado pelo Darmstadt, Greuther Furth, Bayer Leverusen, Estugarda e Hamburgo (duas vezes), antes de assinar pelo Wolfsburgo em fevereiro deste ano um contrato até ao verão de 2019. Labbadia substituiu o suíço Martin Scmidt, que renunciou ao cargo com a equipa a lutar para fugir à despromoção na Bundesliga. Labbadia conseguiu escapar por pouco, classificando o Wolfsburgo na 16ª posição - quando chegou estava em 14º lugar - o que obrigou a equipa a ter de disputar dois jogos para o playoff da permanência frente ao Holstein Kiel. Duas vitórias, por 3-1 e 1-0, mantiveram a equipa da Baixa Saxônica no escalão principal do futebol alemão.

A segunda passagem de Labbadia pelo Hamburgo ainda correu pior. O técnico de 56 anos acabou despedido em setembro de 2016 depois de uma derrota na receção ao campeão Bayern por 1-0, a quarta consecutiva depois dos desaires frente ao Bayer Leverkusen e aos recém-promovidos Friburgo e RB Leipzig. Regressado ao clube em abril de 2015, depois de já ter treinado a equipa na época 2009/10, Labbadia foi despedido por telefone, após ter ficado no cargo 529 dias.

A imprensa alemã não levou muito a sério as sanções diferentes das usuais do treinador alemão, até porque os resultados de Labbadia à frente da equipa no relvado são fracos, assim como o seu passado recente. Os próprios adeptos, aliás, olham desconfiados para a continuidade de Labbadia à frente da equipa, lembrando-se do que foi a última época, um filme de terror para os adeptos do VfL Wolfsburgo que desde a saída de Dieter Hecking viu a equipa ficar duas épocas seguidas em 16º. Tão longínqua já parece a época 2014/15 na qual o Wolfsburgo ficou em 2º lugar, sob o comando de Dieter Hecking.

Sê o primeiro a comentar: