Grande Futebol
Carlos Kaiser já tem sucessor: eis o maior aldrabão da atualidade
João Pedro Cordeiro
2018-10-11 11:00:00
Não há registos de ser futebolista, mas há um mexicano que diz que joga na Juventus. E houve quem acreditasse.

Recorda-se da história de Carlos Kaiser? O maior impostor da história do futebol que ao longo de décadas enganou alguns dos maiores clubes da América do Sul? Pois bem, certamente na altura terá pensado algo como “bem, pelo menos atualmente isto nunca podia acontecer”, certo? E se lhe dissermos que aconteceu, mesmo que a uma escala mais pequena? Apresentamos-lhe Dionicio Farid Rodriguez, jovem mexicano originário de Oaxaca que conseguiu enganar vários meios de comunicação do seu país e arredores ao fingir uma vida como futebolista nas camadas jovens da Juventus.

Entrevistas em várias publicações, palestras e sessões de autógrafos. Dionicio Farid não foi tão longe quanto Carlos Kaiser, mas o quão longe conseguiu levar a sua “burla” não deixa de impressionar. Através da conta de instagram que chegou a ter 16 mil seguidores e que entretanto foi fechada pela empresa, Farid publicou montagens - chegou a roubar uma foto de João Serrão fazendo-se passar pelo jovem defesa português - que lhe permitiram enganar parte da imprensa mexicana e argentina acerca da sua real existência. Portais com mais de meio milhão de seguidores publicaram artigos acerca de uma suposta grande época que Farid ia realizando pelas camadas jovens da Juventus. Um defesa central capaz de marcar dez golos em apenas uma temporada e sete deles de fora da área. Farid não fazia por menos e nem por isso alguns meios de comunicação suspeitaram da sua veracidade.

O jovem mexicano não se ficou apenas por inventar uma carreira de sucesso na Juventus. Quem acreditou em Farid, creditou-lhe também passagens pelas camadas jovens do Lobos BUAP ou do Pumas, uma das maiores escolas de jogadores do México. Uma trajetória que lhe permitiu dar conferências e realizar sessões de autógrafos com crianças mazatecas, nome dado aos habitantes da zona de Oaxaca da qual Farid é, pelo menos isso, originário. Ao ADN Sureste, diário regional de Oaxaca, Farid deu mesmo uma extensa entrevista onde “detalhou a sua chegada à Juventus”. Segundo Farid, depois de viajar para os Estados Unidos de forma a reforçar uma equipa da MLS, emissários da Juventus, presentes no país, bem como representantes de clubes como o Rayo Vallecano ou o Getafe, acabaram por desviar o jovem rumo a Turim.

Honra seja feita ao jovem, o nível de detalhe e capacidade para pormenorizar as suas narrativas impressionam, podendo mesmo ser considerado já o fiel herdeiro de Carlos Kaiser como maior impostor da história do futebol. “Tive de sofrer um pouco. A verdade é que passei por muito para conseguir ficar na Juventus. Tive de ficar vários dias no aeroporto por não ter onde ficar, nem algo para comer. Não tinha nem dinheiro para comprar uma garrafa de água. A água que bebia era das casas de banho do aeroporto. A minha outra odisseia foi ter de ter enfrentado outros 500 miúdos de todas as partes do Mundo. Dessa quantidade, foram escolhidos 30 e eu fui um deles”.

“O meu sonho é o mesmo de todos os rapazes: chegar a futebolista profissional. A minha primeira equipa profissional foi o Esqueroka de Tehuacán, onde o professor Ubaldo Muñoz descobriu os meus talentos. De lá fui para o Lobos BUAP e para as equipas jovens do Puebla onde cheguei à segunda divisão. O Iván Balam que era o meu treinador deu-me a oportunidade de jogar 10 minutos num jogo da segunda divisão contra o Querétaro e foi aí que acabei por ir para o Pumas”, contou Farid que afirmou que foi ao serviço do Pumas que chegou à seleção sub 17 mexicana que participou no jogo de despedida de Pirlo, nos USA.

“Hoje continuo a trabalhar e tento cumprir o meu sonho de me tornar futebolista. Sempre disse que querer é poder e se decides algo, consegues alcançá-lo. Agora estou nos sub-20 mas já fui chamado à equipa principal. Ia jogar um encontro da Liga dos Campeões, mas como é preciso ter 21 anos para isso acabei por não poder. A minha meta é que este ano que vem possa ter a oportunidade de integrar a equipa principal, pois já treino com eles, apenas faço os jogos na equipa sub-20. A verdade, é que é uma experiência que te marca para toda a vida. É uma emoção e uma alegria sentir que fazes parte de uma plantel destes”, afirmou, antes de assinalar que conheceu Aquino quando este jogava no Villarreal tendo acabado por perder o contacto com o internacional mexicano. Estamos impressionados, Farid.

“O jogador que tem a humildade, sacrifício e simplicidade, que mantém os pés na terra, é e será o melhor jogador independentemente de onde se encontre. Os meus pais ensinaram-me a não ser uma pessoa arrogante, considero-me um rapaz simples, trabalhador, esforçado, pelo que não me custa nada responder a perguntas ou dar autógrafos a quem quer que seja” afirmou, não revelando se os pais também lhe ensinaram a, vejamos... não ser mentiroso.

Estes foram apenas alguns dos trechos da entrevista de Farid ao diário ADN Sureste, ao qual afirmou ter cumprido também alguns minutos ao serviço da seleção sub-20 mexicana e que esteve a um pequeno passo de ser incluído na lista de convocados da Juventus para um encontro da Champions. A imprensa local chamou-lhe “Orgulho de Oaxaca” e a popularidade acabou por chegar a Itália com o Corriere dello Sport a acabar por desmentir a história afirmando que não há qualquer jogador mexicano registado no país, sequer, da mesma forma que naturalmente Farid não consta de qualquer registo da federação do seu país. Uma coisa é certa: a mentira pode ter pena curta, mas que Farid certamente se terá divertido, não duvidamos.

Sê o primeiro a comentar: