Grande Futebol
Da esperança de Wilson Eduardo ao desespero de Rui Águas
2018-11-17 19:00:00
Avançado do SC Braga é reforço de luxo para o decisivo jogo de Angola; Cabo Verde com vida complicada

Wilson Eduardo passou a ser o rosto da esperança de Angola em qualificar-se para o Campeonato Africano das Nações. O avançado do SC Braga aceitou o repto da Federação e espera estrear-se a marcar com a camisola da seleção, que este domingo recebe o Burquina Faso, em jogo da quinta jornada do grupo I. "É com muita satisfação que recebi o convite da parte da Federação Angolana de Futebol para representar a seleção. Foi um processo rápido até que tudo ficasse tratado para jogar por Angola. Penso que chegou o momento de retribuir tudo que este país fez por mim e pela minha família. Darei tudo em campo, se possível contribuindo com golos", afirmou o ponta de lança, em declarações à Rádio 5 de Angola.

Angola ocupa o terceiro lugar no respetivo grupo com seis pontos, contra sete do Burquina Faso e oito da Mauritânia. Os “Palancas Negras” estão, deste modo, obrigados a ganhar para ainda sonharem com o apuramento para o Campeonato Africano das Nações a ter lugar no próximo ano. É neste contexto, que o dianteiro, de 28 anos, de nacionalidade portuguesa e angolana, surge como grande aposta da seleção, devenfo formar dupla de ataque com Gelson Dala, avançado emprestado pelo Sporting ao Rio Ave.

Se em Angola mora a esperança, em Cabo Verde impera agora o desalento face a mais uma derrota da equipa liderada por Rui Águas. A seleção de Cabo Verde perdeu este sábado por 1-0 no terreno do Uganda e complicou ainda mais as contas do apuramento para a Taça das Nações Africanas (CAN) de 2019, prova em que o adversário de hoje já garantiu presença.

Depois de um 0-0 na primeira parte e com poucas oportunidades de golo para cada lado, o Uganda marcou o único tento do jogo, aos 78 minutos, por intermédio de Patrick Henry.  Este resultado permitiu aos ugandeses fazerem a festa do apuramento para  o CAN, garantindo desde já o primeiro lugar do grupo, agora com 13 pontos, enquanto que Cabo Verde vai precisar de um milagre para se qualificar.

Para se qualificar, a equipa liderada por Rui Águas tem de vencer o Lesoto no seu último jogo em casa e esperar que a Tanzânia não vença nenhum dos dois jogos que lhe restam, com o Lesoto este domingo e o Uganda em março do próximo ano.

Já a Guiné-Bissau empatou este sábado na Namíbia a zero golos e manteve a liderança do grupo K de qualificação para o Campeonato Africano das Nações. As duas equipas lideram com oito pontos e boas hipóteses de qualificação. Mas à espreita está Moçambique, que este domingo recebe a Zâmbia e pode chegar aos 7 pontos, recebendo a Guiné na última jornada. Para a Taça das Nações Africanas de 2019 apuram-se os dois primeiros classificados do grupo, situação em aberto para as quatro equipas do grupo. No domingo, mesmo um empate entre moçambicanos e zambianos deixa tudo por decidir, visto que na sexta e última jornada a Guiné-Bissau recebe Moçambique, e a Zâmbia defronta em casa a Namíbia.

Entretanto, no Grupo A, o Senegal, já com a classificação garantida, venceu na Guiné-Equatorial e destacou-se no comando do grupo, à frente de Madagáscar que, com a derrota da Guiné, também já garantiu um lugar ao sol. Já estão, assim, apurados para a fase final oito seleções: Senegal. Madagáscar, Marrocos, Mali, Nigéria, Tunísia, Egipto e Uganda.

O Campeonato Africano das Nações de 2019 decorrerá no próximo ano nos Camarões, desta feita entre 15 junho e 13 de julho, pela primeira vez com 24 países e fora dos habituais meses de janeiro e fevereiro.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa