Grande Futebol
Dono do Leicester City acusado de corrupção coloca em risco futuro do clube
Gomes Ferreira
2017-11-13 22:00:00
A justiça tailandesa acusa empresa de Vichai Srivaddhanaprabha de um golpe económico no valor de 370 milhões de euros

O futuro do Leicester City está em causa depois de um escândalo que envolve a multinacional tailandesa King Power, dirigida por Vichai Srivaddhanaprabha, dono do clube inglês que contratou na última janela de mercado ao Sporting o internacional português Adrien. A justiça tailandesa acusa aquela empresa de um golpe económico no valor de 370 milhões de euros feito através de lojas de ‘duty free’ nos aeroportos daquele país asiático.

Segundo adianta esta segunda-feira a “Sky Spots”, a justiça tailandesa confirmou o julgamento de Vichai Srivaddhanaprabha, e do filho Aiyawatt, terá início a 12 de fevereiro de 2017.

Uma polémica que segundo a imprensa inglesa poderá levar os donos do clube inglês a vender alguns dos melhores jogadores do plantel às ordens do técnico francês Claude Puel, como os avançados Jamie Vardy e Riyad Mahrez. A hipótese mais radical de o clube ser colocado à venda é outro dos cenários possíveis.

A família Srivaddhanaprabha possui desde 2006 o controlo de todas as lojas ‘duty free’, livre de impostos, dos aeroportos  da Tailândia, e deveria pagar ao governo do país 15 por cento dos lucros. Agora, é acusada de ter pago apenas 3 por cento.

Vichai Srivaddhanaprabha, empresário de 59 anos, é dono do Leicester City desde 2010. Com ele como presidente, o clube conquistou o inédito e surpreendente título de campeão inglês de 2015/16.

As regras da Premier League são claras e proíbem que alguém possa dirigir um clube se for condenado por qualquer crime financeiro, o que ainda não é o caso.

Mesmo assim, um terramoto que se abate sobre o Leicester que ainda há pouco tempo, em 2016, sagrava-se campeão inglês numa campanha de sonho na Premier League. O Leicester City ocupa atualmente o 12º lugar com 13 pontos, com três vitórias, quatro empates e quatro derrotas.

Sê o primeiro a comentar: