Grande Futebol
Adrián López renasce na Corunha e faz sonhar o Depor
António José Oliveira
2018-04-16 11:00:00
Avançado emprestado pelo FC Porto bisou nos últimos dois jogos em triunfos de 3-2 e já é visto como salvador na Corunha

Não teve a sorte de Marega ou Aboubakar, não convenceu Sérgio Conceição, e viu-se remetido a novo empréstimo do FC Porto no início da temporada. A época não tem sido particularmente efusiva, mas Adrián López como que renasceu nos últimos tempos. Bisou este sábado no complicado triunfo do Deportivo da Corunha no sempre difícil San Mamés do Athletic Bilbau, por espectaculares 3-2, e havia bisado na última jornada, na vitória caseira frente ao Málaga CF, por igual resultado, ao ponto de ser visto agora como o possível salvador do Depor na desesperada luta pela continuidade no escalão maior do futebol espanhol.

Em apenas oito minutos, Adrián López fez os dois golos (aos 6 e 14 minutos) que lançaram a equipa do antigo internacional holandês Clarence Seedorf para o triunfo e renovaram a esperança dos adeptos do campeão espanhol em 1999/2000.

A tarefa não se afigura, todavia, nada fácil, tendo em conta que o Deportivo está na 18ª posição, a seis pontos do Levante UD, a primeira equipa acima da linha de despromoção. Os últimos resultados expressam, no entanto, uma espectacular e, de certa forma, inesperada, recuperação da equipa da Galiza, que resultou num estado de espírito diferente e tem agora em Adrián López o símbolo mais visível.

O avançado, de 30 anos, atinge o ponto alto numa altura decisiva de uma temporada que não tem sido nada fácil não só do ponto de vista coletivo como individual. Adrián López marcou um golo nas três primeiras jornadas, mas depois uma arreliadora lesão fez com que tenha estado ausente de setembro até praticamente finais de novembro. Surgiu no dia 26 daquele mês a marcar precisamente ao adversário deste fim de semana, o Athletic Bilbao, no empate caseiro a duas bolas. Fez depois no início de dezembro o remate certeiro do triunfo de 1-0 sobre o Leganés, marcou o golo de consolação da copiosa goleada de 7-1 sofrida em Madrid, diante do Real, e na jornada seguinte voltou novamente a fazer o gosto ao pé no empate a dois com o Levante UD. Viveu depois um enorme hiato de golos (do final de janeiro ao início deste mês) surgindo agora com revigorado fulgor, convertendo-se em símbolo de esperança dos galegos.

Foi a 12 de julho de 2014, há quase quatro anos, portanto, que o FC Porto comunicou à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários a compra de "60 por cento" do passe do dianteiro por "11 milhões de euros" ao Altético de Madrid. O contrato, esse, vigora até 30 de junho de 2019, tendo Adrián López uma cláusula de rescisão de... 60 milhões de euros. O Deportivo da Corunha é o terceiro empréstimo depois de duas cedências, em tempos diferentes, ao Villarreal CF. O camisola 15 já fez mais golos esta época (nove em 26 jogos) do que em duas temporadas ao serviço do "submarino amarelo", durante as quais somou somente sete remates certeiros.

 

 

Sê o primeiro a comentar: