Grande Futebol
Asamoah Gyan é o mais recente caso de um futebolista caído na falência
2018-12-28 17:00:00
Passou por destinos onde os salários no futebol são elevados, mas nem isso ajudou.

A vida fora do futebol nem sempre decorre da melhor forma para aqueles que são profissionais do fenómeno que conhecemos como desporto rei. Asamoah Gyan, ex-estrela da seleção do Gana, é o mais recente caso disso mesmo. Atualmente com 33 anos, ainda a jogar no futebol turco, mais precisamente no Kayserispor, o avançado admitiu que está à beira da falência. O próprio Gyan admitiu ao jornal ganês ‘MyNewsGh’ que tem “apenas 660 euros na conta bancária”. O outrora jogador de campeonato inglês, italiano e francês não passa por momentos fáceis.

Quem dá conta de toda esta situação é o jornal alemão ‘Bild’, esta sexta-feira, ao relatar os problemas que Gyan vive. De recordar que no ano passado, o atacante esteve em destaque ao comprar uma companhia aérea no país de origem… tudo já a pensar na reforma pós-futebol. “Do que tenho visto nos últimos anos, os jogadores de futebol não têm muito para fazer depois de terminar a carreira. É difícil lidar com a situação de, depois de uma carreira tão movimentada, ficar sem negócios para nos mantermos ativos, pagar as contas e gerar dinheiro. Pensei muito e decidi gerar negócios para evitar essa situação”, foram as palavras de Gyan nesse momento. Ora, fica a ideia de que os investimentos do jogador poderão ter corrido mal...

Internacional pela seleção ganesa em 106 ocasiões, Gyan deixou vasto legado por lá, com 50 golos marcados. Em 2003, deixou o país de origem para rumar ao futebol italiano, mais precisamente à Udinese. Depois disso, com empréstimos ao Modena pelo meio, rumou ao Stade Rennes, clube francês no qual esteve pouco mais de uma temporada antes de partir para Inglaterra, por forma a vestir a camisola do Sunderland. Marcou onze golos em 35 encontros pela equipa do principal escalão de Terras de Sua Majestade e em 2012 foi para os Emirados Árabes Unidos, jogar no Al-Ain. Por lá, auferia algo como 220 mil euros por semana, segundo relatou o jornal inglês ‘The Sun’.

Em 2015, Gyan rumou ao Xangai SIPG, clube chinês, para ganhar cerca de um milhão de euros por mês, de acordo com o que avança o ‘Bild’. Atualmente ao serviço do Kayserispor, Gyan aparente ser mais um dos casos de futebolistas que tiveram problemas monetários ao longo da carreira, mesmo com passagens por paragens onde os salários são um ‘paraíso’ para muitos dos que lá vão parar.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa
Tags: