Grande Futebol
Inter segura terceiro lugar, Bolonha perto de garantir manutenção
2019-05-13 22:30:00
Nerazzurri venceram Chievo por 2-0

O Inter de Milão conseguiu hoje uma vitória esperada por 2-0 sobre o 'lanterna vermelha', o Chievo, segurando assim o terceiro lugar no campeonato italiano de futebol, a duas jornadas do final da prova.

O encerramento da 36.ª jornada trouxe também a confirmação da recuperação do Bolonha, desde que é treinado por Mihajlovic - com o 4-1 ao Parma, praticamente assegurou a manutenção, 'impensável' há poucos meses.

No estádio Giuseppe Meazza, o Chievo deu pouco que fazer ao Inter, que mesmo a jogar mal conseguiu uma vitória sem discussão.

Politano fez o primeiro golo, aos 39 minutos, perante uma equipa sempre 'fora' do jogo e que no último quarto de hora ficou em inferioridade numérica.

Foi a jogar com 10 contra 11 (expulsão de Rigoni) que o Chievo sofreu o segundo: primeiro foi o português Cédric Soares a enviar à trave, para na recarga o croata Perisic atirar a contar.

Com este resultado, e após três empates consecutivos, o Inter regressa ao terceiro lugar e ultrapassa por um ponto a Atalanta. A quatro pontos ficam já Milan e Roma.

Em Bolonha, o sérvio Sinisa Mihajlovic é o 'herói' do momento, já que conseguiu tirar a equipa da zona de despromoção para a manutenção quase garantida, com um saldo de resultados francamente favorável.

Aquele que por breves dias foi treinador do Sporting - no fim da era Bruno de Carvalho - chegou a Bolonha no início de fevereiro e desde então contabilizou oito vitórias, dois empates e quatro derrotas.

Com 36 jornadas jogadas, o Bolonha alcança Fiorentina e Cagliari, com 40 pontos, ficando apenas a um da manutenção, que até pode acontecer pelo desaire de quem está mais atrás.

Hoje, o Bolonha já ganhava por 2-0 quando o internacional luso Bruno Alves foi expulso, aos 62 minutos.

Aos golos de Orsolini (52) e Pulgar (59) juntou-se depois o de Lyanco, aos 72, deixando o jogo 'resolvido'. Inglesi reduziu, aos 81, e Scozzarella, com autogolo, fixou o 4-1, aos 84.

Sê o primeiro a comentar: