Grande Futebol
Adiyiah: do potencial de ouro a 'flop', com Luis Suárez metido ao barulho
2018-10-16 22:00:00
Dominic Adiyiah foi o melhor jogador do Mundial de Sub-20, em 2009, o que lhe valeu a transferência para o Milan.

Dominic Adiyiah. Reconhece o nome? O mais provável é mesmo que já não faça ideia de quem aqui se fala. Tudo por culpa de um futuro no futebol que era apontado como risonho e acabou por ser uma desilusão. Em 2009, o Gana conquistou o Mundial de Sub-20 e Adiyiah foi considerado o melhor jogador do torneio (precisamente no dia 16 de outubro), a par do estatuto de principal artilheiro. A prestação do avançado na competição que teve lugar em pleno Egito chamou a atenção do Milan, que não hesitou em avançar para a contratação. No entanto, o atacante não chegou a vestir a camisola do clube italiano em jogos oficiais e tem vindo a descer aos poucos na carreira. Pelo meio, até já teve um episódio peculiar protagonizado com Luis Suárez.

Já que se falou em Suárez, foi no Mundial de 2010 que o jogador do FC Barcelona encontrou Adiyiah em campo e impediu o avançado ganês de um momento inesquecível para o país africano. A 2 de julho de 2010, em plena África do Sul, o Gana mediu forças com o Uruguai para os quartos de final do Campeonato do Mundo. Com o jogo empatado a uma bola, os africanos tiveram a oportunidade ideal de seguir em frente na competição, mas Suárez ‘atirou o corpo às balas’ para impedir que isso acontecesse. Quem não se recorda de ver o atacante sul-americano a colocar a mão à bola, na linha de golo da baliza uruguaia, a um remate ganês perto do apito final? Pois bem, o autor desse remate foi Adiyiah e todos sabem que o Gana acabou por falhar a grande penalidade consequente e saiu mesmo derrotado do desempate através de pontapés da marca dos onze metros.

Agora, recuemos mais um pouco no tempo. No final de outubro de 2009, o Milan decidiu investir 500 mil euros na contratação de Adiyiah, tendo por base as exibições do avançado no Mundial de Sub-20. A aquisição foi oficializada em janeiro de 2010, período de mercado de transferências. No entanto, aconteceu logo um percalço na passagem do ganês pelos rossoneri… é que ele foi convocado pela seleção principal do Gana para estar presente na Taça das Nações Africanas, que decorria nesse momento. Apenas no mês seguinte é que Adiyiah regressou a Milão, já com a licença de trabalho assegurada, e disponível para jogar.

No entanto, nem por uma vez Adiyiah foi chamado por Leonardo, então treinador do Milan na temporada 2009/10. Na temporada seguinte, o avançado foi emprestado ao Reggina, clube que militava no segundo escalão italiano. O saldo do atacante no clube foi de dois golos marcados em 15 encontros disputados. Na segunda metade dessa época, voltou a ser cedido, dessa feita ao Partizan, onde fez oito jogos e não marcou qualquer golo. Em 2011/12, Adiyiah voltou a ter dois empréstimos, primeiramente ao Karsiyaka, da Turquia, equipa na qual realizou oito partidas e não fez o gosto ao pé; e também foi cedido ao Arsenal Kiev, clube que acabou por contratá-lo em definitivo, em 2012. No conjunto ucraniano marcou oito golos em 47 compromissos. Em 2014 esteve no Cazaquistão, com a camisola do Atyrau, onde apontou um remate certeiro em 14 encontros.

O mais recente capítulo da carreira de Adiyiah teve lugar em 2015, quando assinou pelo Nakhon Ratchasima, clube do principal escalão tailandês. Nesse mesmo ano, o avançado marcou cinco golos em 27 partidas e no ano seguinte conseguiu dois remates certeiros em 28 jogos. Adiyiah começou a dar os primeiros passos no futebol na academia do Feyenoord no Gana e o primeiro clube como sénior foi o Hearts of Lions, no país de origem, antes de ter rumado aos noruegueses do Fredrikstad, em 2008. Agora com 28 anos, a carreira do avançado é bem distinta daquilo que era quando se deu a conhecer ao mundo do desporto rei, com um Mundial de Sub-20 de assinalar, que lhe valeu a ida para um dos históricos do futebol europeu.