Grande Futebol
Celebrações de jogadores croatas têm dado muito que falar
Sérgio Cavaleiro
2018-07-09 11:00:00
Conotações políticas dadas aos festejos de Vida e Lovren

A Croácia está nas meias finai do Campeonato do Mundo depois de ter eliminado a Rússia, mas o que está a dar que falar nem são as defesas de Subasic ou as jogadas do genial Modric. O que está a dar que falar são as formas encontradas pelos jogadores da seleção croata para festejarem a passagem às “meias”. Primeiro foi Dejan Lovren e a sua escolha musical pró-fascista com que brindou todos os colegas no balneário após a vitória sobre a Argentina, e agora foi a vez de Domagoj Vida a gritar pela Ucrânia em provocação aos russos

As coisas parecem estar a correr bem à Croácia dentro das quatro linhas, mas nem por isso as celebrações dos jogadores croatas têm sido aceites de ânimo leve. Tudo por questões políticas.

Tudo começou após a surpreendente vitória por 3-0 diante da Argentina ainda na fase de grupos do Mundial. Por essa altura, Dejan Lovren, o central do Liverpool FC, decidiu partilhar um vídeo em que surge ao lado de Vrsaljko, lateral do Atlético Madrid, a cantar uma música que ganhou fama por ser associada aos fascistas que governaram a Croácia durante a Segunda Guerra Mundial.

A atitude de Lovren não caiu muito bem entre alguns grupos dentro da própria Croácia e as reações não se fizeram esperar.

Mas as polémicas com os festejos dos jogadores croatas não ficam por aqui. Após a vitória sobre a Rússia e a consequente passagem às meias finais, Domagoj Vida - autor do segundo golo croata - publicou um vídeo nas redes sociais onde surge a gritar pela Ucrânia: "Glória para a Ucrânia! Esta vitória é para o Dínamo e para a Ucrânia".

Isto acontece numa altura em que Rússia e Ucrânia estão de costas voltadas e como tal, a coisa não foi bem recebida pelos adeptos russos que cedo se fizeram ouvir através dos fóruns televisivos.

Quem não gostou muito de toda situação foi a FIFA, mas o próprio jogador já se manifestou sobre o mal-entendido:

"Esta vitória é para a Croácia. Não tem nada de político. Foi uma brincadeira. Tenho amigos na Ucrânia desde que joguei no Dínamo Kiev. Não quis dizer mais nada para lá disso. Gosto dos russos. Foi apenas uma piada", referiu Vida, em declarações ao site “Sports.ru”.

Sê o primeiro a comentar: