Grande Futebol
FC Porto de gala ligado à Champions com a marca de Aboubakar
Gomes Ferreira
2017-12-06 22:35:00
Avançado camaronês foi determinante na goleada dos portistas ao AS Mónaca ao bisar e assistir Brahimi no primeiro tempo

O FC Porto segue para os oitavos de final da Liga dos Campeões, onde passa a ser o único representante português, com uma exibição de gala frente ao AS Mónaco. O resultado de 5-2 espelha a superioridade da equipa de Sérgio Conceição numa partida em que nunca teve o triunfo em causa mas que descansou quando chegou à primeira diferença de três golos, construída na primeira parte, e quando chegou ao 4-1, permitindo os golos da equipa monegasca que sai da Europa vergada a uma derrota pesada mas justa tais foram as deficiências defensivas reveladas pela equipa monegasca.

Aboubakar acabou por ser a figura da noite. O avançado camaronês revelou-se decisivo na primeiro tempo ao marcar dois golos e fazer uma assistência para Brahimi, num jogo que correu às mil maravilhas para o FC Porto. Os dragões alimentaram o ego com mais uma demonstração da força anímica de uma equipa de tração à frente, o avançado camaronês interrompeu um jejum de três partidas sem marcar, Sérgio Conceição fez gestão física de Marega e Aboubakar substituindo-os a pensar já na deslocação ao Bonfim para defrontar o Vitória de Setúbal. E ainda deu para recuperar a confiança de Soares, que entrou já na parte final a tempo de fazer o resultado final.

O FC Porto não podia desejar um melhor início de partida. A equipa portista não entrou tão forte como se poderia esperar, mas a frieza e eficácia de Aboubakar fizeram a diferença logo aos nove minutos, com o prtimeiro golo. O camaronês viria a revelar-se determinante no primeiro tempo marcando mais um golo e fazendo o passe decisivo para Brahimi fazer o 3-0. Com os níveis de confiança em alta, o FC Porto jogava em pressão alta e procurava a profundidade. O AS Mónaco respondeu como podia, sobretudo por intermédio de Diakhaby, o mais perigoso dos monegascos. Depois de trinta minutos muito fortes, o FC Porto baixou o ritmo controlando a partida com posse da bola e fazendo a circulação com critério. Ainda antes de Brahimi fazer o terceiro golo do FC Porto, a passe de Abioubakar, o jogo ficou marcado com as expulsões em simultâneo de Felipe e Ghezzal ao minuto 38. Sérgio Conceição respondeu com a substituição de Reyes por André André (surgiu no onze à última da hora por lesão de Otávio) para manter uma defesa a quatro.

Na segunda parte, e com a convicção de que só um desastre poderia afastar o FC Porto dos oitavos de final da Champions, até porque o Besiktas vencia em Leipzig,  a equipa de Sérgio Conceição não baixou a guarda e procurou o quarto golo, mas já sem a intensidade revelada na primeira parte. Só que veio o golo do AS Mónaco após um lance em que ficam muitas dúvidas se Marcano terá mesmo cortado a bola com o braço. Glik reduziu para 3-1 e, em teoria, o jogo até poderia estar relançado mas a resposta do FC Porto demorou apenas quatro minutos por Alex Telles que puxou da culatra e atirou cruzado sem hipóteses para Benagalio. Festa no Dragão com os adeptos a aplaudirem logo de seguida a entrada em campo de João Moutinho e Falcao, antigos jogadores do FC Porto.

A vantagem confortável do FC Porto e a fraca oposição do AS Mónaco que incomodava José Sá mais por remates de meia-distância dava para tudo. Sérgio Conceição geria o esforço físico de Marega e Aboubakar fazendo-os sair para dar minutos a Corona e Soares. Falcao ainda reduziu para 4-2, mas a reação portista foi, de novo, rápida. Soares regressou aos golos para selar o triunfo do FC Porto que numa noite de gala encaixou 7,5 milhões de euros, seis pelo apuramento para os oitavos de final e 1,5 pela vitória.

Sê o primeiro a comentar: