Grande Futebol
FC Barcelona e o mercado de transferências consequente de um futebol em mudança
2017-09-02 22:15:00
Os dirigentes do Barcelona vieram, este sábado, a público para responderem a um fim de mercado que desapontou os adeptos

Encerrado o mercado de transferências em Espanha, o FC Barcelona foi um dos principais protagonistas deste verão, pelas contratações, mas principalmente por aquelas que não conseguiu concretizar. A saída de Neymar e a falha em adquirir Philippe Coutinho colocaram os responsáveis catalães em ‘xeque’ perante os adeptos, mas todos estes contornos fazem parte de um clima de mudança no futebol mundial, segundo palavras de Robert Fernández, secretário-técnico, e de Albert Soler, diretor de desportos profissionais do FC Barcelona.

As incidências do mercado de verão levaram os dirigentes dos catalães a darem, neste sábado, uma conferência de imprensa, na qual foram abordadas as temáticas que maior alvoroço causam na Catalunha: a saída de Neymar, a falha em contratar Coutinho, a possibilidade da perda de estatuto internacional, a interrogação de fracasso nesta janela de transferências e a compra mais cara da história do clube.

Primeiro, o tema do momento: a ‘situação Coutinho’. "Ontem [sexta-feira], à última hora, o Liverpool FC colocou o preço de 200 milhões por um jogador que queríamos e nós respondemos que não pagávamos", começou por revelar Soler. O responsável do FC Barcelona agradeceu ainda o “esforço que o jogador fez” para rumar ao clube, mas lamentou a dispendiosa quantia solicitada pelo emblema inglês, o que causou a quebra das negociações. “O novo modelo de entender-se o futebol não é liderado pelos clubes. Os países converteram-se nos principais agentes do mundo do futebol. Algo tem que mudar”, atestou Soler.

Face ao término das negociações por Coutinho, o FC Barcelona testou ainda a possibilidade de adquirir outra contratação, mas sem sucesso. “Pela noite, trabalhámos na possibilidade de fazer alguma incorporação e não foi possível. Temos que seguir a trabalhar e a procurar soluções. A secretaria técnica tem sempre a obrigação de trabalhar. Há que pensar já no futuro”, vincou Robert Fernández, dando então conta de uma noite de sexta-feira atribulada para as hostes catalãs.

Renovação de Messi à vista?

Também em foco na imprensa desportiva está o futuro de Lionel Messi. São vários os rumores que têm surgido de que o internacional argentino irá aguardar até janeiro para decidir a renovação de contrato com o FC Barcelona, clube ao qual está vinculado até junho de 2018. A situação poderia vir a causar alvoroço junto dos adeptos ‘blaugrana’, mas os responsáveis catalães decidiram acalmar as hostes.

“Não há nenhum problema. Quero enviar uma mensagem de tranquilidade aos sócios. Quando o clube anuncia um acordo é porque está validado por ambas as partes [FC Barcelona e Messi]. Apenas falta o ato protocolar. Há acordo entre as duas partes. Estamos apendas pendentes de protocolizar a situação”, reiterou Albert Soler. Robert Fernández, por seu turno, frisou a qualidade do plantel pelo qual Lionel Messi está rodeado na Catalunha. “O Leo está rodeado de grandes jogadores. Tem grandes jogadores no plantel e estamos satisfeitos com as novas contratações.”

Sai Neymar, entre Dembélé. Sucessor adequado?

Este verão viu Neymar protagonizar uma das maiores ‘novelas’ do mundo do futebol, com a transferência para o Paris Saint-Germain, no valor de 222 milhões de euros (quantia da cláusula de rescisão paga pelo próprio jogador). Para a vaga deixada em aberto pelo internacional brasileiro, o FC Barcelona recrutou Ousmane Dembélé, atacante francês que pertencia ao Borussia Dortmund.

“Os rumores começaram no final de julho. Tanto o presidente como eu não recebemos nenhuma informação prévia. Não é correto. Inteirámo-nos nesse momento e a partir daí. O importante é que o jogador [Neymar] tomou uma decisão. O jogador é o único responsável. Foi ele a decidir que ia embora. Nós soubemos oficialmente no momento em que o comunica. O FC Barcelona teve conversações, mas o clube não tinha ideia disso meses antes. A 19 de julho, recebi uma mensagem por WhatsApp, que dizia que o PSG queria o Neymar”, desvendou Albert Soler.

Quanto ao nível da sucessão do craque brasileiro, essa não é uma situação, de todo, descomplicada. “O Neymar é muito difícil de substituir. O problema não são os 222 milhões, o problema é que Neymar não está connosco. A situação que leva a saída de Neymar afeta a parte desportiva e as negociações posteriores”, considerou o diretor dos catalães.

Dembélé chegou ao FC Barcelona com o estatuto de jogador mais caro da história do clube, fruto dos 105 milhões de euros mais variáveis desembolsados pelos catalães ao Borussia Dortmund. Na ótica de Albert Soler, o jovem ‘agitador’ francês é uma aposta de presente e futuro. “É a contratação mais cara da história do clube. É uma contratação de presente e futuro. Permite construir e é uma aposta de futuro. Pagámos o que pagámos porque não podíamos pôr em risco a viabilidade desportiva do clube. É necessário cobrir a ausência de Neymar. Depois dos 200 milhões de euros que nos pediam por um jogador, era uma boa colocação.”

Das contratações prometidas, ao estatuto internacional. Fracasso neste mercado?

Foram vários os nomes apontados ao FC Barcelona, como Marco Verratti (interesse confirmado pelos responsáveis dos catalães), Seri, ou Di María, entre outros, mas no fim de contas somente Dembélé, Nélson Semedo, Paulinho e Deulofeu foram adquiridos pelos ‘blaugrana’.

“Gostava de os ter contratado. Não pôde ser. Estamos numa situação de trabalho desde há muito tempo e não conseguimos fazer as contratações. A saída de Neymar mudou as opções, mas tentámos procurar soluções e não as conseguimos no final”, referiu Robert Fernández, em relação às contratações prometidas aos adeptos.

Este proclamado “falhanço” em contratações sonantes no último dia de mercado, a juntar ao vazio a que leva a saída de Neymar faz com que o FC Barcelona venha a perder estatuto internacional junto dos demais “tubarões” do futebol europeu? Na ótica de Albert Soler, isso nem entra em equação. “Não se perdeu nenhum estatuto internacional por ter sentido comum e não pôr em risco a viabilidade patrimonial e económica do clube. Isto não é perder, mas ganhar. Se internacionalmente não somos o que já fomos, então os jogadores não quereriam vir nem fariam sacrifícios para vir para o FC Barcelona. Hoje, poderíamos estar a apresentar aqui dois jogadores pelo valor de 270 milões de euros e assim teríamos cruzado essa ‘linha vermelha’. Não queremos entrar nesse jogo.”

Estará então a pairar um semblante de fracasso sobre o FC Barcelona, em relação à estratégia levada a cabo nesta janela de transferências? Nas palavras de Soler, tal situação não é foi o que aconteceu, pois, as contratações efetuadas melhoraram em muito o plantel. “O FC Barcelona tem uma equipa excelente e as contratações vão contribuir muito. Estivemos a planificar as contratações desde há muito tempo. Tivemos um detalhe importante, que foi a contratação de um treinador. Falei com ele sobre quais setores deveriam ser reforçados para competir. Elegemos jogadores de grande nível que nos vão ajudar.

O FC Barcelona prepara-se então para continuar a atacar esta nova época com uma frente de ataque renovada, com Dembélé como principal aposta para sucessor de Neymar e sem mais alterações drásticas ao plantel do passado recente. Os responsáveis diretivos não equacionam a demissão, pelo menos até ao desfecho desta temporada, que tem em Neymar o principal antagonista para um bom proveito da janela de transferências. “Tudo mudou com a saída de Neymar. A partir daí, adaptámo-nos às necessidades que o clube tem e procurámos a melhor forma de poder completar um plantel como nos é pedido”, palavras de Albert Soler.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa