Grande Futebol
Após 120 minutos de domínio, Inglaterra é terceira nos penáltis
2019-06-09 17:30:00
Pickford defendeu uma grande penalidade

A seleção de Inglaterra obteve hoje o terceiro lugar na Liga das Nações de futebol, após vencer a Suíça no desempate por penáltis (6-5), após 120 minutos de jogo sem golos, em que dominou, mas foi perdulária.

Depois de ter marcado uma das seis grandes penalidades cobradas pelos britânicos, Jordan Pickford decidiu o jogo de atribuição dos terceiro e quarto lugares da primeira fase final da competição, ao defender o penálti cobrado por Josip Drmic.

Apesar de não ter deslumbrado, a formação treinada por Gareth Southgate conseguiu uma justiça tardia, já que falhou mais de uma 'mão cheia' de oportunidades - atirou quatro bolas aos ferros -, perante uma Suíça que privilegiou a defesa e raramente ameaçou a sua baliza.

Após a derrota na meia-final com a Holanda (3-1, após prolongamento), a Inglaterra reapareceu no Estádio D. Afonso Henriques, hoje mais despido de adeptos, com o intuito de 'ferir' a Suíça em ataques rápidos, conduzidos ao primeiro toque, e quase marcou aos dois minutos.

Desmarcado por Jesse Lingard, Harry Kane entrou na área pelo lado direito e tentou um 'chapéu' que só não deu golo, porque o guardião Yann Sommer tocou ao de leve na bola e desviou-a para a barra.

Já os helvéticos mudaram o 4x3x3 da meia-final com Portugal (derrota por 3-1) para um 3x4x3, com os supostos alas, Edimilson Fernandes e Xherdan Shaqiri, a descaírem para o centro do terreno, mas a sua produção ofensiva foi nula na primeira parte, mesmo com alguma circulação de bola no meio-campo contrário, nos minutos iniciais.

Assente num 4x4x2, com meio-campo em 'losango', a equipa inglesa mostrava-se perigosa quando ultrapassava a linha média suíça: num desses lances, Raheem Sterling, desmarcado precisamente por Kane, ficou enquadrado com a baliza e rematou cruzado para defesa do guardião contrário, ao minuto 14.

O ritmo da partida decaiu até ao intervalo, mas a Inglaterra ainda criou duas ocasiões para marcar, ambas a partir de cruzamentos de Trent Alexander-Arnold, na direita: no primeiro, rasteiro e tenso, Sterling falhou a emenda por milímetros (29 minutos) e, no segundo, Dele Alli cabeceou por cima (35).

A segunda parte prosseguiu numa toada lenta até aos 70 minutos, à exceção de duas ocasiões, uma para cada lado: aos 55 minutos, o guardião suíço desviou para o poste um corte de Fabian Schar na direção da própria baliza, enquanto Granit Xhaka obrigou Jordan Pickford a defesa difícil, aos 56.

Os britânicos arriscaram um pouco mais na 'ponta final' e introduziram mesmo a bola na baliza, aos 84 minutos, pelo recém-entrado Callum Wilson, após cabeceamento de Dele Alli à barra. O avançado, no entanto, cometeu falta sobre Manuel Akanji e o golo foi anulado com recurso ao videoárbitro, para desagrado dos adeptos ingleses, em larga maioria nas bancadas.

O domínio inglês estendeu-se ao prolongamento, com cruzamentos para a área saídos da esquerda e da direita: num deles, tirado por Alexander-Arnold, Sommer negou o golo por duas vezes seguidas, a um cabeceamento de Dele Alli e à recarga de Sterling, aos 99 minutos.

A seleção dos 'três leões' ainda teve tempo para 'esbarrar' de novo na trave, num livre batido por Sterling, aos 117 minutos, antes de conseguir o triunfo no desempate por penáltis.

Sê o primeiro a comentar: